Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Utilidades Domésticas > Nas Finanças Lá de Casa

Nas Finanças Lá de Casa

Comentários: 1
Nas Finanças Lá de Casa

Nos dias que correm, quem gere as finanças de uma casa tem de saber e conhecer todas as acrobacias dignas de um verdadeiro artista. Gerir é complicado e tendo em conta que os ordenados são cada vez mais baixos perante a vida cada vez mais cara, a ginástica do dinheiro é uma verdadeira aventura.

Mas se para os casais que já tem uma vida em comum, algumas arestas ainda tem de ser limadas para que as finanças corram bem, quando se decide comprar casa e fazer uma vida em comum, os planos podem ir por água-abaixo.

Para que não tenha surpresas, veja alguns truques para controlar despesas e para se preparar para as finanças de uma vida a dois.

Quando decidir arrendar ou comprar uma casa tenha em atenção alguns fatores. No arrendamento terá de contar com 2 rendas logo no início (a 1ª renda e o valor da caução) e no caso de querer comprar as despesas são ainda maiores. Custos de processo, avaliação da casa, escritura, a própria prestação, condomínios, seguros, etc…

Quando já tem casa, espreite os valores com os gastos com a luz, a água e o gás. Se não tem qualquer ideia de quanto uma casa gasta, pergunte à sua mãe. Ela saberá e tem a experiencia que neste momento está a precisar.

Lembre-se que tem de comer. Aqui contabilize as despesas do comer para o mês inteiro, tendo em conta as que faz no inicio do mês e as que acaba por comprar quase todos os dias como os frescos.

Quem tem uma casa tem de contar com despesas de manutenção. Detergentes, lâmpadas que são necessárias trocar ou até mesmo o micro-ondas que pode avariar. Lembre-se que tem ainda as despesas do seu dia a dia como os transportes que utiliza para ir trabalhar, o almoço fora todos os dias e o café que bebe fora de casa.

Estas despesas são só um começo de uma vida a dois, independentes e soltos das asas dos pais. Quando decidir ir viver com a sua cara-metade, faça um orçamento, acrescentando sempre um pequeno valor que deve considerar como eventualidades. Com este orçamento veja a ginástica e a gestão que vai ter de fazer com o ordenado dos dois.

De certa forma é bom que um dos parceiros gira as economias da casa e se colocar algumas despesas a serem pagas por debito, vai facilitar a vida.

Manter as contas em dia e gerir da melhor forma as economias da sua casa é meio caminho andado para uma relação feliz. Sobrar algum dinheiro para que cada um faça dele o que bem entender é saudável. Não tente controlar o dinheiro que o outro ganha, se ele contribui para a casa da mesma forma que você.


Carla Horta

Título: Nas Finanças Lá de Casa

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 0

606 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • SophiaSophia

    05-06-2014 às 19:17:44

    Faça de tudo para não pagar juros, taxas, multas de boletos, isso são desperdícios de dinheiro e comprometem as finanças. Viva sob controle e não deve-se gastar a mais do que se ganha!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Comentários - Nas Finanças Lá de Casa

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Fine and Mellow

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Música
Fine and Mellow\"Rua
"O amor é como uma torneira
Que você abre e fecha
Às vezes quando você pensa que ela está aberta, querido
Ela se fechou e se foi"
(Fine and Melow by Billie Holiday)

Ao assistir a Bio de Billie Holiday, ocorreu-me a questão Bluesingers x feminismo, pois quem ouve Blues, especialmente as mais antigas, as damas dos anos 10, 20, 30, 40, 50, há de pensar que eram mulheres submissas ao machismo e maldade de seus homens. Mas, as cantoras de Blues, eram mulheres extremamente independentes; embora cantassem seus problemas, elas não eram submissas a ponto de serem ultrajadas, espancadas... Eram submissas, sim, ao amor, ao bom trato... Essas mulheres, durante muito tempo, tiveram de se virar sozinhas e sempre que era necessário, ficavam sós ou mudavam de parceiros ou assumiam sua bissexualidade ou homossexualidade efetiva. Estas senhoras, muitas trabalharam como prostitutas, eram viciadas em drogas ou viviam boa parte entregues ao álcool, merecem todo nosso respeito. Além de serem precursoras do feminismo, pois romperam barreiras em tempos bem difíceis, amargavam sua solidão motivadas pelo preconceito em relação a cor de sua pele, como aconteceu a Lady Day quê, quando tocava com Artie Shaw, teve que esperar muitas vezes dentro do ônibus, enquanto uma cantora branca cantava os arranjos que haviam sido feitos especialmente para ela, Bilie Holiday. Foram humilhadas, mas, nunca servis; lutaram com garra e competência, eram mulheres de fibra e cheias de muito amor. Ouvir Billie cantar Strange Fruit, uma das primeiras canções de protestos, sem medo, apenas com dor na alma, é demais para quem tem sentimentos. O brilho nos olhos de Billie, fosse quando cantava sobre dor de amor ou sobre dor da dor, é insubstituível. Viva elas, nossas Divas do Blues, viva Billie Holiday, aquela que quando canta parte o coração da gente; linda, magnifica, incomparável, Lady Day.

O amor vai fazer você beber e cair
Vai fazer você ficar a noite toda se repetindo

O amor vai fazer você fazer coisas
Que você sabe que são erradas

Mas, se você me tratar bem, querido
Eu estarei em casa todos os dias

Mas, se você continuar a ser tão mau pra mim, querido
Eu sei que você vai acabar comigo

Pesquisar mais textos:

Sayonara Melo

Título:Fine and Mellow

Autor:Sayonara Melo(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios