Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > Calvície ou queda de cabelo

Calvície ou queda de cabelo

Categoria: Saúde
Visitas: 7
Comentários: 8
Calvície ou queda de cabelo

Saiba que todos os fios de cabelo crescem em média 1,25cm por mês durante dois a seis anos.

Ai cai. Mas não se preocupe isso é normal, se você esta vendo na escova ou no piso do banheiro vários fios de cabelo, saiba que perdemos de 50 a 100 fios de cabelos por dias, isso, é natural, pois faz parte do ciclo telógeno normal. Agora se cair mais fios do que nascem, ou se o novo cabelo é mais fino do que o que você tinha, ou se cai em tufo, ai provavelmente você esta ficando careca.Uma das principais causas da calvície é quando o hormônio masculino testosterona é convertido para forma de diidrotestosterona (DHT).

O DHT age no folículo capilar reduzindo a produção de cabelos e produzindo fios mais finos e fracos. Eventualmente, a produção de cabelos nos folículos cessa. Já as mulheres possuem uma pequena quantidade de testosterona, mas o estrógeno diminui seus efeitos até a menor pausa e com isso muitas mulheres enfrentam a queda do cabelo após a menor pausa.

A causa mais comum de perda de cabelo nos homem geralmente é herdada, como também é sinal do efeito de hormônio masculino DHT. Quase a metade dos homens enfrenta a calvície quando atinge os 50 anos. Os hormônios e os genes são as principais razões de que as pessoas perdem cabelos, mas alguns outros fatores também podem atuar como doença e até mesmo medicamento.

Doenças como a diabetes, lúpus e doenças como tireóide podem também causar a queda de cabelos. Existe muita infecção que atingi o couro cabeludo e pode deixar cicatriz, o que impede o crescimento do cabelo. O tratamento do câncer com quimioterapia e radioterapia leva a perda do cabelo, mas normalmente, o cabelo volta a crescer após o final do tratamento, muito pacientes antes de começar a fazer quimioterapia raspam o cabelo, antes que a queda venha. Outra coisa que pode causar a perda do cabelo é distúrbios alimentar. Existem medicamentos que é usado no tratamento de artrite, depressão, problemas de coração, pressão alta e gota que pode ocasionar a queda do cabelo, assim como a anticoncepcional, mas saiba que é pelos efeitos colaterais.

Infelizmente ainda não foi descoberta uma maneira de prevenir a calvície. Todavia, as empresas lançam vários tipos de creme, xarope, óleos, xampus e ervas medicinais etc., mas nem um foi tão eficaz. A OUS. Food & Drug administration (FDA) aprovou dois tipos de medicamento que diminui a perda e em algumas pessoas, fazem o cabelo crescer novamente, mas embora eles funcionem bem, esse medicamento deve ser tomado continuamente, pois se parar de tomar ele volta a perder o cabelo.



Waldiney Melo

Título: Calvície ou queda de cabelo

Autor: Waldiney (todos os textos)

Visitas: 7

780 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 8 )    recentes

  • Luene ZarcoLuene

    17-07-2014 às 18:27:29

    É bom sempre procurar um especialista na área para que identifique o real problema. Muitas vezes, apenas um tipo de remédio caseiro ou mudança de hábitos alimentares resolvem o problema.

    ¬ Responder
  • Carmem

    16-08-2013 às 15:30:35

    Meu marido fez transplante capilar na Master Health aqui em São Paulo e o resultado é bem natural. No site da clínica encontrei esta explicação e espero que ajude muitas pessoas: O transplante capilar consiste na retirada de uma região do couro cabeludo, chamada de doadora, geralmente localizada na parte posterior da cabeça, que será transplantada para a região atingida pela calvície, chamada de região receptora. O procedimento leva, aproximadamente, quatro horas para preencher a região afetada. Dependendo do grau de calvície do paciente, o método é realizado em sessões, porém o número necessário para que se obtenha um resultado satisfatório varia de paciente para paciente. A técnica utiliza os bulbos capilares do próprio paciente, o que evita o efeito artificial de métodos que usam fios sintéticos, proporcionando um resultado mais satisfatório e natural.

    ¬ Responder
  • severino moura

    29-06-2013 às 19:07:51

    eu tbm tenho esse problema fiquei careca tenho q encarar essa realidade

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de Climatizaçãoosal

    18-05-2010 às 00:25:46

    eu tmb to ferrado ^^

    ¬ Responder
  • SergioSergio

    27-12-2009 às 16:24:53

    Homens que sofrem de alopecia hereditária; não joguem dinheiro fora com tratamentos caros e shampoos milagrosos , contra a hereditariedade só o genoma vai agir mas ainda está na fase de estudos.
    Juntem o dinheiro que iriam gastar nesses "tratamentos" durante uns dois a tres anos e façam um transplante capilar ! Esse sim funciona e é para sempre.
    Ou assumam suas calvas e vivam felizes ...

    ¬ Responder
  • kellikelli

    27-09-2009 às 00:54:31

    tenho só 21 anos mais tenho muita
    mas muita queda de cabelo!!!
    oq posso fazer???

    ¬ Responder
  • ana c silvaana c silva

    13-08-2009 às 20:45:17

    tenho 40 anos estou desesperada pois estou ficando sem cabelo
    me sentindo horrorosa estou tomando pantogar será que vai fazer resultado?

    ¬ Responder
  • gallgall

    23-07-2009 às 21:30:27

    Ola!!
    meu namorado tem 30 anos e sofre com o problema de calvice o que ele deve fazer para solucionar este problema?

    ¬ Responder

Comentários - Calvície ou queda de cabelo

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os descendentes de Eça

Ler próximo texto...

Tema: Literatura
Os descendentes de Eça\"Rua
Recentemente, por via da comunicação social, soubemos da entrega do prémio Leya, a um trineto de Eça de Queirós. Julgo que bastou essa noticia, para que todos ficássemos curiosos sobre os seus descendentes…esse mistério, como o Mistério da Estrada de Sintra, começou a adensar-se entre quem se interessa por estas coisas da literatura e da genealogia…então aqui deixo algumas notas que poderão ser importantes para quiçá, um dia, um qualquer jornalista, ou editor, se lembre, de conseguir reunir todos os seus descendentes vivos e se tire uma fotografia de família.

José Maria Eça de Queirós, escritor pródigo da nossa nação, contraiu matrimónio em 1886, com Emília de Castro Pamplona Resende, condessa de Resende, deixando à data de sua morte, em Paris, quatro filhos como seus descendentes e herdeiros diretos; foram eles António Eça de Queirós, Maria Eça de Queirós, Alberto Eça de Queirós e José Maria Eça de Queirós; portanto três meninos e uma menina.
Através do site Geneall.net, foi possível perceber as linhas genealógicas que se seguiram aos seus filhos. No entanto, nem todos os nomes dos seus bisnetos e trinetos estão aí presentes, com certeza por motivos de ordem pessoal, de resguardo da privacidade, motivos que não podemos questionar. Porém, é possível, pelo menos determinar a existência desses membros da família queirosiana.

De antemão sabemos que não houve descendência por parte de dois dos seus filhos, António Eça de Queirós e de Alberto Eça de Queirós.
Maria Eça de Queirós teve dois filhos, uma menina e um menino, porém a menina morreu muito nova, ficando apenas o menino, de seu nome Manuel Pedro Benedito de Castro, que mais tarde casou com Maria da Graça Salema de Castro, a mulher que se tornou a primeira diretora da Fundação Eça de Queirós, na casa de Tormes, pertença da família da esposa de Eça de Queirós. Como Manuel Pedro Benedito de Castro não teve filhos, sabemos que por este ramo, terminou a descendência do escritor.

Convém, entretanto, acrescentar aqui uma curiosidade. Depois do regresso a Portugal da viúva de Eça, ela e os filhos, foram residir para a casa da Granja, pertencente à família de Sophia de Mello Breyner. Inicialmente como esta casa costumava ser arrendada pela família de Sophia, Emília de Castro, arrendou-a, vindo a compra-la uns anos depois. Portanto, é aqui nesta casa que ela cria os seus filhos, e é onde, José Maria Eça de Queirós, um dos seus filhos, permanece após a sua morte, tendo criado aqui os seus filhos e netos, e tendo aqui também falecido.

Podemos então seguramente afirmar que a sua grande linha de descendência parte do seu filho, com o mesmo nome, José Maria Eça de Queirós, que teve também ele, atente-se à curiosidade, quatro filhos, neste caso, ao inverso, um menino, e três meninas, respetivamente de seus nomes, Manuel Eça de Queirós, Maria das Dores Eça de Queirós, Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós e Emília Maria de Castro Eça de Queirós. Esta ultima, Emília, teve ao que consta nove filhos, sendo que um deles, Afonso Maria Eça de Queirós Cabral, é quem atualmente preside à Fundação acima citada, depois da morte da primeira presidente, referida atrás, Maria da Graça Salema de Castro.

Manuel Eça de Queirós por sua vez teve seis filhos, Maria das Dores Eça de Queirós teve três filhos, e Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós, dois filhos. Somados, contabilizamos vinte, os bisnetos do famoso escritor. Seria interessante avançar um pouco mais nos ramos genealógicos e aflorar quem são ou pelo menos, quantos são os trinetos e tetranetos de Eça, por conseguinte fica aqui o desafio, pois é certo que porventura alguns destes descendentes não se conhecem, e nunca terão trocado qualquer impressão sobre o seu ascendente, para uns, bisavô, para outros trisavô, e ainda para outros, tetravô.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Os descendentes de Eça

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios