Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > Depressão pós-parto

Depressão pós-parto

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Saúde
Depressão pós-parto

A depressão pós-parto ocorre a uma em cada sete mulheres e dá-se após um mês da mulher dar a luz, com uma imensidão de tristeza e choro, desmotivação, desapego pelo recém-nascido e noites mal dormidas, irritabilidade, baixa autoestima devido às transformações físicas, solidão, entre muitos outros sintomas.

As alterações hormonais aparecem antes de dar a luz, notando-se uma possível depressão tornando-se pior após o parto. Esta patologia pode ser prevenida antes do parto por enfermeiros especialistas em saúde materna .

Existe ainda a psicose pós-parto que acontece em mil partos, cinco com esta doença. Para além de ser rara, é bastante grave devido a pessoa sofrer de alucinações, viver num mundo a parte, humor descontrolado, comportamentos violentos e estranhos, levando muitas das vezes ao internamento psiquiátrico.

Aparentemente pode ser uma ansiedade passageira, devido às transformações físicas das mulheres após a gravidez, no entanto pode também sentir tristeza e passar para uma depressão grave.

Deve ser consultada imediatamente por um médico especializado, para que não exista consequências. Na maioria das vezes, as mães não aceitam que estão doentes e depressivas, recusando o respetivo tratamento e ida ao médico, devendo conformar-se que realmente não estão no seu perfeito estado. Pode-se tornar penoso o clima familiar no lar perante as situações da depressão com o parceiro e familiares diretos.

O tratamento pode-se tornar doloroso, uma vez que terá que tomar medicamentos antidepressivos, para que volte á pessoa que era, transferindo para o leite maternal as substâncias do medicamento e para que não haja qualquer contacto com a criança, deve de substituir o leite maternal por um leite semelhante e adequado. Um tratamento de depressão pode demorar entre os seis e doze meses. No entanto tem vários picos ao longo dos primeiros seis meses.

O parceiro conjugal e família direta, devem estar presentes perante a recém-mãe, para que esta não se sinta só nem abandonada por aqueles que a rodeiam. Deve aceitar o que esta diz e suas opiniões, tentando contornar as ideias de forma a conseguir a flexibilidade da respetiva mulher, sem criticar nem dramatizar as ações desta, encorajando o tratamento e cuidados com filho e seu bem-estar, ajudando nas tarefas diárias.


Sandra Mendes

Título: Depressão pós-parto

Autor: Sandra Mendes (todos os textos)

Visitas: 0

604 

Comentários - Depressão pós-parto

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O meu instrumento musical avariou!

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Instrumentos Musicais
O meu instrumento musical avariou!\"Rua
É inevitável que, mais cedo ou mais tarde, um instrumento musical precise de reparação.

Mesmo que conheçamos bem o nosso instrumento e o consigamos arranjar, na maioria das vezes é necessário um técnico para o fazer com a melhor das qualidades.

Eventualmente, nem será necessário existir um problema com o instrumento, poderá ser apenas uma questão de manutenção. 

No caso de uma guitarra, por exemplo, qualquer instrumentista é perfeitamente capaz de substituir uma corda partida e tirar da guitarra o mesmo som que ela tinha.

No entanto, existem reparações, seja uma amolgadela no tampo ou uma tarraxa arrancada, que convêm ser feitas por técnicos especializados.

Por norma, as próprias casas que vendem instrumentos musicais efectuam essas reparações ou são capazes de aconselhar técnicos para as fazer.

Mediante o instrumento musical em questão, a reparação ou manutenção poderá ser mais cara. É sempre mais fácil arranjar um técnico que repare um piano do que um que arranje oboés.

Apesar de ser normal cuidar do nosso instrumento musical regularmente, os percalços acontecem todos os dias. Para os contornar, há sempre alguém que nos poderá aconselhar melhor do que nós próprios.

Apesar de poder sair mais caro, temos também a certeza de que o nosso instrumento foi arranjado por especialistas no assunto.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:O meu instrumento musical avariou!

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • luiz fabiano 18-02-2012 às 15:48:28

    boa tarde amigos preciso de um cabo flex da lcd da camera g70 se aulguem tiver mande um email obrigado

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios