Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Alimentação > Benefícios do óleo vegetal

Benefícios do óleo vegetal

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Alimentação
Visitas: 6
Comentários: 4
Benefícios do óleo vegetal

Fazer menção aos benefícios de uma gordura, como é o óleo vegetal, pode soar a contrassenso, numa altura em que se aconselha vivamente a redução da sua ingestão. Não obstante, as gorduras são essenciais à vida humana, considerando a OMS que devem constituir 15 a 30 por cento da energia diária. Nesta perspetiva, os óleos vegetais aparecem como gorduras saudáveis, as insaturadas, procedendo de sementes de plantas comuns, como o girassol, a soja, o amendoim e o milho.

O óleo de girassol é rico em ácidos gordos essenciais ómega 6, indispensável a um crescimento e a um desenvolvimento saudáveis do organismo e, simultaneamente, redutor do risco de doenças cardiovasculares e do colesterol, e auxiliador da função vascular e do sistema imunitário. Paralelamente, é ainda abundante em vitamina E, poderoso antioxidante que coadjuva a protelação do envelhecimento das células e dos tecidos, concorrendo também para o fortalecimento das defesas do organismo.

O óleo de soja, para além de rico em ómega 6, é-o, igualmente, em ómega 3. Este último é um nutriente que ajuda o saudável funcionamento do sistema nervoso, imunitário (possui ação anti-inflamatória) e coronário. À semelhança do óleo de girassol, é farto em vitamina E.

O óleo de amendoim patenteia alto teor de ácidos gordos monoinsaturados e quantidades relativamente elevadas de ácidos gordos saturados. Trata-se de um dos óleos vegetais mais resistentes a altas temperaturas. Tem um sabor característico, muito apreciado em certos pratos. Contudo, pessoas com alergia ao amendoim, sobretudo crianças, NÃO O PODEM CONSUMIR!

O óleo de milho é forte em ácidos gordos polinsaturados, nomeadamente ómega 6. Em acréscimo, abundam as vitaminas E e A (que reforça o sistema imunitário e beneficia a visão).

A ingestão de óleo vegetal (em cozinhados, saladas, …) permite tornar disponíveis determinados nutrientes de que o organismo carece e não tem capacidade de produzir. É o caso dos ácidos gordos essenciais, assim chamados por isto mesmo. Isentos de colesterol (como aliás todos os alimentos de origem vegetal), os óleos vegetais são preciosas ferramentas na culinária, podendo ser utilizados em parceria com ervas aromáticas, especiarias, alho e cebola, no sentido de reduzir a quantidade de gordura empregue.

De salientar que a fração de gordura retida nos alimentos fritos varia de acordo com o tamanho do alimento, sendo que, quanto menor for a sua dimensão, mais gordura absorverá. Por outro lado, deve evitar-se colocar o lume no máximo e deixar o óleo aquecer muito. É recomendável que a fritura se processe a 180ºC, pois as temperaturas mais altas aceleram a deterioração do óleo e as mais baixas favorecem maior penetração de gordura nos alimentos. Outra dica é fritar pequenas porções de cada vez.

Para tirar o máximo partido da fritura, há que tapar o recipiente, a fim de acautelar uma excessiva exposição ao ar. Os alimentos a fritar devem ser previamente enxugados, dado que a água contribui para antecipar a corrupção dos óleos vegetais. Quando se acaba de fritar, e para absorver o óleo em demasia, escorrem-se bem os alimentos em papel absorvente e deixa-se arrefecer o óleo antes de o guardar (depois de devidamente filtrado) num recipiente protegido da luz e tapado. O óleo não deve ser reutilizado se ostentar uma cor escurecida, sintomática da alteração das suas características.

Utilizado com conta, peso e medida na alimentação, o óleo vegetal logra proveitos para a saúde, em termos de promoção das defesas naturais e do vigor do sistema cardiovascular, bem como da diminuição do risco de acidentes vasculares cerebrais e de enfartes. É ainda a principal fonte de vitamina E, com excepcional acção antioxidante.


Maria Bijóias

Título: Benefícios do óleo vegetal

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 6

771 

Imagem por: RuTemple

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 4 )    recentes

  • SophiaSophia

    15-06-2014 às 16:14:16

    Há vitamina E presente nos óleos vegetais, além de contribuir para alívio de TPM e menopausa. Claro, devem ser ingeridos de maneira equilibrada.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder
  • Rodrigo

    25-05-2013 às 19:49:50

    Dizer que o Omega 6 faz bem a saúde das pessoas é no mínimo uma atitude irresponsável, estas informações são mentirosas, pois que conhece um minimo de BioQuímica Básica vai refutar veementemente tais afirmações.

    A soja então é a maior mentira já inventada pelo Governo e pela indústria que manipula pesquisas pseudo científicas para enganar médicos e nutricionistas desinformados ou mal-informados a concordarem que a soja traz benefícios a saúde, quando na verdade traz mais malefícios do que o que defendem médicos e nutricionistas desinformados.

    ¬ Responder
  • ryan

    01-02-2013 às 10:30:51

    aprendir muito com isso meus amigos se asustaram kkk

    ¬ Responder
  • johanna zieglerjohanna ziegler

    16-03-2011 às 15:43:50

    onde encontrar oleo de girassol ke é envazado a frio?? abraços hanni

    ¬ Responder

Comentários - Benefícios do óleo vegetal

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Habitação – Evolução qualidade/Preço

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Alojamento
Habitação – Evolução qualidade/Preço\"Rua
Hoje vivemos dias muito complicados do ponto de vista económico, uma vez que a nossa sociedade moderna consumista tem acarretado para as famílias a triste ideia de que temos que possuir tudo o que existe para ser possuído.

Relativamente ao assunto especifico da habitação, com o passar dos tempos, as pessoas têm adquirido as suas casas em função do que há no mercado, e este mercado tem evoluído de uma forma perigosa em termos de custos; o que quero dizer com isto, é que há vinte anos atrás, encontrávamos apartamentos no mercado, e tenho por base um apartamento T3 que tinha 3 quartos conforme a tipologia descrita, naquele tempo uma cada de banho, uma sala de estar/jantar conjunta e talvez uma varanda, hoje o mesmo apartamento terá os três quartos, a sala, duas casas de banho das quais uma poderá estar num dos quartos a que passou a chamar-se suite, este apartamento hoje, tem forçosamente que ter pré instalação para aquecimento central, lareira com recuperador de calor, e muito provavelmente aspiração central, ou pelo menos a pré instalação… Assim, quem compra um apartamento hoje, apesar das dimensões de cada divisão estarem diminuídas, o preço foi muito incrementado pelos extras, e depois há ainda que adquirir uma caldeira para fazer funcionar a tal pré-instalação de aquecimento central, os radiadores porque sem eles o dito não funciona, naturalmente o trabalho do técnico… há ainda que adquirir em muitos casos o aspirador propriamente dito para fazer funcionar a aspiração central, e algumas coisas mais, acessórios dos quais, antes não tínhamos necessidade.

Não quero dizer com isto, que estes equipamentos não são úteis, são, mas e aquelas pessoas que compraram os seus apartamentos há uns tempos, cujos espaços não dispunham destas “modernices” como viveram? Como vivem hoje? Provavelmente aqueles que tiveram disponibilidade económica para isso, colocaram nas suas habitações, aquilo que julgaram necessário, não colocaram aquilo que não lhes é útil de todo, por outro lado aqueles que não tiveram disponibilidade económica vivem sem os equipamentos em questão, ou colocam um equipamento à dimensão das suas possibilidades. O real problema é que os referidos equipamentos valorizaram muito mais as habitações em termos de preço de compra do que o valor real dos mesmos, e as pessoas, estão apagar vinte ou trinta anos, para não dizer mais, um bom valor acima do que pagariam sem estas coisas, além disso comprariam aquilo que quisessem e pudessem.

Para além do exposto, a qualidade de construção e acabamentos não melhorou, antes pelo contrário. Hoje o valor das casas está a decair rapidamente, e as pessoas em geral vivem em casas cujos valores atuais de mercado são muito inferiores ao que estarão a pagar durante muito tempo…

Naturalmente o mercado poderá mudar, mas não é esse o caminho que parece seguir.

Pesquisar mais textos:

Ana Sebastião

Título:Habitação – Evolução qualidade/Preço

Autor:Ana Sebastião(todos os textos)

Imagem por: RuTemple

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    21-04-2014 às 17:09:01

    A compra seja de apartamento ou casa estão mais caras e nem sempre oferecem serviços como mostram na divulgação. Não é bom financiar, pois custará o dobro. Realmente, o melhor a fazer é buscar preços que têm condições de pagar ou aderir a um consórcio.

    ¬ Responder
  • Sofia Nunes 13-09-2012 às 17:07:44

    Na minha opinião e de acordo com o que tenho observado, a relação qualidade/preço das habitações está a melhorar. E isso não é necessariamente bom, uma vez que é resultado da crise económica. Como refere, o valor das casas está a descer, pelo que se pode comprar uma vivenda pelo preço que há uns anos era de um apartamento. O problema é que, apesar de as casas estarem mais baratas, os compradores não têm dinheiro.

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios