Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Beleza > Diga «Não!» ao cabelo espigado

Diga «Não!» ao cabelo espigado

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Beleza
Visitas: 4
Comentários: 1
Diga «Não!» ao cabelo espigado

À semelhança da pele, o cabelo reflete o estado de saúde, a higiene e o equilíbrio alimentar de uma pessoa. Quando o cabelo fica espigado, as pontas começam a abrir em dois e o problema resolve-se, normalmente, com o corte. No entanto, as pontas espigadas escondem, em princípio, outros fatores.

O cabelo principia a espigar devido à danificação da cutícula, zona externa do fio de cabelo. Sendo a cutícula lesada, a área responsável pelo equilíbrio, pela saúde e pela firmeza do cabelo fica exposta, tornando-o fraco, baço, seco e espigado. Quando se tem o cabelo espigado, dá a impressão de que ele não cresce, mas o que se passa é que ele realmente cresce na raiz sem, contudo, ser capaz de progredir para as pontas (já danificadas).

Para manter um cabelo bonito e saudável convém, antes de mais, que ele nasça sadio! Para além disso, deve ser cortado de dois em dois meses, em média, para garantir a necessária renovação capilar e evitar o aparecimento das inconvenientes pontas espigadas. Existe no mercado uma vasta panóplia de bons produtos que fautorizam a prevenção das pontas espigadas, sendo preferíveis os que têm como base óleos de amêndoas, algas marinhas, silicone, jojoba ou ceramida, por serem os que apresentam maior eficácia.

As pontas espigadas também podem ser acauteladas com uma alimentação adequada. Um cabelo forte e sem problemas nas pontas consegue-se comendo frutas, ovos, cereais, leite, peixe e carne, por exemplo. A cenoura e a gelatina também ajudam a manter o cabelo saudável. Ao contrário, fumar, ingerir demasiadas gorduras, açúcares, sal ou álcool, concorre para prejudicar o aspeto do cabelo. Na verdade, a alimentação interfere com tudo no nosso corpo e o cabelo faz parte de nós.

Uma apresentação menos boa da cabeleira pode, igualmente, prender-se com agressões diárias, como a chuva, fumos, vento, frio, sol e tantos outros. Nesta perspetiva, há que procurar produtos que a protejam destes verdadeiros ataques. A escolha do champô, do amaciador e de um produto para as pontas deve ser criteriosa. Aplicar uma máscara capilar é, analogamente, uma ação coadjutora. De referir que não é recomendável esfregar o cabelo, mas sim massajar o couro cabeludo, tanto na lavagem como ao secá-lo. A propósito, o ideal é que seque ao ar, naturalmente, e que não se o ate enquanto estiver húmido.

Na mesma linha, o excesso de pinturas, de permanentes e de ondulações é extraordinariamente pernicioso. Na eventualidade de não se poder prescindir do secador, a secagem deve ser feita a temperatura média e a uma distância mínima de 15 centímetros. É ainda necessário proteger os cabelos da exposição direta do sol (recorrendo a bonés, chapéus e lenços) e usar produtos que tenham filtro de proteção solar. Afinal, ter uma trunfa em boas condições dá muito trabalho…!


Maria Bijóias

Título: Diga «Não!» ao cabelo espigado

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 4

761 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • Sofia NunesSofia Nunes

    14-09-2012 às 14:48:34

    Ah o cabelo espigado, esse bicho-papão de tantas mulheres que gostam de manter os cabelos compridos. Não é raro observarmos o cabelo de amigas e notar como está espigado. Na verdade, muitas são as mulheres que fogem aos cortes de cabelo, preferindo ter pontas espigadas ao cabelo curto. As pontas espigadas podem ser prevenidas, mas a solução eficaz para este problema é mesmo o corte: preferencialmente um corte das pontas de dois em dois meses.

    ¬ Responder

Comentários - Diga «Não!» ao cabelo espigado

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os 10 melhores queijos holandeses

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Alimentação
Os 10 melhores queijos holandeses\"Rua
Os holandeses são conhecidos como “cabeças de queijo”. A partir daí, podemos notar e concluir que não são apenas amantes de queijo, mas também grandes produtores.
O queijo está presente na Holanda há milhares de anos, desde os tempos de Júlio César, que ficou encantado com os queijos que encontrou no local. Desde então, os queijos holandeses dividem espaço com as flores como símbolo da cultura da Holanda, gerando a maior parte do combustível econômico do país.

Os holandeses fabricam 650 milhões de quilos de queijo por ano, exportando dois terços desse volume para outros países. São os maiores exportadores de queijo do mundo.
Além disso, cada cidadão da Holanda come por ano, em média, 15 quilos de queijo.

Conheça os 10 melhores tipos de queijos holandeses:

1- Queijo Gouda
O queijo recebe o nome da cidade onde é produzido e é responsável por dois terços de toda a produção de queijos da Holanda. É o mais famoso e copiado no mundo.
Trata-se de um queijo macio e cremoso, em formato circular, com os famosos furinhos no meio. Pode-se encontrar variações no tempero, como especiarias e ervas finas. Possui um nível elevado de gordura de 48%, mas que garante o sabor único, úmido e macio do queijo. É considerado um dos melhores queijos do mundo.

2- Queijo Edam
É facilmente reconhecido por possuir no seu interior a coloração amarelo claro e camadas vermelhas ou alaranjadas nas partes mais externas. Possui um sabor picante e é mais seco se comparado com o tipo Gouda. Por esses motivos, possui menos gordura, 40%.

3- Queijo Leiden
Possui menor teor de gordura em comparação com os anteriores por se tratar de leite coado na fabricação do queijo. É mais firme e robusto, com consistência mais rígida. Pode conter especiarias em seu interior. Possui maturação mais prolongada e é prensado, o que o torna mais firme. Além de conter pimenta cominho na preparação da sua massa, dando um sabor mais do que especial ao queijo.

4- Queijo Maasdammer
Queijo com sabor de nozes fabricado na cidade de Maasdam. Também possui os famosos buracos no seu interior e um sabor peculiar e distinto. Possui estrutura firme, consistente, devido a sua cura precoce, de aproximadamente quatro semanas.

5- Queijo Cablanca
Esse queijo de cabra é classificado de duas maneiras: um tipo é fresco e mole, mais suave e cremoso; o outro é semiduro e curado, semelhante ao aspecto dos queijos gouda.
Os primeiros possuem sabor agradável e leve, por serem mais frescos. Enquanto os segundos possuem sabor mais forte e cítrico.

6- Queijo Boerenkaas

Queijo feito essencialmente de forma artesanal, o que o torna um queijo único e exclusivo, além de mais caro que os demais. Pelo menos metade do leite utilizado na fabricação desse queijo deve ser originário de vacas que são criadas na própria fazenda produtora. Além disso, o restante do leite utilizado não pode ser proveniente de mais do que duas fazendas diferentes e próximas ao local original de produção do queijo.

7- Queijo Defumado
Esse tipo de queijo é um pouco diferente dos demais. É fabricado e praticamente finalizado, após isso, é derretido e novamente prensado em formato de embutidos. É geralmente vendido por fatia, em formato de linguiça.

8- Queijo de cravo da Frísia
É um queijo preparado de leite desnatado na região da Frísia.
Além do cominho, leva na fabricação da sua massa pitadas de cravo. Isso garante a esse queijo um sabor forte, seco e rústico. Sua consistência é firme.



9- Queijo Parrano
É um queijo de vaca que possui um sabor que combina com doces aromas.
É um queijo feito nos moldes dos queijos italianos, parecido com a textura do parmesão. Por isso mesmo, é bastante usado na gastronomia italiana.

10 – Queijo Graskaas

Esse queijo é especial pois é feito a partir do primeiro leite produzido pelas vacas após retornarem da pastagem, depois de passarem o inverno trancadas nos celeiros.

Pesquisar mais textos:

Filipe Mixa

Título:Os 10 melhores queijos holandeses

Autor:Filipe Mixa(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios