Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > Dicas para relaxar os músculos do pescoço

Dicas para relaxar os músculos do pescoço

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Saúde
Visitas: 18
Comentários: 7
Dicas para relaxar os músculos do pescoço

O pescoço é uma região especialmente atreita a tensões musculares. As dores podem advir por diversos motivos, sendo que os principais dizem respeito a má postura, estar muito tempo na mesma posição, esforços físicos desacertados, usar sapatos demasiado altos diariamente, dormir num colchão excessivamente macio, pegar em pesos, falta de exercício físico, traumatismos, doenças ósseas, musculares ou articulares, ou a combinação de alguns destes fatores. O acumular do stress, uma sobrecarga emocional bastante forte ou alterações no estado nervoso são outras hipotéticas razões a considerar. Se, no entanto, o médico já rejeitou estas e/ou outras possibilidades e as dores no pescoço decorrem de tensões quotidianas, há dicas que podem ajudar a manter o pescoço mais relaxado e, por conseguinte, menos doloroso.

O calor atenua imensamente os padecimentos no pescoço. Aplicando um saco de água quente ou uma toalha de água quente (espremida) no local da afeção durante 15 minutos, os efeitos benéficos não se farão esperar. Existem, de igual modo, exercícios simples que aliviam o desconforto e as dores. Por exemplo, comprimir o queixo e inclinar a cabeça para a frente e para baixo. Aguentar nesta posição por alguns segundos e, posteriormente, puxar a cabeça para trás o máximo possível. Se não surtir um resultado imediato, repete-se o procedimento. Outro movimento consta de deixar cair a cabeça para um dos lados, muito suavemente, até tocar no ombro, fazendo-se o mesmo para o outro lado, insistindo até experimentar melhoras. Outra opção é inclinar-se a cabeça ligeiramente para a frente, girando o pescoço para um lado e para o outro, como que desenhando círculos no ar. Este meneio pode ir aumentando de rapidez sem, contudo, esforçar exageradamente o pescoço nem a cabeça.

A fisioterapia, com recurso a massagens, calor e técnicas específicas, coadjuva, identicamente, o relaxamento da zona do pescoço, à semelhança do que acontece com a escolha da almofada certa (uma que não deixe a cabeça muito acima ou muito abaixo da linha da coluna) e/ou de um rolo próprio, que preencha a curvatura entre o pescoço e as costas.

Entretanto, há manter a coluna o mais direita possível, fazer pequenas pausas no trabalho (alternando períodos em que se está sentado(a) com pequenas caminhadas e os exercícios supra descritos ou outros), tomar banho de água quente (uma vez que a fria origina uma contração súbita da musculatura cervical), não ficar muito tempo com a cabeça baixa ou inclinada para trás, levantar objetos fletindo os joelhos e esticando as pernas (para que sejam elas a fazer a força em vez da coluna), corrigir hábitos de postura, fortalecer e tonificar músculos debilitados e recorrer a técnicas de relaxamento (yoga, …), para mitigar o excesso de tensão acumulado no pescoço.

De salientar que um pescoço saudável não dói nem ostenta quaisquer dificuldades que estorvem os movimentos naturais, pelo que havendo estes problemas, sobretudo se acompanhados de tonturas ou dores de cabeça intensas, deve consultar-se um médico sem demora.


Maria Bijóias

Título: Dicas para relaxar os músculos do pescoço

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 18

809 

Imagem por: numberstumper

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 7 )    recentes

  • Claudio Manoel Ferreira

    11-05-2014 às 03:49:36

    Estou com dor no pescoço do lado direito a cerca de 3 meses. Fiz raio X e deu tudo normal coloquei compressa de água quente faço exercícios de alongamento, e nada melhora. Esta dor é mais intensa quando levanto. Que devo fazer para me livrar deste incomodo?

    ¬ Responder
  • SophiaSophia

    12-05-2014 às 03:00:12

    Olá, a razão que normalmente ocorre para sentir essa dor no pescoço é pela má postura, então, avalie como você tem dormido, o tipo de colchão e a posição. O recomendável é dormir de lado, com uma almofada que mantenha o alinhamento da sua cabeça com o seu corpo, e um outro travesseiro para ficar entre o seu tronco e as pernas. Caso persistam as dores procure um médico especialista e faça novos exames.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoJéferson

    04-01-2014 às 03:17:36

    Mile, neste caso você ja tem o agente causador, procure diminuir stress sozinho, a segunda opção é procurar ajuda com psicólogo cognitivo-comportamental e a terceira opção é um psiquiatra.

    ¬ Responder
  • luiz antonio

    25-11-2012 às 00:24:31

    to com um carosso no pescosso

    uqui devo fazer

    ¬ Responder
  • ana

    20-07-2013 às 16:12:55

    deverá consultar um medico, para lhe solicitar os exames necessários , ecografia , tac e talvez tenha que fazer biopsia .

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoJeferson

    04-01-2014 às 03:18:40

    procure médico de cabeça e pescoço

    ¬ Responder
  • MileMile

    29-09-2011 às 01:22:41

    E quando a dor no músculo do pescoço é causado por stress o que fazer

    ¬ Responder

Comentários - Dicas para relaxar os músculos do pescoço

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os descendentes de Eça

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Literatura
Os descendentes de Eça\"Rua
Recentemente, por via da comunicação social, soubemos da entrega do prémio Leya, a um trineto de Eça de Queirós. Julgo que bastou essa noticia, para que todos ficássemos curiosos sobre os seus descendentes…esse mistério, como o Mistério da Estrada de Sintra, começou a adensar-se entre quem se interessa por estas coisas da literatura e da genealogia…então aqui deixo algumas notas que poderão ser importantes para quiçá, um dia, um qualquer jornalista, ou editor, se lembre, de conseguir reunir todos os seus descendentes vivos e se tire uma fotografia de família.

José Maria Eça de Queirós, escritor pródigo da nossa nação, contraiu matrimónio em 1886, com Emília de Castro Pamplona Resende, condessa de Resende, deixando à data de sua morte, em Paris, quatro filhos como seus descendentes e herdeiros diretos; foram eles António Eça de Queirós, Maria Eça de Queirós, Alberto Eça de Queirós e José Maria Eça de Queirós; portanto três meninos e uma menina.
Através do site Geneall.net, foi possível perceber as linhas genealógicas que se seguiram aos seus filhos. No entanto, nem todos os nomes dos seus bisnetos e trinetos estão aí presentes, com certeza por motivos de ordem pessoal, de resguardo da privacidade, motivos que não podemos questionar. Porém, é possível, pelo menos determinar a existência desses membros da família queirosiana.

De antemão sabemos que não houve descendência por parte de dois dos seus filhos, António Eça de Queirós e de Alberto Eça de Queirós.
Maria Eça de Queirós teve dois filhos, uma menina e um menino, porém a menina morreu muito nova, ficando apenas o menino, de seu nome Manuel Pedro Benedito de Castro, que mais tarde casou com Maria da Graça Salema de Castro, a mulher que se tornou a primeira diretora da Fundação Eça de Queirós, na casa de Tormes, pertença da família da esposa de Eça de Queirós. Como Manuel Pedro Benedito de Castro não teve filhos, sabemos que por este ramo, terminou a descendência do escritor.

Convém, entretanto, acrescentar aqui uma curiosidade. Depois do regresso a Portugal da viúva de Eça, ela e os filhos, foram residir para a casa da Granja, pertencente à família de Sophia de Mello Breyner. Inicialmente como esta casa costumava ser arrendada pela família de Sophia, Emília de Castro, arrendou-a, vindo a compra-la uns anos depois. Portanto, é aqui nesta casa que ela cria os seus filhos, e é onde, José Maria Eça de Queirós, um dos seus filhos, permanece após a sua morte, tendo criado aqui os seus filhos e netos, e tendo aqui também falecido.

Podemos então seguramente afirmar que a sua grande linha de descendência parte do seu filho, com o mesmo nome, José Maria Eça de Queirós, que teve também ele, atente-se à curiosidade, quatro filhos, neste caso, ao inverso, um menino, e três meninas, respetivamente de seus nomes, Manuel Eça de Queirós, Maria das Dores Eça de Queirós, Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós e Emília Maria de Castro Eça de Queirós. Esta ultima, Emília, teve ao que consta nove filhos, sendo que um deles, Afonso Maria Eça de Queirós Cabral, é quem atualmente preside à Fundação acima citada, depois da morte da primeira presidente, referida atrás, Maria da Graça Salema de Castro.

Manuel Eça de Queirós por sua vez teve seis filhos, Maria das Dores Eça de Queirós teve três filhos, e Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós, dois filhos. Somados, contabilizamos vinte, os bisnetos do famoso escritor. Seria interessante avançar um pouco mais nos ramos genealógicos e aflorar quem são ou pelo menos, quantos são os trinetos e tetranetos de Eça, por conseguinte fica aqui o desafio, pois é certo que porventura alguns destes descendentes não se conhecem, e nunca terão trocado qualquer impressão sobre o seu ascendente, para uns, bisavô, para outros trisavô, e ainda para outros, tetravô.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Os descendentes de Eça

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Imagem por: numberstumper

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios