Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > Não confunda bulimia com anorexia

Não confunda bulimia com anorexia

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Saúde
Visitas: 2
Não confunda bulimia com anorexia

A bulimia nervosa é um distúrbio alimentar associado à anorexia nervosa. A sua principal característica assenta no facto de a pessoa tender a alimentar-se em excesso e de uma forma compulsiva, durante um período de tempo (no mínimo duas horas) para, em seguida, compensar esta ingestão recorrendo a métodos inadequados, como é o caso do vómito. Não obstante a variedade do tipo de alimentos consumidos, em geral estão incluídos produtos com alto valor calórico, do género de gelados ou bolos.

Normalmente, os episódios de compulsão alimentar acontecem fora do alcance visual dos outros, dado que a vergonha é um sentimento omnipresente na vida de quem padece de bulimia. Deste modo, os bulímicos aproveitam a noite ou momentos de solidão para saciarem o seu “apetite” insaciável. Estas “vontades incontroláveis” são, por norma, desencadeadas por algo, interno ou externo, que é encarado como factor de stress. Sentimentos de tristeza, de depressão, fome veemente após algum tempo de restrição alimentar motivada por dieta (a bulimia pode alternar com períodos de anorexia), insatisfação com o peso ou a imagem, entre outros, são alguns exemplos. O que sucede é que a ingestão compulsiva reduz temporariamente este desconforto interior, mas a autocrítica e o humor deprimido surgem frequentemente passados poucos instantes. De salientar que este tipo de atitude/comportamento foge completamente ao controlo do doente.

Tal como na anorexia, o problema gira à volta da figura corporal. A principal obsessão é a balança. O espelho, esse ignóbil objecto, insiste em devolver um reflexo distorcido, invariavelmente obeso, disforme, o que estimula a luta para atingir um peso ideal. Existem dois subtipos de bulimia, que se distinguem pela presença ou não de métodos purgativos que compensem uma compulsão: o género purgativo, em que o bulímico auto-induz o vómito ou faz uso indevido de laxantes e/ou diuréticos, e o tipo sem purgação, em que não há recurso a estes expedientes, mas sim a jejuns ou exercício físico excessivo.

Alguns dos possíveis sinais de alerta mais visíveis da bulimia incluem recusa ou evitamento em fazer as refeições em família ou em público, isolamento social, tristeza, irritabilidade, oscilações de humor, opção por roupas demasiado largas ou sobrepostas, perda progressiva de peso, concentração excessiva nos estudos ou trabalho em prejuízo de actividades lúdicas e idas à casa de banho imediatamente após as refeições. Outros sintomas, menos perceptíveis, englobam falta de período menstrual (amenorreia), interesse desmesurado por saber tudo acerca de calorias, valores nutritivos e tudo o que se relacione com nutrição, auto-mutilação, imagem deformada de si próprio e sentimentos de poder ao perder peso e de culpa ao comer.

Não se sabe ao certo o que está na génese da bulimia nervosa, podendo ser resultado da interacção de múltiplos agentes. O certo é que daí podem advir consequências como dores musculares, inflamações na garganta (por causa dos vómitos), cáries dentárias, desidratação e desnutrição, desmaios, osteoporose, vómitos com sangue e, no limite, a morte.



Maria Bijóias

Título: Não confunda bulimia com anorexia

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 2

761 

Comentários - Não confunda bulimia com anorexia

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

10 motivos para você fazer um cruzeiro

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Viagens
10 motivos para você fazer um cruzeiro\"Rua
Vai chegando o final do ano e começa a bater aquela vontade de viajar, de ir descansar longe da correria do dia-a-dia, sem se estressar, a dica é que não há nada mais prático e relaxante do que fazer um cruzeiro, sabe por quê?

1. Você pode contratar o serviço parcelado, em muitas agências de viagem; assim começa a pagar agora e provavelmente já estará mais da metade pago na ocasião da viagem;

2. Relaxar em lugar calmo, com todas as comodidades à bordo, garçons, camareiro, equipe de animação, entre outros;

3. Geralmente o pacote já vem com comida e bebida liberados, o que quer dizer que você se delicia e não se preocupa com quanto vai gastar e onde vai comer.

4. Como o navio atraca em vários portos, dá um tempinho para conhecer vários lugares bacanas e tirar muitas fotos nos pontos turísticos. Dependendo da parada, você até consegue alugar um kit de mergulho e dar uma olhada no fundo do mar.

5. A diversidade cultural costuma ser muita e você acaba conhecendo pessoas e costumes de outros países;

6. Para não ir achando que as horas à bordo do navio são entediantes, vale ressaltar que há inúmeras atividades fornecidas pela tripulação responsável, o que inclui brincadeiras, atividades físicas em grupo, dança, sorteios e muita música.

7. Para aqueles que apreciam jogos de azar, o navio tem um cassino que é um encanto mesmo para quem não joga.
8. Outra atração impressionante é a danceteria, aberta todas as noites, com músicas de variados estilos, e bebidas liberadas com o bar no mesmo ambiente;

9. Já se preferir lagartear ao sol dentro do navio costuma ter espaço para o banho de sol e com piscinas grandes e também jacúzis para você se sentir em um verdadeiro spa.

10. Não menos importante, os navios contam com um teatro que costuma impressionar os passageiros, com um elenco digno de grandes palcos, e histórias incríveis.


Então, se você ainda não teve essa incrível experiência, vale a pena se programar aí com a família, e aventurar no mar, colecionar um misto de emoções, lembrancinhas e milhares de fotos. Com certeza será uma experiência inesquecível e você vai acabar querendo fazer mais vezes!

Pesquisar mais textos:

Clarissa Reinoco Machado

Título:10 motivos para você fazer um cruzeiro

Autor:Clarissa Reinoco Machado(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios