Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Alimentação > Como fazer pão caseiro recheado

Como fazer pão caseiro recheado

Categoria: Alimentação
Como fazer pão caseiro recheado

Quem não gosta de pão, bom sujeito não é. Pão me faz recordar de tempos antigos. Jesus mesmo comeu pão e compartilhou com os seus discípulos. Afinal, ele é o pão da vida que desceu do céu para salvar os homens. Com certeza, há muitos tipos de pães. Ninguém fica sem o seu pãozinho de manhã, rsrs. Ele é alimento consumido por todas as classes sociais.

O dicionário diz assim “É alimento feito de farinha amassada, geralmente fermentada, e cozida no forno”. Com diria Sherlock Homes: “Isso é elementar, meu caro Watson”! O que quero dizer é que o pão evoluiu ganhando novos ingredientes e alterações no sabor. Mas vamos ao que interessa? Ultimamente tenho assistido a vários vídeos sobre culinária e estudado bastante sobre o assunto. Converso com as pessoas buscando informações. Sabedoria popular, compreende?

Aprecio muito a comidinha caseira da minha esposa. Recentemente, juntos fizemos um delicioso pão caseiro recheado. E, como não somos egoístas, tivemos a idéia de postar a receita aqui no blog. É só seguir o passo a passo, ok?

Ingredientes:
3 xícaras: farinha de trigo
1 xícara: óleo
1 xícara: leite ou água (à sua escolha)
3 ovos (2 p/ massa – 1 p/ pincelar o pão)
1 colher de sopa de açúcar
1 pitada de sal
2 colheres de fermento de pão

Ingredientes do recheio
250 g de queijo parmesão fatiado
250: presunto
100 g: tomate seco
1 pitada de orégano

1) Misture os ingredientes secos: farinha, açúcar. Depois acrescente coloque os ovos e o óleo.

2) Pegue o fermento e misture na água (morna) ou leite morno.

3) Coloque o leite ou a água na massa e misture bem sovando até ficar fofa e desgrudada.

4) Reserve-a numa vasilha. O tempo deverá ser de 15 minutos.

5) Ligue o forno, pegue a massa dividindo-a em duas partes. Abra a massa com um rolo, mas não a deixe muito fina. Pegue os recheios e coloque uma camada de parmesão, uma de presunto e outra de tomate seco. Salpique por cima o orégano.

6) Enrole a massa até a metade. E repita o processo novamente com o recheio e termine de enrolar. Pegue uma gema, mexa e pincele o pão. Coloque-o pra assar em forno de 200 graus. Em torno de 25 a 30 minutos, estará pronto.

Dicas

Se você quiser poderá substituir os recheios: salsicha picada, sardinha, peito de frango desfiado, cereais (castanha de caju, do Pará, linhaça.)

Obs.: os molhos devem estar, levemente, úmidos. Sem líquido nenhum para não furar a massa.
Concluindo, siga o passo a passo com atenção. Muito cuidado com o tempo de descanso da massa (15 minutos). Observar a quantidade de cada ingrediente da receita também é relevante. Depois é só chamar os amigos para degustar.

Abraço


Elcias Monteiro do Nascimento

Título: Como fazer pão caseiro recheado

Autor: Elcias Monteiro Nascimento (todos os textos)

Visitas: 0

632 

Comentários - Como fazer pão caseiro recheado

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Habitação – Evolução qualidade/Preço

Ler próximo texto...

Tema: Alojamento
Habitação – Evolução qualidade/Preço\"Rua
Hoje vivemos dias muito complicados do ponto de vista económico, uma vez que a nossa sociedade moderna consumista tem acarretado para as famílias a triste ideia de que temos que possuir tudo o que existe para ser possuído.

Relativamente ao assunto especifico da habitação, com o passar dos tempos, as pessoas têm adquirido as suas casas em função do que há no mercado, e este mercado tem evoluído de uma forma perigosa em termos de custos; o que quero dizer com isto, é que há vinte anos atrás, encontrávamos apartamentos no mercado, e tenho por base um apartamento T3 que tinha 3 quartos conforme a tipologia descrita, naquele tempo uma cada de banho, uma sala de estar/jantar conjunta e talvez uma varanda, hoje o mesmo apartamento terá os três quartos, a sala, duas casas de banho das quais uma poderá estar num dos quartos a que passou a chamar-se suite, este apartamento hoje, tem forçosamente que ter pré instalação para aquecimento central, lareira com recuperador de calor, e muito provavelmente aspiração central, ou pelo menos a pré instalação… Assim, quem compra um apartamento hoje, apesar das dimensões de cada divisão estarem diminuídas, o preço foi muito incrementado pelos extras, e depois há ainda que adquirir uma caldeira para fazer funcionar a tal pré-instalação de aquecimento central, os radiadores porque sem eles o dito não funciona, naturalmente o trabalho do técnico… há ainda que adquirir em muitos casos o aspirador propriamente dito para fazer funcionar a aspiração central, e algumas coisas mais, acessórios dos quais, antes não tínhamos necessidade.

Não quero dizer com isto, que estes equipamentos não são úteis, são, mas e aquelas pessoas que compraram os seus apartamentos há uns tempos, cujos espaços não dispunham destas “modernices” como viveram? Como vivem hoje? Provavelmente aqueles que tiveram disponibilidade económica para isso, colocaram nas suas habitações, aquilo que julgaram necessário, não colocaram aquilo que não lhes é útil de todo, por outro lado aqueles que não tiveram disponibilidade económica vivem sem os equipamentos em questão, ou colocam um equipamento à dimensão das suas possibilidades. O real problema é que os referidos equipamentos valorizaram muito mais as habitações em termos de preço de compra do que o valor real dos mesmos, e as pessoas, estão apagar vinte ou trinta anos, para não dizer mais, um bom valor acima do que pagariam sem estas coisas, além disso comprariam aquilo que quisessem e pudessem.

Para além do exposto, a qualidade de construção e acabamentos não melhorou, antes pelo contrário. Hoje o valor das casas está a decair rapidamente, e as pessoas em geral vivem em casas cujos valores atuais de mercado são muito inferiores ao que estarão a pagar durante muito tempo…

Naturalmente o mercado poderá mudar, mas não é esse o caminho que parece seguir.

Pesquisar mais textos:

Ana Sebastião

Título:Habitação – Evolução qualidade/Preço

Autor:Ana Sebastião(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    21-04-2014 às 17:09:01

    A compra seja de apartamento ou casa estão mais caras e nem sempre oferecem serviços como mostram na divulgação. Não é bom financiar, pois custará o dobro. Realmente, o melhor a fazer é buscar preços que têm condições de pagar ou aderir a um consórcio.

    ¬ Responder
  • Sofia Nunes 13-09-2012 às 17:07:44

    Na minha opinião e de acordo com o que tenho observado, a relação qualidade/preço das habitações está a melhorar. E isso não é necessariamente bom, uma vez que é resultado da crise económica. Como refere, o valor das casas está a descer, pelo que se pode comprar uma vivenda pelo preço que há uns anos era de um apartamento. O problema é que, apesar de as casas estarem mais baratas, os compradores não têm dinheiro.

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios