Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > Os embriões

Os embriões

Categoria: Saúde
Comentários: 1
Os embriões

O início da vida humana se dá quando o espermatozóide fecunda o óvulo. As células embrionárias humanas são pluripotentes e que pode salvar vidas. A verdade é que estas células não apresentam divisão assimétrica como às células-tronco. Elas são imortalizadas e são semelhantes às células cancerígenas; que se multiplicam rapidamente e quando se diferenciam logo morrem não se renova. Elas não se fixam nos nichos das células-tronco adultas presentes no organismo. Os corpos embrioides injetados são rejeitados imunologicamente e se injetados em animais imunossuprimidos geram câncer de caráter embrionário.

As células embrionárias podem transformar em todos os tecidos. A verdade é que tal afirmação baseia-se no desenvolvimento embrionário, mas tal fato não foi demonstrado até hoje por problema metodológico: não existe uma tecnologia que permita distinguir todos os tipos de células do organismo humano. As células embrionárias têm como fonte única o embrião que necessita ser estourado para se obter sua massa celular interna. Foi apresentada uma significativa melhora no método de obtenção das células IPC, num encontro sobre células-tronco, em Nova York, por John Sundsmo, presidente da Prime Gen. Irvine, CA, EUA.

De acordo com Sundsmo, células de pele, de rim e retina incorporaram partículas de carborno que transportavam em umas superfícies de proteínas responsáveis pela transformação destas células em células pluripotentes, mais rapidamente e com eficiência 1000 vezes maior, e sem ricos de produzirem cânceres. O processo está sendo patenteado. Mais é interessante que isto seja tão importante e ainda não foi divulgada, nem mesmo pelos meios de comunicação científicos. Dizem que embriões humanos congelados por mais de 3 anos vão para o lixo pois não geram uma pessoa. Mas a verdade é que tem embrião humano congelado por até 13 anos que resultou numa criança saudável. São vários os exemplos que podem ser encontrados em pesquisas.

Ao descongelar já é possível identificar se as células estão boas. Se estiverem vacuolizadas estão em processo de morte e não serve para nada, pois não se obtém culturade de células mortas. Querem comparar o embrião na fase de blastocisto com o paciente descerebrado do qual se colhe os órgãos para transplante. A verdade é que o embrião contém o programa completo para gerar não só o cérebro como todos os demais órgãos, o que não ocorre com a morte cerebral que é irreversível. As lesões de espinha dorsal só têm solução com transplante de células embrionárias humanas. Portanto há muita contraversão ainda sobre embrião.

Apesar de muitos serem favorável à pesquisa com células embrionárias (por outras razões, diga-se de passagem) e que, quem estuda sobre estas conexões concorda plenamente com estes autores (Hess e Borlongan). Que Se trata de uma hipótese muito remota de que as células embrionárias humanas servirão para terapia celular. Finalmente, durante uma conferência, que foi organizada pela Associação Nacional para a Defesa do Direito à Objeção de Consciência (ANDOC) na Academia de Medicina de Granada, a pesquisadora Natália López Moratalla, catedrática de Bioquímica da Universidade de Navarro, afirmou que hoje a pesquisa derivou decididamente para o emprego das células-tronco ‘adulta’, que é extraída do próprio organismo, e que já está dando resultados na cura de doentes.

Segundo os médicos existe cerca de 600 protocolos que utilizam células-tronco adultas, e não se apresentou nenhum com células de origem embrionárias. As células adultas possuem o mesmo potencial de crescimento e diferenciação das células-tronco embrionárias e substituem muito bem as possibilidades biotecnológicas sonhadas para aquelas. As últimas descobertas sobre as possibilidades terapêuticas das células-tronco adultas, que põem em suspeita abertamente as duas grandes promessas. Portanto, a previdência pela nova lei espanhola de biomedicina: que o uso e criação de embriões para pesquisa é a chamada clonagem terapêutica.

O grave problema ético já conhecido como a destruição indiscriminada de milhares de embriões humanos, que se unem evidências científicas para que questionem cada vez mais, para sua utilidade terapêutica, afirmou os pesquisadores. As células-tronco embrionárias fracassaram. Caiu pelo peso de sua própria irracionalidade, o uso terapêutico de células provenientes de embriões é gerado por fecundação, ou seja, células humanas provenientes da transferência nuclear a óvulos (o que se conhece como clonagem terapêutica), e reiterou. Tendo em vista os esclarecimentos acima seria ético que se parasse com esse engodo e que sugere que, as células embrionárias humanas, obtidas com a morte de embriões humanos, vão fazer paralíticos andar, cego enxergar, etc.

A verdade de acordo com Dr. DC Hess e CV Borlongan (Cell Proliferation, 2008 neurological desases, é que o cisto, a cavidade que se forma no local da lesão, é o grande obstáculo para a solução com transplante de células, ou que sejam células embrionárias, ou seja, célula tronca adulta. Seja o mesmo que as utilizadas nas células expandidas sobre um arcabouço, não se tem a formação das conexões entre as células nervosas de maneira correta. Em outras palavras não se pode acreditar que o embrião não seja uma vida.



Waldiney Melo

Título: Os embriões

Autor: Waldiney (todos os textos)

Visitas: 0

628 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • maria teixeiramaria teixeira

    03-06-2011 às 19:38:37

    o emmmkkkfffggg

    ¬ Responder

Comentários - Os embriões

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Receptores digitais

Ler próximo texto...

Tema: TV HIFI
Receptores digitais\"Rua
Os receptores digitais são instrumentos que têm a função de receber sinal por via de canais digitais.

De acordo com a sua função, estes canais poderão ser satélite ou por cabo. Actualmente, já existem bastantes serviços de televisão por cabo que funcionam apenas com estes receptores, uma vez que é através deles que se consegue ter acesso não só aos canais de serviço, mas também a pacotes codificados.

O serviço de recepção de canais por satélite é um sistema independente para o qual é necessário ter um disco receptor satélite de modo a poder ter canais digitais fora dos serviços prestados pelos operadores de televisão digital.

Este instrumento permite que os próprios ecrãs sem tecnologia digital passem a usufruir desta através destes receptores. No entanto, a melhor qualidade só é garantida com um ecrã já com esta tecnologia.

Os receptores digitais permitem também aceder a uma multiplicidade de serviços, desde que devidamente configurados. Por exemplo, com estes receptores, é possível aceder a menus específicos de pausa de emissão para depois ser continuada, de serviços on-demand ou acesso a portais específicos, entre outros.

Esta pequena caixinha permite ao seu utilizador usufruir da televisão a um novo nível, de modo a que possa ter todas as comodidades no conforto do lar. 

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Receptores digitais

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    04-06-2014 às 06:53:28

    Gostei dos receptores digitais. Bom texto abordando isso.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios