Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Barcos > No mar com um veleiro

No mar com um veleiro

Categoria: Barcos
Visitas: 2
Comentários: 1
No mar com um veleiro

O veleiro é, por assim dizer, um barco com a Matemática “à flor da pele”, ou melhor, “à flor da vela”. Efectivamente, os triângulos e quadrados que compõem o velame são meticulosamente calculados e cortados.

De outro modo, a deriva seria o destino mais clarividente e, como diz o ditado: «Barco sem rota certa não tem vento de feição».

Diz-se que as primeiras embarcações à vela surgiram nas proximidades do Mar Mediterrâneo, uma actividade exigente, mas com os gregos, e posteriormente os romanos, a fazerem uso de velas ainda toscas, que aproveitavam mais o vento a favor.

Tendo sido superado como meio de transporte pelo barco a vapor, o veleiro sobreviveu nas áreas do lazer e do desporto. Trata-se de uma embarcação que não goza da virtude da constância. Na verdade, apesar de ágil, a sua velocidade e a facilidade de se manobrar dependem do vento.

É certo que, por outro lado, não tem ruído de motor que incomode tímpanos mais sensíveis ou nervos fragilizados, que possibilita percorrer grandes distâncias, que exige pouca manutenção, que é activo, emocionante e participativo, sobretudo na parte em que proporciona um mensurável exercício físico. Praticar esgrima com o vento por meio de velas é sempre aliciante.

É, verdadeiramente, o “dois em um”.

Todavia, gostar de velejar é essencial mas não suficiente para se adquirir um veleiro. O ideal é começar por alugar ou sair em veleiros de amigos, para aferir acerca da própria adaptação ao barco, não se vá alguém “ver grego” para o manusear.

Depois, é fundamental avaliar as condições pessoais e/ou familiares, os objectivos, o tempo e o(s) lugar(es) de permanência, etcétera, porque não adianta ter um veleiro muito sofisticado se ele não se coadunar com as necessidades. Neste caso, seria palco de uma moderníssima versão do «Auto da Barca do Inferno»… 


Rua Direita

Título: No mar com um veleiro

Autor: Rua Direita (todos os textos)

Visitas: 2

743 

Imagem por: Mr. Usaji

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • SophiaSophia

    17-06-2014 às 06:43:03

    Belíssimo texto, daqueles que nos inspiram mesmo.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Comentários - No mar com um veleiro

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Manutenção Automovel

Ler próximo texto...

Tema: Automóveis
Manutenção Automovel\"Rua
Faça você mesmo a revisão do seu automóvel e poupe dinheiro em oficinas. Primeiro verifique com a ajuda de outra pessoa a iluminação exterior. Uma pessoa fica no interior do carro e liga as luzes, verifique á frente os mínimos, os médios, os máximos e os piscas. Depois atrás verifique os mínimos os stop a marcha atrás e o farol de nevoeiro.

A seguir verifique a iluminação do interior do veículo e do painel de instrumentos e a afinação do travão de mão.

Agora está na hora de verificar os filtros de ar, gasóleo e habitáculo. Dependendo da utilização eles podem fazer em média 40.00km, se estiverem sujos substitua-os por novos.

A seguir vem a mudança do óleo este em geral pode-se retirar pelo bujão de vazamento do cárter, convém substituir a anilha e o filtro de óleo. O óleo novo deve respeitar as especificações do fabricante, verificar no livro de manual de utilizador do veículo os litros de óleo do motor. Meter o óleo novo pelo bucal superior do motor com a ajuda de um funil, o nível do óleo não pode ultrapassar o máximo. Se não sabe a quantidade de óleo deite 4 litros e depois verifique o nível pela vareta de verificação de nível e vá deitando até chegar ao nível certo.

Agora é preciso verificar as pastilhas de travões, hoje em dia como quase todos os veículos têm jantes especiais consegue verificar sem desmontar as rodas. Substituir se necessário as pastilhas, ao desmontar repare como desmonta para depois voltar a montar tudo de novo. Por fim verifique a pressão dos pneus com um manómetro, a pressão indicada varia de carro pra carro se não sabe a pressão indicada ponha 2.2bar que é em média a pressão que todos utilizam.

Convém dizer que qualquer material que precise basta procurar numa loja de peças auto próxima de si ou então encomendar via net pois existem vários sites especializados em peças e materiais de manutenção auto. Vai ver que não custa nada se eu aprendi você também pode aprender e além disso fica a conhecer melhor o seu carro.

Com isto tudo pode poupar em média 200€ por cada revisão.
Obrigado e até a próxima.

Outros textos do autor:
Manutenção Automovel

Pesquisar mais textos:

Vendas Online

Título:Manutenção Automovel

Autor:Vendas Online(todos os textos)

Imagem por: Mr. Usaji

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    17-06-2014 às 04:55:10

    Há inúmeros benefícios para fazer a manutenção do automóvel, pois isso garante melhor preservação do veículo e se prolonga o uso por muitos e muitos anos.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios