Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Alimentação > Uma boa alimentação ajuda a combater cancro

Uma boa alimentação ajuda a combater cancro

Categoria: Alimentação
Visitas: 2
Uma boa alimentação ajuda a combater cancro

Está demonstrado que um regime alimentar adequado é essencial para o restabelecimento de doentes com cancro. Uma boa alimentação contribui para uma maior tolerância aos fármacos e incrementa a eficácia do tratamento, prevenindo uma hipotética desnutrição.

Na realidade, estima-se que mais de dois terços dos doentes oncológicos perde bastante peso e uma fatia de cerca de 20 por cento vem a falecer por causa da desnutrição e não da enfermidade em si. Efectivamente, muitas das terapêuticas utilizadas, nas quais se incluem a radioterapia e a quimioterapia, conduzem a uma situação de falta de apetite, à alteração do paladar e do cheiro dos alimentos ou, inclusive, à impossibilidade de ingeri-los nas porções aconselhadas. Isto terá como natural consequência a perda de peso e, eventualmente, a desnutrição, que prostram ainda mais os pacientes e mitigam a capacidade de resposta às cirurgias e aos tratamentos.

Começa a defender-se que a alimentação, no caso de patologia oncológica, funciona como terapêutica adjuvante. De facto, a nutrição apresenta grandes vantagens diante de um carcinoma: antes de mais, previne a desnutrição; por outro lado, mantém a qualidade de vida, melhora a resposta aos tratamentos, prolonga a sobrevida, reduz complicações e abrevia o tempo de internamento hospitalar.

Dado que cada doente é único e a sua condição específica, a dieta alimentar deve ser adaptada ao género de cancro, à sintomatologia e às características da própria pessoa, uma vez que a reacção e a tolerância aos tratamentos, assim como os gostos alimentares, diferem bastante de um indivíduo para outro.

Perante um quadro de falta de apetite e alterações no paladar e no olfacto, os especialistas sugerem a deglutição de alimentos mais secos (torradas ou tostas não integrais), fazer mais refeições por dia ou beber líquidos frios (ou mornos) e açucarados, fora das refeições. Envergar roupas mais largas, que não restrinjam a região abdominal e descansar sentado após as refeições também podem auxiliar.

Para lidar com a dificuldade de engolir ou mastigar, o ideal é comer somente alimentos moles ou passados (papas, sopas), evitando fritos, grelhados e assados no forno e, paralelamente, beber muita água durante o dia (no mínimo, dois litros). Em acréscimo, mastigar pastilhas elásticas ou rebuçados, ajuda a aumentar a produção de saliva.

Os tratamentos de “quimio” e “rádio” provocam, amiúde, diarreias abundantes, que podem ser combatidas através do consumo reforçado de líquidos e de alimentos contendo hidratos de carbono complexos, como a banana, que coadjuvam o funcionamento do intestino. Os cereais, vegetais muito fibrosos e outras fontes de fibra são quase proibidos nestas circunstâncias, sendo indicados para situações de prisão de ventre, à semelhança do incremento da quantidade de azeite na alimentação. O leite e o queijo devem ser postos de parte ante quadros de diarreia.

Quando o problema consta de enjoos, o melhor é limitar os alimentos ricos em gorduras (que intensificam essa sensação) e proteínas, como a carne. A solução passa, então, por escolher alimentos de mais fácil digestão (peixe, arroz, massa, batata) e ir fazendo pequenas refeições (seis a oito por dia).



Maria Bijóias

Título: Uma boa alimentação ajuda a combater cancro

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 2

772 

Comentários - Uma boa alimentação ajuda a combater cancro

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Ler próximo texto...

Tema: Informática
Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?\"Rua
Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Bom, Não é de hoje que tecnologia vem surpreendendo a todos nós com grandes revoluções e os custos que diminuem cada vez mais.
Hoje em dia é comum ver crianças com smarthphones com tecnologia que a 10 anos atrás nem o celular mais moderno e caro do mercado tinha.
Com isso surgiram sugiram vários profetas da tecnologia e visionários, tentando prever qual será o próximo passo.

E os filmes retratam bem esse tema e usam essa formula que atrai a curiosidade das pessoas.
Exemplos:

Minority report - A nova lei de 2002 (Imagem)

Transcendence de 2014

Em Transcendence um tema mais conspiratório, onde um ser humano transcende a uma consciência artificial e assim se torna imortal e com infinita capacidade de aprendizagem.
Vale a pena ver tanto um quanto o outro filme. Algumas tecnologias de Minority Report, como utilizar computadores com as mãos (caso do kinect do Xbox 360 e One) e carros dirigidos automaticamente, já parecem bem mais próximo do que as tecnologias vistas em Transcendence, pois o foco principal do mesmo ainda é um tema que a humanidade engatinha, que é o cérebro humano, a máquina mais complexa conhecida até o momento.

Eu particularmente, acredito que em alguns anos teremos realmente, carros pilotados automaticamente, devido ao investimento de gigantes como o Google e o Baidu nessa tecnologia.

Também acho que o inicio da colonização de Marte, vai trazer grandes conquistas para humanidade, porém grandes desafios, desafios esses que vão nos obrigar a evoluir rapidamente nossa tecnologia e nossa forma de encarar a exploração espacial, não como um gasto, mas sim como um investimento necessário a toda humanidade e a perpetuação da sua existência.

A única salvação verdadeira para humanidade e para o planeta terra, é que seja possível o ser humano habitar outros planetas, seja localizando planetas parecidos com a terra ou mudando planetas sem condições para a vida em planetas habitáveis e isso só será possível com gente morando nesses planetas, como será o caso do Marte. O ser humano com a sua engenhosidade, aprendeu a mudar o ambiente a sua volta e assim deixou de ser nômade e da mesma forma teremos que aprender a mudar os mundos, sistemas, galáxias e o universo a nossa volta.

Espero que tenham gostado do meu primeiro texto.
Obrigado à todos!
Até a Próxima!


Pesquisar mais textos:

Érico da Silva Kaercher

Título:Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Autor:Érico da Kaercher(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios