Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > É normal os bebés terem as mãos frias?

É normal os bebés terem as mãos frias?

Categoria: Saúde
Visitas: 153
Comentários: 1
É normal os bebés terem as mãos frias?

Ser mãe é talvez a maior aventura que qualquer mulher pode ter em toda a sua vida. A noticia de que se está grávida, toda a gestação acompanhada pela ansiedade e curiosidade e finalmente (numa fase inicial, claro) o namoro e o estado de se ficar embevecida com o nosso bebé.

Ter um filho é uma sensação única, uma verdadeira mistura emoções que oscilam entre o amor incondicional e um medo extraordinário. Questões como dores, comida, xixi e frio são algumas delas.

Siga o seu instinto, pois ele estará correcto com toda a certeza. Ninguém gosta mais de um filho do que a sua mãe (de uma forma geral, naturalmente, não querendo lembrar-me que a realidade não é sempre assim), pelo que tudo o que fizer com sensatez e alguma esperteza, vai correr bem, com toda a certeza.

No entanto, existem algumas coisas que enquanto mães recentes ou estreantes, nos suscitam alguma confusão e até preocupação. Caso disso é o frio que os bebés sentem.

O assunto pode provocar ideias controversas, diferentes e fazer mais confusão do que aquela que já sentimos numa fase inicial, quando deixamos a resposta no ar.

Alguns pediatras dizem que os bebés sentem o mesmo que nós, adultos. Sentem o mesmo frio e o mesmo calor, pelo que a preocupação não deverá ser muita.

Por outro lado, outros pediatras e entendidos dizem-nos que os bebés têm mais frio do que nós.

Afinal, no que ficamos? Bem, a resposta é e será sempre controversa. No entanto, julga-se que o mais indicado é … seguir as regras do bom senso.

Antes de mais, cabe dizer que é normal que no inicio de vida, é normal os bebés (principalmente os recém nascidos ou os prematuros) terem as mãos frias. Os bebés têm a pele muito fina e há que ter atenção que ainda se encontram na fase inicial do mecanismo de auto-regulação da circulação sanguínea.

Mas como saber se o frio das mãos é normal ou é excessivo? O frio em excesso pode ser sinónimo de frio mesmo, e não tem nada a ver com a pele fininha. Para verificar melhor a situação, experimente apalpar os pés. Se estes também estiverem frios, é porque a temperatura exterior está demasiado fresca para o bebé.

Se pelo contrário, os pezinhos estiverem quentes, é porque está todo ele quentinho, mas as mãos, enquanto membros mais expostos, estarão, naturalmente mais frios.

Cabe-lhe enquanto mãe, colocar o seu bom senso a trabalhar, quando quiser esclarecer dúvidas e a confundirem ainda mais.


Carla Horta

Título: É normal os bebés terem as mãos frias?

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 153

771 

Imagem por: Quinn Dombrowski

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • M.L.E.- Soluções de Climatizaçãojirlene santos

    26-03-2013 às 08:25:41

    os bebes tem a mesma temperatura q nós,o q muda é a pele q são bem mais fina q a nossa.portanto coloque mais roupas e menos cobertor.o q vai fazer seu bebe ficar doente não sera devido ao frio mas sim a mudança brusca de temperatura ou contato com outras pessoas doentes.procure tbem evitar roupinhas apertadas e de lã para q seu bebe se sinta mais confortavel.

    ¬ Responder

Comentários - É normal os bebés terem as mãos frias?

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como se apresentar numa entrevista de emprego!

Ler próximo texto...

Tema: Empresariais
Como se apresentar numa entrevista de emprego!\"Rua
O país passa por momentos difíceis em relação à sua economia. Mesmo com tantos recursos econômicos que nosso país possui, parece que a crise veio para nos afetar de forma avassaladora e ainda não temos uma perspectiva de melhora em curto prazo. Nesta situação, as condições de se manter no emprego para o trabalhador brasileiro são cada vez mais complicadas, pois o mercado não poupa ninguém quando se trata de encontrar meios para sobreviver e se manter firme em um mundo cada vez mais globalizado.

Portanto, aqueles que já possuem um trabalho fixo devem tentar mantê-lo da melhor forma possível, porém isso não significa abrir mão de todos os seus direitos sociais trabalhistas adquiridos ao longo da história.
Por outro lado, os que buscam uma vaga no mercado de trabalho, seja pela primeira vez ou como recolocação, devem sempre estar atentos para dois aspectos cruciais que fazem enorme diferença na hora de conseguir um novo emprego: o primeiro é a requalificação profissional, que iremos tratar em outro artigo, e o segundo é o aspecto da apresentação pessoal na hora em que estiver numa entrevista para um novo emprego.

Muitas pessoas deixam de conseguir a tão sonhada vaga de trabalho por não se atentarem para a questão da forma como se apresentam para uma entrevista de emprego. Esse aspecto deve ter uma grande relevância para qualquer candidato, pois se sabe que de nada adiantará ter um currículo perfeito para uma determinada vaga se você der uma péssima impressão no momento do primeiro contato com o seu entrevistador.

Antes de tudo, é importante esclarecer que você não precisa fazer teatro na hora de ser entrevistado. Seja autêntico e procure se mostrar consciente daquilo que você procura. Não tente agradar o entrevistador com coisas que você não é. Lembre-se que a pessoa que estiver lhe entrevistando estará preparada para saber se você está mentindo ou não.

Sua autenticidade só será percebida ao longo da conversa, mesmo que ela seja curta. A segunda questão diz respeito à sua vestimenta. Você não precisa vestir a melhor roupa que estiver no armário, mas precisará usar algo que tenha haver com a vaga que você procura. Se você tem um estilo gótico e procura vaga num restaurante para pessoas de alta sociedade com certeza terá dificuldade em convencer alguém caso queira se apresentar com seu estilo pessoal próprio. Portanto, a melhor forma de se vestir para uma entrevista é não tentar chamar muito a atenção com sua roupa, pois com isso o entrevistador irá focar mais nas suas qualidades profissionais.


Outro fator que não pode faltar é a questão da higiene pessoal. Isso é algo fundamental. Você precisa estar com a melhor aparência possível. De preferência deve sair de sua casa direto para a entrevista e não fazer paradas longas para realizar alguma outra atividade, pois assim apresentará menos cansaço ou com o odor comum das grandes cidades após algumas horas de caminhada.


Se as três condições acima forem satisfatórias, então você já terá meio caminho andado para conseguir um novo emprego, mas tudo isso são somente aspectos para causar uma boa impressão inicial. A parte que mais conta na hora da entrevista é o diálogo que você terá com o entrevistador. Nesta condição você não precisa concordar com tudo, mas precisa saber ouvir e ser bastante otimista em suas falas. Deve demonstrar confiança e certeza naquilo que busca nunca afirmar que estará preparado para algo que talvez você não vá conseguir fazer no futuro e nunca, jamais fale mal do seu emprego anterior isso irá dar uma impressão de que você não tem profissionalismo naquilo que faz.


Ao longo do texto, nossa intenção não era lhe dar uma receita pronta sobre a forma de se apresentar numa entrevista para emprego, mas lhe atentar para questões que sempre são avaliadas durante a busca por uma nova vaga no mercado de trabalho.

Pesquisar mais textos:

Wadson Benfica de Nazaré

Título:Como se apresentar numa entrevista de emprego!

Autor:Wadson Benfica Nazaré(todos os textos)

Imagem por: Quinn Dombrowski

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios