Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Biografias > Alberto Sampaio

Alberto Sampaio

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Biografias
Alberto Sampaio

Alberto sampaio nasceu em Guimarães em 1841, mais concretamente na rua dos Mercadores.
Foi batizado, na igreja da Colegiada de Nossa Senhora da oliveira e a sua infância decorreu entre Guimarâes, e Vila Nova de Famalicão, onde o pai era proprietário de uma quinta., chamada quinta de Boamense.

Fez os seus estudos primários no colégio de Landim, juntamente com o seu irmão, José.
Seguidamente, fez os seus estudos na cidade de Braga, tendo depois partido para Coimbra com 17 anos de idade, matriculando-se na Faculdade de Direito.

Foi aí que teve oportunidade de conviver com os intelectuais da Geração de 70, onde foi comtemporâneo de João de Deus, Teófilo Braga, Eça de queirós, Guerra Junqueiro e Antero de quental, com o qual manteve uma fraterna amizade.

Alberto Sampaio tentou a carreira de advocacia, mas não consehuiu adaptar-se. Deste modo regressou para o Minho, e repartiu a sua vida entre Guimarâes e Boamense.

Em Guimarâes, ocupou o lugar de guarda-livros, no banco comercial. Aqui teve oportunidade de conviver com Martins sarmento, a quem o ligavam grandes afinidades culturais e de quem se tornou grande amigo.

Sempre empenhado em promover a indústria vimaranense, foi a alma impulsionadora da exposição industrial de Guimarâes, e o principal autor do seu relatório.

Distingue-se por ser uma pessoa que sempre defendeu os interesses locais da sua terra natal, onde foi muito estimado.

Morreu com a idade de 67 anos, na sua quinta de Boamense, em 1908.

Além de ter desempenhado cargos e feito muito pela sua terra, ainda deixou um bom legado cultural, da história regional.

Na verdade, acabou por se especializar em História, onde aprendeu a globalidade da história nacional.

Aprendeu ainda a história da região nortenha, a economia rural e as atividades costeiras da mesma região.

Nas suas investigações, não descuidou as suas origens remotas, que permaneceram imutáveis, através dos séculos.

Como era um apaixonado pela terra, aprofundou conhecimentos agrícolas, chegando a colaborar com o ministro da agricultura, na elaboração de projetos.

Os estudos e investigações que fazia eram publicados em jornais e revistas da época, destacando-se os "Estudos históricos e Económicos.

Além destas obra, redigiu outras, que foram um marco na História da època em que o viu nascer.


Teresa Maria Batista Gil

Título: Alberto Sampaio

Autor: Teresa Maria Gil (todos os textos)

Visitas: 0

605 

Comentários - Alberto Sampaio

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

A arte de trabalhar a madeira

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Serviços Construção
A arte de trabalhar a madeira\"Rua
A carpintaria constitui, digamos assim, a arte de trabalhar a madeira. É claro que, de acordo com o produto final, se percebe bem que uns carpinteiros são mais artistas do que outros…

Às vezes nem se trata tanto dos pormenores, mas mesmo de desvirtuar o que era a ideia inicial e constava da encomenda. Mal comparado, quase se assemelha à situação daquela aspirante a costureira que pretendia fazer uma camisola para o marido e, no fim, saíram umas calças!

Na construção civil, a madeira é utilizada para diversos fins, temporários ou definitivos. Na forma vitalícia (esperam os clientes!) incluem-se estruturas de cobertura, esquadrias (portas e janelas), forros, pisos e edifícios pré-fabricados.

Quase todos os tipos de madeira podem ser empregues na fabricação de móveis, mas alguns são preferidos pela sua beleza, durabilidade e utilidade. É conveniente conhecer as características básicas de todas as madeiras, como a solidez, a textura e a côr.

Ser capaz de identificar o género de madeira usado na mobília lá de casa pode ajudar a determinar o seu real valor. Imagine-se a possibilidade de uma cómoda velha, que estava prestes a engrossar o entulho para a recolha de lixo, ter sido feita com o que hoje se considera uma madeira rara.

É praticamente equivalente a um bilhete premiado do Euromilhões, dado que se possui uma autêntica relíquia! Nestes casos, a carpintaria entra na área do restauro e da recuperação. Afinal, nem tudo o que é velho se deita fora…

Por outro lado, as madeiras com textura mais fraca são frequentemente manchadas para ganhar personalidade. Aqui há que remover completamente o acabamento para se confirmar a verdadeira natureza da madeira.

É assim também com muita gente: tirando a capa, mostram-se autenticamente. Mas destes, nem um artificie com “bicho-carpinteiro” consegue fazer nada…!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:A arte de trabalhar a madeira

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Luene ZarcoLuene

    23-09-2014 às 13:23:35

    Uma excelente técnica que penso ser muito bonito e sofisticado. A arte de trabalhar madeira está sempre em desenvolvimento e crescimento.

    ¬ Responder
  • Rua DireitaRua Direita

    01-06-2014 às 05:18:46

    É ótimo o trabalho com a madeira. Pode-se perceber grandes obras que se faz com ela. Realmente, é uma verdadeira arte!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios