Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > Como ter uma boa noite de sono

Como ter uma boa noite de sono

Categoria: Saúde
Comentários: 1
Como ter uma boa noite de sono

Como ter uma boa noite de sono? Neste artigo vamos dar algumas ideias simples para adormecer mais rapidamente e para ter uma noite descansada. Livre-se das insónias e das noites mal dormidas!

Quantos de nós chegamos à noite completamente cansados mas, uma vez na cama prontos a dormir, o sono teima em não chegar? E olhamos, desesperados, para o relógio que, impiedoso, teima em avançar nos minutos e horas em direcção ao momento do despertar? E quando contar carneiros já não resulta e o desespero instala-se?

Nos dias agitados que vivemos, o nosso ritmo biológico é constantemente adulterado. Quando temos sono, tomamos um café ou chá preto para despertar; quando temos fome, fingimos que nada se passa e aguardamos até às horas estabelecidas de refeições. Muitos locais de trabalho proíbem a ingestão de alimentos sem serem nas horas definidas para tal. Como se o nosso organismo se regesse segundo as regras impostas por terceiros…

Enfim, estes são apenas alguns exemplos rápidos e imediatos de como não estamos a respeitar o nosso corpo e as suas vontades e necessidades. É imperioso parar para o ouvir e estarmos atentos aos seus sinais, para que lhe possamos dar aquilo que precisa. Afinal, esta é a melhor e mais perfeita máquina alguma vez criada!

sono-sem-dormir

E, de todos os atropelos e abusos que cometemos diariamente com a nossa própria natureza, o atropelo das horas de sono é, muito provavelmente, o mais comum. Neste momento de crise, muitas pessoas vêm-se na obrigação de ter mais do que um emprego, prolongando as horas de trabalho activo para lá das 12 por dia. E, no momento da escolha, retira-se sempre tempo à cama em detrimento de outras actividades.

Mas esta é uma opção que abarca imensas complicações, a curto e médio prazo! O corpo e a mente precisam de horas de sono de qualidade para recuperarem do dia-a-dia e para estarem preparados para enfrentarem uma nova jornada. Perante a sua privação, o corpo ressente-se e chegam os problemas associados.


Anúncios Google

As pessoas que sofrem de quadros de privação recorrente do sono sentem fadiga e falta de vigor, falta de concentração, irritabilidade e ansiedade, sonolência, problemas de memória e dores de cabeça. Tudo isto potencia a incapacidade para desempenhar as suas funções normais no trabalho. Já para não falar nos casos de privação crónica de sono – quando este estado se prolonga no tempo de forma constante -, como depressão, aumento do risco de hipertensão arterial, de obesidade, de diabetes, etc.

Assim, talvez seja o momento certo para parar e pensar que tem que dar o devido valor às horas de sono. E que elas são fundamentais para que o seu dia seja mais produtivo e feliz. E que na vida, tudo é uma questão de escolhas. E escolher dormir é a melhor opção possível!

bebe-dormir-sono-tranquilo-descansado

A não ser que sofra de alguma patologia associada à privação do sono, como sonambulismo, apneia do sono ou narcolepsia, por exemplo, e, por isso mesmo, ser necessário apoio médico especializado, listamos, em seguida, algumas ideias simples de como potenciar uma noite calma e de bom sono, de modo a que possa dormir melhor:

Evite praticar desporto ou alguma actividade física mais extrema até quatro horas antes de ir para a cama. O exercício físico activa o metabolismo por muitas horas e produz endorfinas, o que provoca um estado de alerta e dinamismo. Tudo o que tem que evitar para ter uma boa noite de sono.

Em vez de exercício físico muito activo, opte por uma boa caminhada após o jantar. Em vez de se sentar em frente à televisão, opte por dar uma volta ao quarteirão, com passos calmos e tranquilos, de maneira a relaxar os músculos mas também a mente.

Ao jantar, evite comidas pesadas e com muitas gorduras, que são de mais difícil digestão.

Para além do cuidado com os alimentos que ingere, é importante evitar o consumo de bebidas alcoólicas e de bebidas estimulantes, como refrigerantes, cafés ou chá preto. A ingestão de bebidas alcoólicas pode, num primeiro momento, provocar sonolência e dormência, mas é enganadora! Na verdade, terá um sono leve e agitado, e acordará várias vezes ao longo da noite.

O fumo do tabaco também deve ser evitado até duas horas antes da sua hora de dormir. A nicotina é um estimulante e, como tal, deve ser evitado.

Antes de se deitar, tome um duche bem relaxante, com água morna e a média luz. Não precisa de tomar banho de imersão. Apesar de ser mais relaxante, consome muita água e tempo. E a consciência destes dois factores pode provocar ainda mais stress e agitação.

Se puder, tire a televisão do quarto. Mas, se não conseguir tomar esse passo, pelo menos mantenha-a desligada antes de dormir. A luz e os sons emitidos pela televisão vão provocar um estado de alerta e de estímulo na sua mente.

Por último, um conselho importantíssimo: acorde todos os dias à mesma hora, mesmo em dias de descanso e independentemente das horas a que se deitou. Se habituar o seu corpo e a sua mente a um ritmo diário, ele vai conseguir reagir de forma a se adaptar a essa mesma dinâmica.

Para além destas ideias simples, faça do seu quarto um espaço onde vai apenas para descansar. Tenha na mesa-de-cabeceira apenas um bom livro (um romance, de preferência), um candeeiro e um despertador sem ser analógico, por causa da luz. Liberte o quarto de estímulos, pinte-o e decore-o com cores calmas e mantenha-o sempre a uma temperatura ambiente confortável. E, se puder acrescentar uma música relaxante, verá como tem todas as condições para ter uma boa noite de sono


Miguel Pereira

Título: Como ter uma boa noite de sono

Autor: Miguel Pereira (todos os textos)

Visitas: 0

604 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • SophiaSophia

    17-04-2014 às 21:40:40

    A Rua Direita achou muito relevante seu texto, parabéns!

    ¬ Responder

Comentários - Como ter uma boa noite de sono

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os descendentes de Eça

Ler próximo texto...

Tema: Literatura
Os descendentes de Eça\"Rua
Recentemente, por via da comunicação social, soubemos da entrega do prémio Leya, a um trineto de Eça de Queirós. Julgo que bastou essa noticia, para que todos ficássemos curiosos sobre os seus descendentes…esse mistério, como o Mistério da Estrada de Sintra, começou a adensar-se entre quem se interessa por estas coisas da literatura e da genealogia…então aqui deixo algumas notas que poderão ser importantes para quiçá, um dia, um qualquer jornalista, ou editor, se lembre, de conseguir reunir todos os seus descendentes vivos e se tire uma fotografia de família.

José Maria Eça de Queirós, escritor pródigo da nossa nação, contraiu matrimónio em 1886, com Emília de Castro Pamplona Resende, condessa de Resende, deixando à data de sua morte, em Paris, quatro filhos como seus descendentes e herdeiros diretos; foram eles António Eça de Queirós, Maria Eça de Queirós, Alberto Eça de Queirós e José Maria Eça de Queirós; portanto três meninos e uma menina.
Através do site Geneall.net, foi possível perceber as linhas genealógicas que se seguiram aos seus filhos. No entanto, nem todos os nomes dos seus bisnetos e trinetos estão aí presentes, com certeza por motivos de ordem pessoal, de resguardo da privacidade, motivos que não podemos questionar. Porém, é possível, pelo menos determinar a existência desses membros da família queirosiana.

De antemão sabemos que não houve descendência por parte de dois dos seus filhos, António Eça de Queirós e de Alberto Eça de Queirós.
Maria Eça de Queirós teve dois filhos, uma menina e um menino, porém a menina morreu muito nova, ficando apenas o menino, de seu nome Manuel Pedro Benedito de Castro, que mais tarde casou com Maria da Graça Salema de Castro, a mulher que se tornou a primeira diretora da Fundação Eça de Queirós, na casa de Tormes, pertença da família da esposa de Eça de Queirós. Como Manuel Pedro Benedito de Castro não teve filhos, sabemos que por este ramo, terminou a descendência do escritor.

Convém, entretanto, acrescentar aqui uma curiosidade. Depois do regresso a Portugal da viúva de Eça, ela e os filhos, foram residir para a casa da Granja, pertencente à família de Sophia de Mello Breyner. Inicialmente como esta casa costumava ser arrendada pela família de Sophia, Emília de Castro, arrendou-a, vindo a compra-la uns anos depois. Portanto, é aqui nesta casa que ela cria os seus filhos, e é onde, José Maria Eça de Queirós, um dos seus filhos, permanece após a sua morte, tendo criado aqui os seus filhos e netos, e tendo aqui também falecido.

Podemos então seguramente afirmar que a sua grande linha de descendência parte do seu filho, com o mesmo nome, José Maria Eça de Queirós, que teve também ele, atente-se à curiosidade, quatro filhos, neste caso, ao inverso, um menino, e três meninas, respetivamente de seus nomes, Manuel Eça de Queirós, Maria das Dores Eça de Queirós, Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós e Emília Maria de Castro Eça de Queirós. Esta ultima, Emília, teve ao que consta nove filhos, sendo que um deles, Afonso Maria Eça de Queirós Cabral, é quem atualmente preside à Fundação acima citada, depois da morte da primeira presidente, referida atrás, Maria da Graça Salema de Castro.

Manuel Eça de Queirós por sua vez teve seis filhos, Maria das Dores Eça de Queirós teve três filhos, e Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós, dois filhos. Somados, contabilizamos vinte, os bisnetos do famoso escritor. Seria interessante avançar um pouco mais nos ramos genealógicos e aflorar quem são ou pelo menos, quantos são os trinetos e tetranetos de Eça, por conseguinte fica aqui o desafio, pois é certo que porventura alguns destes descendentes não se conhecem, e nunca terão trocado qualquer impressão sobre o seu ascendente, para uns, bisavô, para outros trisavô, e ainda para outros, tetravô.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Os descendentes de Eça

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios