Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Viagens > Amarante – terra de S. Gonçalo

Amarante – terra de S. Gonçalo

Categoria: Viagens
Comentários: 1
Amarante – terra de S. Gonçalo

Amarante é uma cidade fundada sob o aspecto religioso e a Natureza. O Convento de S. Gonçalo por um lado, e o bucolismo das margens do rio Tâmega por outro, Amarante viu nascer Amadeu de Souza Cardoso, Teixeira de Pascoaes e Agustina Bessa-Luís, entre outros, ou não fosse uma cidade de cultura e arte.

Amarante nasce no século xiii, quando um pregador com fama de santo decidiu onstruir ali uma ermida. A fama desse homem de Deus foi o mote para agremiar pessoas para aquele lugar, começando assim o desenvolvimento da cidade que hoje reflecte sobremaneira o carácter religioso da sua fundação.

A Praça da República alberga a imponência da Igreja e Convento de S. Gonçalo. Este último foi começado a edificar em 1540 pelo rei D. João III e respectiva esposa, a rainha Catarina, demorou oitenta anos a construir e constitui um dos monumentos do Norte do país com maior expressão. A igreja patenteia um portal lateral com três andares de colunelos de estilo renascentista italiano, rematados por um frontão branco, ocupando a estátua de S. Gonçalo o nicho central do primeiro andar. O túmulo de S. Gonçalo está na capela situada à esquerda da capela-mor. À esquerda do portal, e numa atitude provável de homenagem encontram-se as estátuas dos quatro reis correspondentes aos reinados de construção do mosteiro.

A Ponte de S. Gonçalo, construída em granito no final do século xvii, é uma das imagens de marca da cidade. A placa de mármore fixada num dos obeliscos que guardam a entrada da ponte recorda a defesa e a vitória do general Silveira, futuro conde de Amarante, que a 2 de Maio de 1809 defrontou as tropas napoleónicas. Esta ponte permite contemplar as calmas águas do Tâmega e a paisagem em redor. Descendo para o Museu Municipal Amadeu de Souza Cardoso, o visitante depara-se com uma estátua de Teixeira de Pascoaes, grande poeta oriundo da cidade. Não muito longe daqui está a agradável praia fluvial da Aurora e realiza-se o mercado.

As igrejas de S. Pedro e de S. Domingos (que actualmente acolhe o Museu de Arte sacra), o Solar dos Magalhães e a Casa da Cerca (onde funciona a biblioteca municipal) compõem o centro histórico de Amarante, simplesmente imperdível.

Amarante é, como já se percebeu, uma cidade repleta de atractivos dignos de, pelo menos, um fim-de-semana. Descobrir a combinação perfeita entre História e Natureza é a proposta. Aceita o desafio?


Maria Bijóias

Título: Amarante – terra de S. Gonçalo

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 0

626 

Imagem por: Jsome1

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • SophiaSophia

    13-06-2014 às 18:27:08

    Muito interessante essa Amarante ter sido fundada em meio a natureza. Amei o lugar|!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Comentários - Amarante – terra de S. Gonçalo

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.