Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > Infecções urinárias – Uma ameaça para as mulheres

Infecções urinárias – Uma ameaça para as mulheres

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Saúde
Comentários: 5
Infecções urinárias – Uma ameaça para as mulheres

Uma infeção urinária traduz o crescimento de bactérias no aparelho urinário. Trata-se da mais vulgar infeção provocada por estes micro-organismos, frequente, e passível de afetar o ser humano ao longo da vida.

Pode aparecer em qualquer fração do trato urinário (rins, ureteres, bexiga, uretra) e ser motivada, por exemplo, pela presença de cálculos renais, obstrução na uretra, defeitos no aparelho urinário, problemas neurológicos, retenção urinária (e quando se retém a urina na bexiga durante muito tempo as bactérias não são expelidas, apresentando maior probabilidade de aderirem à parede desse órgão e ocasionarem infeção urinária), pelo uso de calças demasiado apertadas (que abafam a região genital) e de roupa interior sintética (o que em ambos os casos favorece a multiplicação de certas bactérias), entre outros fatores.

As mulheres e bebés do sexo feminino são mais propensas a contrair infeção urinária, provavelmente porque nelas o canal condutor da urina (a uretra) é mais curto do que nas pessoas de sexo masculino. As meninas têm ainda a agravante de usar fraldas, eventualmente contaminadas pelas próprias fezes. Nos rapazes, mormente nos circuncidados, o risco é bastante inferior.

Os sintomas variam de acordo com a pessoa e a gravidade da infeção, sendo que nas crianças nem sempre são evidentes. É possível que se verifique febre e se constatem falta de apetite e deficiências no peso e no crescimento. Num adulto, o sinal mais patente é a dor ao urinar, ato que aumenta de frequência e durante o qual se experimenta uma sensação de queimadura. Num estádio mais avançado e grave da infeção, é usual haver queixas de dores lombares e, eventualmente, sangue na urina.

O tratamento é feito à base de antibióticos, que diferem consoante a bactéria responsável (neste contexto, a Escherichia Coli (E. Coli) é a protagonista). Após 48 horas de administração destes fármacos (geralmente por via oral e durante sete a dez dias), o ardor, a dificuldade de micção e a dor devem começar a atenuar-se ou mesmo desaparecer. Nas pessoas que padecem de infeções crónicas, os antibióticos podem ser utilizados profilaticamente, em doses menores, mas por um período mais alargado, que poderá ir até aos seis meses.

Cultivar determinados hábitos, como beber, no mínimo, um litro e meio de água por dia, adotar medidas de higiene, regularizar o trânsito intestinal, aniquilar parasitas intestinais, fazer chichi regularmente (para não dar tempo que as bactérias que se encontram na bexiga se multipliquem) e após as relações sexuais (que levam à abertura da uretra), tratar as diarreias e as prisões de ventre, limpar-se da frente para trás e evitar roupas muito justas e/ou em material sintético, ajuda a prevenir a doença. E, na verdade, é sempre melhor acautelar problemas…


Maria Bijóias

Título: Infecções urinárias – Uma ameaça para as mulheres

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 0

763 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 5 )    recentes

  • claudetefalcao

    09-02-2013 às 15:03:56

    chequei da´praia tem 01 mes, cheguei sentido ardencia na bexiga e dores nas costas, inclusive fazendo muito xixi. fui ao hospital e fiz exame, constatou que estava com infeção urinária. começei tomando 03 remédios e até agora continuo com fortes dores e urinando muito, já estou apavorada.2
































































    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoDaniela Vicente

    13-09-2012 às 17:15:13

    as bactérias sobem pea uretra e atingem a bexiga. deve manter uma boa higiene. quando sentir o ardor, saiba que já está com uma infecção urinária. saiba que o ananás é óptimo para ingerir nesta altura, pois tem bromalina. é antibacteriana e anti-inflamatória. alivia o desconforto e a inflamação. se preferir pode beber sumo de ananás. parece delicioso. pode comprar já feito ou colocar na liquidificadora. todavia, preferia sumo de ananás feito em casa.

    ¬ Responder
  • Ana PaulaAna Paula

    19-01-2012 às 18:24:58

    Oi.. eu tenho 17 anos estou com infecção nos rins, antes eu tinha cistite não me cuidei , agora tenho pielonefrite, esses dia acordei com dor nos rins, saiu muito sangue na minha urina e a cada 10 dias ela se repete , estou com muito medo , estou fazendo o tratamento mais pareçe que nao melhora, ai que medo , tenho medo de morrer gente :S

    ¬ Responder
  • fausto m. de paulafausto m. de paula

    25-02-2010 às 17:22:51

    gostaria saber se ao praticar sexo oral com mulher ela adquire algum tipi de problema urinário

    ¬ Responder
  • diego dos santos vieiradiego dos santos vieira

    02-12-2009 às 01:15:24

    oi minha noiva contraiu infecção urinaria e eu queria saber quais alimentos se deve evitar durante o tratamento para que não possa agravar a situação.

    ¬ Responder

Comentários - Infecções urinárias – Uma ameaça para as mulheres

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios