Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > Gravidez: enjoos matinais

Gravidez: enjoos matinais

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Saúde
Gravidez: enjoos matinais

A gravidez, apesar de ser um estado natural na mulher, acarreta, ainda assim, grandes transformações e transtornos físicos e emocionais. A mulher, apesar de feliz com a perspetiva da chegada do seu bebé, dentro de apenas alguns meses, também se sente debilitada, cansada e, por vezes, menos atraente. As suas tarefas diárias são agora um pouco mais limitadas, pois fazer grandes esforços está completamente fora de questão. E se, a juntar a tudo isto, surgirem os terríveis enjoos, que afetam cerca de 50% a 70% das mulheres grávidas?

Pois é, nem tudo são rosas e mulheres há que, a somar à fadiga, revelam também sintomas como náuseas e vómitos (muitas vezes incontroláveis). Estes sintomas, que surgem com maior violência no período da manhã, não se prolongam para além dos três, quatro meses de gestação e, se se verificarem após este período, é aconselhável visitar o seu médico, pois pode ser um sinal de que nem tudo está bem.

E por que razão surgem estes malfadados? Dentro da comunidade científica existem algumas teorias, entre as quais se encontra a que aponta os enjoos como uma reação natural do organismo à presença do bebé no útero materno. O organismo feminino reduz a capacidade do seu sistema imunitário e, ao baixar as suas defesas, está a contribuir para a não agressão ao bebé, que, quer queiramos, quer não, é percebido como um corpo estranho pelo organismo.

Apesar de esta teoria sugerir alguma rejeição por parte da mãe, a verdade é totalmente oposta: de facto, as mulheres que sofrem de enjoos podem considerar-se felizardas (no meio de tantos vómitos), pois o seu corpo está a funcionar corretamente e a proteger o bebé de toxinas exteriores. Esta teoria, por sua vez, vem complementar a outra e apresenta a hormona Gonadotropina Humana Coriónica (hCG) como a grande responsável pela proteção do bebé relativamente às toxinas (presentes em alimentos como a carne, por exemplo) que poderiam, em último caso, provocar um aborto espontâneo. Esta hormona está mais presente no organismo durante os três primeiros meses de gestação (altura em que o embrião/feto se encontra numa fase de maior fragilidade e em que os órgãos principais se formam) e são os seus efeitos secundários que provocam os famosos vómitos. Como facto curioso, verifica-se que, nas culturas onde é mais usual a ingestão de cereais, as mulheres grávidas enjoam menos.

Para combater estes sintomas – que nunca se eliminam na totalidade, experimente dar, tranquilamente, passeios a pé, apanhar ar fresco, comer bolachinhas de água e sal antes de sair da cama, beber bastante água – mas nunca durante ou depois das refeições –, evite as comidas condimentadas ou gordurosas e peça a alguém para cozinhar por si – caso o cheiro a incomode.

Pois é, os enjoos matinais são necessários e pode considerá-los uma bênção – por muito estranho que isto soe!


Isabel Rodrigues

Título: Gravidez: enjoos matinais

Autor: Isabel Rodrigues (todos os textos)

Visitas: 0

718 

Imagem por: genue.luben

Comentários - Gravidez: enjoos matinais

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Dicas para decorar salas pequenas.

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Decoração
Dicas para decorar salas pequenas.\"Rua
A realidade das grandes cidades é que a maioria das pessoas mora em espaços pequenos. É fato também que todos desejam ter um ambiente acolhedor e aconchegante para receber amigos. Em contrapartida, na medida em que os espaços encolhem, a quantidade de aparelhos eletrônicos que utilizamos aumenta cada vez mais. Há ainda quem use a sala como home-office.

Nesta busca de inspiração para organizar e incrementar sua sala, encontramos uma série de sites especializados e blogs com muitas, muitas ideias. O conceito de D.I.Y. (do it yourself) que significa "faça você mesmo” nunca esteve tão na moda. É uma alternativa para reduzir gastos com mão de obra e nada melhor do que criar um espaço com um toque todo seu. Inspirações e ideias não faltam. Hoje, de certa forma todos nos sentimos meio decoradores.

Mas planejar a decoração de uma sala pequena exige alguns cuidados para que o ambiente não fique entulhado de móveis, disfuncional ou até mesmo desagradável.

Confira algumas dicas para decorar sua sala com estilo e valorizando seu espaço:
Os espelhos, além da autocontemplação, causam efeitos interessantes. Aplicados, por exemplo, em uma parede inteira pode duplicar a amplitude do ambiente. Pode ser usado também em móveis, tetos, em diversos formatos e valorizar a luminosidade da decoração.

As cores tem poder de causar sensações. Em ambientes com pouco espaço, elas podem colaborar para que a sensação de amplitude possa tanto aumentar quanto diminuir. Para pintar as paredes de sua sala aposte em cores claras. O teto com uma cor mais clara que a das paredes, por exemplo, pode simular uma elevação do teto, já em uma cor mais escura, promoverá uma sensação de rebaixamento do teto.

A escolha e posição dos móveis são um aspecto muito importante. Opte por poucos móveis, nunca de tamanhos exagerados e posicione-os de forma que valorize o espaço. Móveis que misturam poucos materiais, baixos e com linhas retas proporcionam leveza ao ambiente.

Uma solução muito interessante para espaços pequenos é a utilização de prateleiras. Caixas para produtos horto frutícolas reformadas podem se tornar lindas prateleiras. Mas cuidado com a profundidade, para não atrapalhar na disposição de outros móveis e objetos.

Móveis multifuncionais ou móveis inteligentes são excelentes alternativas para uma sala pequena. Um bom exemplo são pufes, que podem ser usados como mesas de centro ou ficarem alojados debaixo de aparadores e quando recebemos visitas podem se transformar em assentos extras. Mesas dobráveis também são uma ótima opção.

Escolher o mesmo piso ou revestimento pode dar a impressão de área maior, de continuidade. Mudanças drásticas de um ambiente para outro pode causar a sensação de divisão e consequentemente fazer parecer menor.

Algumas outras dicas: um sofá retrátil ou reclinável garante muito mais conforto e ocupa o espaço de um sofá simples. Suporte ou painéis móveis para TV possibilitam que ela seja movida na direção desejável. Caso o ambiente tenha escadas, escolher um modelo de escadas vazadas evita divisões e pode se tornar uma peça de destaque na sala. E para as cortinas, escolha tecidos leves, lisas e sem estampas.

De qualquer forma, ouse, não tenha medo de arriscar, crie, não copie, só assim será seu!

Luciana Santos.

Outros textos do autor:
Dicas para decorar salas pequenas.

Pesquisar mais textos:

Luciana Maria dos Santos

Título:Dicas para decorar salas pequenas.

Autor:Luciana Maria Santos(todos os textos)

Imagem por: genue.luben

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Carlos Rubens Neto 16-06-2016 às 16:20:24

    Excelente matéria! Parabéns Luciana ;)

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios