Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Barcos > No mar com um veleiro

No mar com um veleiro

Categoria: Barcos
Visitas: 2
Comentários: 1
No mar com um veleiro

O veleiro é, por assim dizer, um barco com a Matemática “à flor da pele”, ou melhor, “à flor da vela”. Efectivamente, os triângulos e quadrados que compõem o velame são meticulosamente calculados e cortados.

De outro modo, a deriva seria o destino mais clarividente e, como diz o ditado: «Barco sem rota certa não tem vento de feição».

Diz-se que as primeiras embarcações à vela surgiram nas proximidades do Mar Mediterrâneo, uma actividade exigente, mas com os gregos, e posteriormente os romanos, a fazerem uso de velas ainda toscas, que aproveitavam mais o vento a favor.

Tendo sido superado como meio de transporte pelo barco a vapor, o veleiro sobreviveu nas áreas do lazer e do desporto. Trata-se de uma embarcação que não goza da virtude da constância. Na verdade, apesar de ágil, a sua velocidade e a facilidade de se manobrar dependem do vento.

É certo que, por outro lado, não tem ruído de motor que incomode tímpanos mais sensíveis ou nervos fragilizados, que possibilita percorrer grandes distâncias, que exige pouca manutenção, que é activo, emocionante e participativo, sobretudo na parte em que proporciona um mensurável exercício físico. Praticar esgrima com o vento por meio de velas é sempre aliciante.

É, verdadeiramente, o “dois em um”.

Todavia, gostar de velejar é essencial mas não suficiente para se adquirir um veleiro. O ideal é começar por alugar ou sair em veleiros de amigos, para aferir acerca da própria adaptação ao barco, não se vá alguém “ver grego” para o manusear.

Depois, é fundamental avaliar as condições pessoais e/ou familiares, os objectivos, o tempo e o(s) lugar(es) de permanência, etcétera, porque não adianta ter um veleiro muito sofisticado se ele não se coadunar com as necessidades. Neste caso, seria palco de uma moderníssima versão do «Auto da Barca do Inferno»… 


Rua Direita

Título: No mar com um veleiro

Autor: Rua Direita (todos os textos)

Visitas: 2

743 

Imagem por: Mr. Usaji

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • SophiaSophia

    17-06-2014 às 06:43:03

    Belíssimo texto, daqueles que nos inspiram mesmo.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Comentários - No mar com um veleiro

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O meu instrumento musical avariou!

Ler próximo texto...

Tema: Instrumentos Musicais
O meu instrumento musical avariou!\"Rua
É inevitável que, mais cedo ou mais tarde, um instrumento musical precise de reparação.

Mesmo que conheçamos bem o nosso instrumento e o consigamos arranjar, na maioria das vezes é necessário um técnico para o fazer com a melhor das qualidades.

Eventualmente, nem será necessário existir um problema com o instrumento, poderá ser apenas uma questão de manutenção. 

No caso de uma guitarra, por exemplo, qualquer instrumentista é perfeitamente capaz de substituir uma corda partida e tirar da guitarra o mesmo som que ela tinha.

No entanto, existem reparações, seja uma amolgadela no tampo ou uma tarraxa arrancada, que convêm ser feitas por técnicos especializados.

Por norma, as próprias casas que vendem instrumentos musicais efectuam essas reparações ou são capazes de aconselhar técnicos para as fazer.

Mediante o instrumento musical em questão, a reparação ou manutenção poderá ser mais cara. É sempre mais fácil arranjar um técnico que repare um piano do que um que arranje oboés.

Apesar de ser normal cuidar do nosso instrumento musical regularmente, os percalços acontecem todos os dias. Para os contornar, há sempre alguém que nos poderá aconselhar melhor do que nós próprios.

Apesar de poder sair mais caro, temos também a certeza de que o nosso instrumento foi arranjado por especialistas no assunto.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:O meu instrumento musical avariou!

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Imagem por: Mr. Usaji

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • luiz fabiano 18-02-2012 às 15:48:28

    boa tarde amigos preciso de um cabo flex da lcd da camera g70 se aulguem tiver mande um email obrigado

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios