Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Animais Estimação > Ter Ou Não Ter Um Bulldog?

Ter Ou Não Ter Um Bulldog?

Categoria: Animais Estimação
Ter Ou Não Ter Um Bulldog?

Vamos falar um pouco sobre os prós e contras dessa raça maravilhosa.
Primeiramente para tomar a atitude de comprar/adotar um cachorro seja qual for a raça, você deve estar preparado e ciente de que este é um ser que gera gastos no orçamento doméstico devido à alimentação, vacinas, e brinquedos para desentediar.

Acima de tudo você deve estar ciente também de que este como QUALQUER outro animal possui sentimentos (sim, para o espanto de muitos já foi comprovado cientificamente que até baratas possuem sentimentos).
O Bulldog é um cão inteligente e muito doce com a sua família. Gosta de companhia, é afetuoso e brincalhão. Dá a impressão de força, determinação e atividade. É considerado um cachorro alerta, leal, valente, corajoso, de aparência feroz, mas dotado de índole afetuosa.

São animais de porte médio. Como já foi citado, é um cão dócil e jamais irá demonstrar agressividade senão quando em situação de estresse absoluto.

Tipos de Bulldog:
Existem basicamente quatro tipos de Bulldog, iremos citá-los sem adentrar muito aos detalhes particulares de cada um deles. Temos nesta lista o Bulldog inglês, o americano, o campeiro, e o francês (no google facilmente encontrará ricos detalhes sobre cada um destes).

Para finalizar este texto e para que você possa ter ainda mais características a serem colocadas na balança na sua decisão de ter ou não um Bulldog, devemos lembrar que eles roncam (e muito), os de menores porte geralmente roncam até enquanto andam, já os maiores geralmente roncam muito enquanto dormem.

Além de roncar eles babam e acabam encostando a boca babada em nossas pernas ao pedir carinho. É um animal que fica depressivo quando não recebe atenção e isso faz com que a maioria das pessoas os crie dentro de casa, o que não é tarefa fácil já que eles são muito lindos em filmes americanos, porém na realidade exige muita higiene e cuidados.

Os preços são variados (geralmente um pouco salgados) e podem chegar à faixa de 4 ou 5 mil reais.

Eu possuo um Bulldog Campeiro e particularmente eu amo ele como um membro da família, ele é muito inteligente, de fácil adestramento, não compreende nada que é dito aos gritos, mas tudo o que é dito com calma ele corresponde da mesma forma que uma criança. E a propósito, ele ronca MUITO!


Andretti2014

Título: Ter Ou Não Ter Um Bulldog?

Autor: Andretti2014 Andretti2014 (todos os textos)

Visitas: 0

439 

Comentários - Ter Ou Não Ter Um Bulldog?

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Ler próximo texto...

Tema: Literatura
Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal\"Rua
Gertrude Stein foi uma escritora de peças de teatro, de peças de opera, de ficção, de biografia e de poesia, nascida nos Estados Unidos da América, e escreveu a Autobiografia de Alice B. Toklas, vestindo a pele, e ouvindo pela viva voz da sua companheira de 25 anos de vida, os relatos da historia de ambas, numa escrita acessível, apresentando situações caricatas ou indiscretas de grandes vultos da arte e da escrita da sua época. Alice B. Toklas foi também escritora, apesar de ter vivido sempre um pouco na sombra de Stein. Apesar de ambas terem crescido na Califórnia, apenas se conheceram em Paris, em 1907.


Naquela altura, Gertrude vivia há quatro anos com o seu irmão, o artista Leo Stein, no numero 27 da rue de Fleurus, num apartamento que se tinha transformado num salão de arte, recebendo exposições de arte moderna, e divulgando artistas que viriam a tornar-se muito famosos. Nestes anos iniciais em Paris, Stein estava a escrever o seu mais importante trabalho de início de carreira, Three Lives (1905).


Quando Gertrude e Alice se conheceram, a sua conexão foi imediata, e rapidamente Alice foi viver com Gertrude, tornando-se sua parceira de escrita e de vida. A casa, como se referiu atrás, tornou-se um local de reunião para escritores e artistas da vanguarda da época. Stein ajudou a lançar as carreiras de Matisse, e Picasso, entre outros, e passou a ser uma espécie de teórica de arte, aquela que descrevia os trabalhos destes artistas. No entanto, a maior parte das críticas que Stein recebia, acusavam-na de utilizar uma escrita demasiado densa e difícil, pelo que apenas em 1933, com a publicação da Autobiografia de Alice B. Toklas, é que o trabalho de Gertrude Stein se tornou de facto reconhecido e elogiado.


Alice foi o apoio de Gertrude, foi a dona de casa, a cozinheira, grande cozinheira aliás, vindo mais tarde a publicar algumas das suas receitas, e aquela que redigia e corrigia o que Gertrude lhe ditava. Assim, Toklas fundou uma pequena editora, a Plain Editions, onde publicava o trabalho de Gertrude. Aliás, é reconhecido nesta Autobiografia, que o papel de Gertrude, no casal, era o de marido, escrevendo e discutindo arte com os homens, enquanto Alice se ocupava da casa e da cozinha, e de conversar sobre chapéus e roupas com as mulheres dos artistas que visitavam a casa. Depois da morte de Gertrude, Alice continuou a promover o trabalho da sua companheira, bem como alguns trabalhos seus, de culinária, e um de memórias da vida que ambas partilharam.


Assim, este livro que inspirou o filme “Meia noite em Paris”, de Woody Allen, é um livro a não perder, já nas livrarias em Portugal, pela editora Ponto de Fuga.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios