Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > Fome Emocional: O que é?

Fome Emocional: O que é?

Categoria: Saúde
Fome Emocional: O que é?

A "fome psicológica" conhecida por fome emocional surge repentinamente e, na maioria das vezes, leva a um apetite seletivo, fazendo-nos comer alimentos específicos.

A fome emocional é desencadeada por emoções e sentimentos como a ansiedade, tristeza, solidão, medo e frustação. É nos momentos em que nos sentimos emocionalmente frágeis que a fome emocional ataca. Pois, um ataque de fome consiste na ocorrência de um pensamento intenso e que nos diz que necessitamos de comer de imediato. Ou seja, aquando da ocorrência da fome emocional "comem-se sentimentos" em forma de alimentos. E só é conseguida a satisfação após ter-se comido quantidades excessivas do alimento escolhido.

Comparando com a fome real, nesta o apetite aumenta gradualmente e é saciado com qualquer alimento.

Não é o ato de procurar ingerir um alimento específico que constitui o problema. Porque a comida é uma fonte de energia e prazer, e é saudável que gostemos de comer. O problema está na frequência com que se tem o tipo de alimentação emocional, na intensidade da culpa que pode surgir, na intensidade da sensação de perda de controlo, e no comprometimento que pode trazer ao dia a dia.

Os estados de espírito que nos conduzem ao apetite repentino por doces, salgados ou comida picante, são:

- na solidão ou desvalorização na relação ingere-se chocolate, pois proporciona uma sensação semelhante ao do enamoramento.
- nos níveis de stress elevados ingere-se alimentos salgados, pois sentimos vontade de comer sal.
- na necessidade de libertar raiva reprimida ingere-se batatas fritas, pois sentimos necessidade de comer alimentos estaladiços.
- na tristeza ou aborrecimento ingere-se alimentos picantes porque estimulam a produção de endorfinas.

Devemos estar atentos aos fatores de risco que nos tornam suscetíveis de iniciar uma alimentação emocional, como: a dificuldade em identificar e reconhecer os estados emocionais, a dificuldade em relacionar sentimentos com as sensações físicas e a alimentação irregular.

Para ajudar a contornar o problema devemos incluir no nosso dia a dia momentos de prazer não relacionados com a comida. Devemos privilegiar a prática de exercício físico, o convívio com pessoas de quem gostemos ou ter um hobbie que nos dê prazer. Nunca devemos estar mais de três horas sem comer. Se tivermos tempo livre podemos experimentar fazer voluntariado ou mantermo-nos distraídos com outra atividade.


Cristina Sousa

Título: Fome Emocional: O que é?

Autor: Cristina Sousa (todos os textos)

Visitas: 0

631 

Comentários - Fome Emocional: O que é?

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Um sinal de compromisso

Ler próximo texto...

Tema: Jóias Relógios
Um sinal de compromisso\"Rua
Exibir uma aliança de compromisso é, frequentemente, motivo de orgulho e, quando se olha para ela, vai-se rodando-a no dedo e fica-se com aquela expressão ridícula na cara.

Uma questão se coloca: qual a razão de estas alianças de compromisso serem tão fininhas: será porque os seus principais clientes, os jovens, são sujeitos de poucas posses (tendendo as mesadas a emagrecer ainda mais com a crise generalizada) ou porque esse compromisso, não obstante a paixão arrebatadora, é frágil e inseguro?

Sim, porque aqui há que fazer cálculos matemáticos: x compromissos vezes y alianças…com um orçamento limitado sobre um fundo sentimental infinito…

Depois, importa perpassar os tipos destas alianças. Há as provisórias, que duram em média quinze dias; há as voadoras, que atravessam os ares à velocidade da luz quando a coisa dá para o torto; há as que insistem em cair do dedo, sobretudo em momentos em que ter um compromisso se revela extremamente inoportuno; e depois há as residentes, que uma vez entradas não tornam a sair.

Os pombos-correios usam anilhas onde figuram códigos que os identificam. Talvez não fosse completamente descabido fazer umas inscrições deste género em algumas alianças de compromisso por aí…

Só para ajudar os mais esquecidos a recordarem a que “pombal” pertencem.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Um sinal de compromisso

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Luene ZarcoLuene

    22-09-2014 às 05:46:10

    Um sinal de amor e lealdade perpétua! Adoro ver os vários modelos de aliança! Vale a pena escolher uma bem bonita!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios