Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Viagens > Arquipélago de Cabo Verde

Arquipélago de Cabo Verde

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Viagens
Visitas: 2
Comentários: 5
Arquipélago de Cabo Verde

São dez ilhas e cinco ilhéus, todos de origem vulcânica (o ponto mais alto é precisamente o vulcão do pico do Fogo), que formam o arquipélago de Cabo Verde, perfazendo uma superfície de 4033km quadrados. Com uma temperatura média de 24ºC, Cabo Verde tem um clima tropical seco com duas estações: de novembro a julho é época da estação quente, sendo que a estação húmida compreende o período entre agosto e outubro. Mesmo na estação húmida as temperaturas mantêm-se amenas, variando entre os 19 e os 25ºC. A capital de Cabo Verde é Praia, a língua oficial é o português (falando-se também crioulo) e a religião é predominantemente católica.

Os marinheiros portugueses encontraram as ilhas de Cabo Verde corria o ano de 1460 e, devido à sua posição geográfica privilegiada, serviram durante muito tempo ao comércio marítimo, destacadamente o tráfico de escravos. Com o declínio e posterior término deste, muitos europeus abandonam Cabo Verde, entrando o arquipélago em recessão económica. A isto acresce as más condições climatéricas, com largos períodos de seca (não é infrequente não se verificar precipitação em Cabo Verde durante alguns anos consecutivos). Ora, sendo a economia cabo-verdiana após a debandada dos europeus baseada na agricultura, em ilhas com falta de precipitação, é possível imaginar o pobre estado em que economia cabo-verdiana se encontrava mergulhada. Com a independência de Cabo Verde face a Portugal, em 1975, o governo investiu nas áreas rurais. Nos dias que correm, são as importações que estão na base da economia cabo-verdiana, mantendo-se no entanto sensivelmente metade da população ativa dedicada à agricultura, pese embora as dificuldades da sua prática. A seca é uma característica tão típica do arquipélago de Cabo-Verde que é uma das principais, senão a principal, causa do forte movimento de emigração que é sentido.

Durante a ocupação europeia, na sua maioria portuguesa, as relações entre cabo-verdianos negros e caucasianos deram origem aos mestiços, que compõem hoje a maioria da população das ilhas. E se isto conferiu um cariz único à população cabo-verdiana, não foi apenas no plano étnico que se fez sentir: também a língua crioula, a música e a gastronomia distinguem Cabo-Verde.

Sofia Nunes

Título: Arquipélago de Cabo Verde

Autor: Sofia Nunes (todos os textos)

Visitas: 2

636 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 5 )    recentes

  • Luene ZarcoLuene

    29-09-2014 às 14:44:12

    Adorei saber sobre o Arquipélago de Cabo Verde. Obrigada!

    ¬ Responder
  • SophiaSophia

    20-04-2014 às 17:03:26

    A Rua Direita recomenda a todos conhecerem!

    ¬ Responder
  • lisa

    03-07-2013 às 12:06:52

    isso e uma carnisa

    ¬ Responder
  • lisa

    03-07-2013 às 12:06:11

    isso e uma carnisa

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de Climatizaçãolisa

    03-07-2013 às 12:05:14

    isso e uma carnisa

    ¬ Responder

Comentários - Arquipélago de Cabo Verde

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Dicas para decorar salas pequenas.

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Decoração
Dicas para decorar salas pequenas.\"Rua
A realidade das grandes cidades é que a maioria das pessoas mora em espaços pequenos. É fato também que todos desejam ter um ambiente acolhedor e aconchegante para receber amigos. Em contrapartida, na medida em que os espaços encolhem, a quantidade de aparelhos eletrônicos que utilizamos aumenta cada vez mais. Há ainda quem use a sala como home-office.

Nesta busca de inspiração para organizar e incrementar sua sala, encontramos uma série de sites especializados e blogs com muitas, muitas ideias. O conceito de D.I.Y. (do it yourself) que significa "faça você mesmo” nunca esteve tão na moda. É uma alternativa para reduzir gastos com mão de obra e nada melhor do que criar um espaço com um toque todo seu. Inspirações e ideias não faltam. Hoje, de certa forma todos nos sentimos meio decoradores.

Mas planejar a decoração de uma sala pequena exige alguns cuidados para que o ambiente não fique entulhado de móveis, disfuncional ou até mesmo desagradável.

Confira algumas dicas para decorar sua sala com estilo e valorizando seu espaço:
Os espelhos, além da autocontemplação, causam efeitos interessantes. Aplicados, por exemplo, em uma parede inteira pode duplicar a amplitude do ambiente. Pode ser usado também em móveis, tetos, em diversos formatos e valorizar a luminosidade da decoração.

As cores tem poder de causar sensações. Em ambientes com pouco espaço, elas podem colaborar para que a sensação de amplitude possa tanto aumentar quanto diminuir. Para pintar as paredes de sua sala aposte em cores claras. O teto com uma cor mais clara que a das paredes, por exemplo, pode simular uma elevação do teto, já em uma cor mais escura, promoverá uma sensação de rebaixamento do teto.

A escolha e posição dos móveis são um aspecto muito importante. Opte por poucos móveis, nunca de tamanhos exagerados e posicione-os de forma que valorize o espaço. Móveis que misturam poucos materiais, baixos e com linhas retas proporcionam leveza ao ambiente.

Uma solução muito interessante para espaços pequenos é a utilização de prateleiras. Caixas para produtos horto frutícolas reformadas podem se tornar lindas prateleiras. Mas cuidado com a profundidade, para não atrapalhar na disposição de outros móveis e objetos.

Móveis multifuncionais ou móveis inteligentes são excelentes alternativas para uma sala pequena. Um bom exemplo são pufes, que podem ser usados como mesas de centro ou ficarem alojados debaixo de aparadores e quando recebemos visitas podem se transformar em assentos extras. Mesas dobráveis também são uma ótima opção.

Escolher o mesmo piso ou revestimento pode dar a impressão de área maior, de continuidade. Mudanças drásticas de um ambiente para outro pode causar a sensação de divisão e consequentemente fazer parecer menor.

Algumas outras dicas: um sofá retrátil ou reclinável garante muito mais conforto e ocupa o espaço de um sofá simples. Suporte ou painéis móveis para TV possibilitam que ela seja movida na direção desejável. Caso o ambiente tenha escadas, escolher um modelo de escadas vazadas evita divisões e pode se tornar uma peça de destaque na sala. E para as cortinas, escolha tecidos leves, lisas e sem estampas.

De qualquer forma, ouse, não tenha medo de arriscar, crie, não copie, só assim será seu!

Luciana Santos.

Outros textos do autor:
Dicas para decorar salas pequenas.

Pesquisar mais textos:

Luciana Maria dos Santos

Título:Dicas para decorar salas pequenas.

Autor:Luciana Maria Santos(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Carlos Rubens Neto 16-06-2016 às 16:20:24

    Excelente matéria! Parabéns Luciana ;)

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios