Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > O prestador de cuidados ao idoso

O prestador de cuidados ao idoso

Categoria: Saúde
Visitas: 2
Comentários: 3
O prestador de cuidados ao idoso

Envelhecer é provavelmente das mudanças que mais transformam o ser humano infligindo-lhe algumas vezes dor e sofrimento. Ao longo dos anos e enquanto este processo se dá são muitas as alterações sentidas. Trazem consigo a perda de algumas capacidades, a perda dos momentos de prazer com amigos e familiares e a solidão tão temida pela grande maioria de nós.

A ajuda necessária
Juntamente com o envelhecer vem também a necessidade de que lhe sejam prestados cuidados e ajudas para que as tarefas mais básicas indispensáveis à vida possam ser realizadas. Não é mentira que a qualidade de vida é muitas vezes perdida ou pelo menos não é a desejada, sentindo-se o idoso um “estorvo” na vida daqueles que o rodeiam.

Os cuidadores
Mas, em todo este processo não podem ser esquecidos os cuidadores, quando estes são os familiares mais diretos da pessoa envelhecida. A eles também são muitas as vezes em que o sofrimento lhes é imposto por presenciarem a perda de capacidades e a fragilidade do seu ente querido. A par deste, encontra-se igualmente a perda de qualidade da sua vida uma vez que há alguém que se encontra totalmente dependente dos seus cuidados e da sua presença.

A destruição da familia
O cuidador, muitas vezes não sabe como lidar de forma correta com os seus sentimentos e com os sentimentos do idoso. Não tem conhecimentos para compreender algumas reações menos corretas por parte deste sendo que desta forma, que não são raras as vezes, em que se assiste a um desmoronar da entidade familiar. Esta destruição pode também ser fruto das discórdias, das tristezas vividas, das depressões e da falta de ajuda ao cuidador.

Desenvolvimento de competências
Para que tal não aconteça é necessário que o prestador de cuidados tenha a capacidade e a oportunidade de desenvolver algumas competências de forma a cuidar corretamente de quem já cuidou de si. Só assim é possível conseguir uma relação de ajuda para que ambos saiam beneficiados e não prejudicados.

Sugestões ao cuidador
Com este objetivo aqui ficam algumas sugestões que podem ser bastante uteis. Assim estimule o idoso:
• Ao contacto com meio ambiente, com os amigos e familiares colocando-o a par de tudo o que acontece e pedindo a sua opinião.
• A dar pequenos passeios e a realizar outras atividades como a leitura e a música ou outros de interesse do idoso.
• Aos cuidados de higiene realizando-a nos horários que mais lhe agradar.
• A ingerir os alimentos que mais gosta tendo o cuidado de promover uma alimentação adequada à sua idade e ao seu estado de saúde. Não esqueça da água.

Se precisar de ajuda pra cuidar do seu idoso peça ajuda às entidades existentes para o efeito.


Isabel Costa

Título: O prestador de cuidados ao idoso

Autor: Isabel Costa (todos os textos)

Visitas: 2

634 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 3 )    recentes

  • Luene ZarcoLuene

    23-07-2014 às 19:02:01

    Já está avançando até mesmo como profissão: o cuidados de idoso. Muito bom! Hoje em dia é super necessário!!!

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de Climatizaçãoruca

    12-04-2013 às 20:32:00

    este texto foi muito educativo para mim, obr

    ¬ Responder
  • Isabel CostaIsabel Costa

    27-04-2013 às 06:36:59

    Fico contente por ter ajudado.

    ¬ Responder

Comentários - O prestador de cuidados ao idoso

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os primeiros brinquedos

Ler próximo texto...

Tema: Brinquedos
Os primeiros brinquedos\"Rua
O brinquedo é mais do que um objecto para a criança se divertir e distrair, é também uma forma de conhecer o mundo que tem ao seu redor e para dar asas à sua imaginação. Desta forma, os brinquedos sempre estiveram presentes na sociedade.

Os primeiros brinquedos datam de 6500 anos atrás, no Japão, em que as crianças brincavam com bolas de fibra de bambu. Entretanto há 3000 anos surgiram os piões feitos de argila e decorados, na Babilónia.

No século XIII apareceram os soldadinhos de chumbo, porém só eram acessíveis às famílias nobres. Cinco séculos mais tarde, apareceram as caixas de música, criadas por relojoeiros suíços.

As bonecas são muito antigas, surgiram enquanto figuras adoradas como deusas, há 40 mil anos, mas a primeira fábrica abriu apenas em 1413 na Alemanha. Barbie, a boneca mais famosa do mundo, foi criada em 1959, mas ainda hoje é das mais apetecíveis pelas crianças.

O grande boom dos brinquedos aconteceu quando se descobriu o plástico para o fabrico. Mesmo assim, muitas famílias não podiam comprar brinquedos aos filhos, como tal, estes utilizavam diversos tipos de materiais e construíam os seus próprios brinquedos.

Actualmente, as crianças têm acesso a uma enorme variedade de brinquedos, desde bonecas, a carros telecomandados, a videojogos… Educativos ou apenas lúdicos, há de tudo e para todos os gostos e preços.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Os primeiros brinquedos

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • umdolitoys 23-01-2013 às 05:46:38

    Adorei a reportagem! e tenho algo para vocês verem!!

    Espero que gostem!!!

    ¬ Responder
  • sofia 22-07-2012 às 21:56:29

    Achei muito interecante e muito legal saber que ano foi fabricadoas bonecas

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios