Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > Alivie a dor através da Carboxiterapia

Alivie a dor através da Carboxiterapia

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Saúde
Visitas: 34
Comentários: 10
Alivie a dor através da Carboxiterapia

A carboxiterapia é uma técnica bastante recente, não cirúrgica, em que o médico, ou alguém sob a sua orientação, infiltra no tecido subcutâneo do(a) paciente (por baixo da pele), em locais previamente definidos, dióxido de carbono (CO2), com agulhas extremamente finas. Este gás, inodoro, espalha-se com facilidade aos tecidos contíguos, e não provoca alergias nem complicações.

A carboxiterapia pode ser aplicada para o alívio de diversas dores, nomeadamente: do foro reumático (artroses, artrites, …), tendinites, bursites, inflamações do cotovelo, doença do túnel do carpo, entre várias outras. Em acréscimo, melhora, analogamente, a circulação sanguínea em caso de varizes, com natural redução da dor. A carboxiterapia proporciona ainda a melhoria de feridas que não cicatrizam (como por exemplo úlceras crónicas decorrentes de varizes ou da diabetes).

Quando o gás carbónico é introduzido sob a pele faz com que aumente a oxigenação dos tecidos, mitigando assim o processo inflamatório, o que se traduz numa atenuação da dor. Para além do mais, o CO2 não é tóxico, não tem efeitos transversais e é rapidamente banido pelo organismo. Aliás, o dióxido de carbono é produzido naturalmente pelas células, de forma permanente, durante a vida, resultando do metabolismo. É transportado pelo sangue e eliminado pelo processo de expiração, quando respiramos. O anidro carbónico é ainda utilizado em determinados tipos de intervenções cirúrgicas e como meio de contraste em exames radiológicos, pelo que a sua segurança parece atestada. Todos nós produzimos cerca de 200 ml de CO2 por minuto, quantidade passível de atingir valores até dez vezes superiores no decurso de esforços físicos. Por norma, nesta terapêutica administram-se menos de 80 ml por minuto, o que se insere perfeitamente na concentração fisiológica. Mesmo quando usado em doses elevadas, o gás carbónico não origina consequências sistémicas, como variações na tensão arterial ou na pressão parcial de oxigénio (PO2).

Daqui conclui-se que, sendo corretamente utilizada, a carboxiterapia não oferece riscos nem efeitos indesejáveis. Isto não dispensa a obrigatoriedade de ser realizada por médicos capacitados. A pessoa pode, inclusive, retomar a sua vida normal depois de cada sessão de carboxiterapia. Os possíveis incómodos dizem respeito a uma dor branda e pequenos hematomas ocasionados pela punção. Caso se verifique um pequeno enfisema subcutâneo, este deverá desaparecer na meia hora subsequente.

O tratamento por carboxiterapia não é doloroso, podendo causar apenas um desconforto subtil motivado pela distensão dos tecidos moles (devido à acumulação de gás no local da aplicação), que desaparece logo que o fluxo de gás é suspenso.

Para além das dores, a carboxiterapia é também empregue no combate à celulite. Os tratamentos são rápidos, bem tolerados e com resultados satisfatórios na maioria das pessoas que a eles se submetem.

A carboxiterapia possibilita a sanação de processos inflamatórios mediante a melhoria da circulação e do metabolismo dos tecidos das áreas tratadas. Deste modo, os músculos, as articulações e a pele regeneram-se com mais facilidade. A carboxiterapia já é praticada em todo o mundo, inclusive no tratamento de úlceras cutâneas e outros padecimentos coligados.


Maria Bijóias

Título: Alivie a dor através da Carboxiterapia

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 34

787 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 10 )    recentes

  • GERSON

    15-05-2016 às 22:57:50

    GOSTARIA DE SABER MAIS ARTIGO SOBRE A CARBOXITERAPIA PARA DORES. E DE ONDE FOI EXTRAIDO ESTAS INFORMAÇÕES NA MATÉRIA CITADA.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoMaria

    01-10-2014 às 21:31:28

    Fiz carboxterapia nas olheiras...na primeira sessão com um fluxo baixo, não ouve problemas, mas na segunda sessão com fluxo mais alto, meus olhos ficaram muitos inchados durante três dias...me disseram que foi um processo inflamatório...alguém poderia me auxiliar se posso continuar fazendo?

    ¬ Responder
  • SophiaSophia

    02-10-2014 às 16:50:14

    Olá,
    É normal ficar inchado por alguns minutos, e depois pode realizar suas atividades normais. A inflamação pode ser por conta dos efeitos colaterais que podem ocorrer, mas o ideal é que procure o profissional que realizou as sessões para ter mais informações precisas!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder
  • Rafaela CoronelRafaela

    17-07-2014 às 20:06:45

    Muito bom! Acredito bastante que alivie a dor através desse método - a carboxiterapia. Por mais que achemos um pouco caro, mas sempre vale a pena.

    ¬ Responder
  • Claudio

    03-01-2013 às 04:27:28

    Gostaria de receber fotos de possíveis hematomas provocados pelo carbox quando atinge um vaso.
    grato,

    ¬ Responder
  • KARINAKARINA

    10-05-2012 às 17:33:56

    OLA,
    Tenho olheiras muito escuras, minha avo tinha olheira escura, e percebi que quando tenho rinite alergica ela piora. Fui informada que o carbox na regiao da olheira tem um otimo resultado quem ja fez recomenda. Gostaria de saber se relamente procede essa informaçao, as conseuqencias

    ¬ Responder
  • silvia renatasilvia renata

    04-12-2011 às 18:11:49

    Boa tarde !!
    Sou fisioterapeuta e gostaria de saber algum curso de carbox voltado para alivio das dores de artrite, artrose e outras inflamações. Ficarei grata.

    ¬ Responder
  • Helena CostaCarolina

    27-02-2010 às 20:42:17

    Olá,
    Estou fazendo tratamento de gordura localizada e celulite com masoterapia sem agulha e carbox. Fiz duas seções de caebox e estou com 3 hematomas na pele (um muito forte) é normal???

    ¬ Responder
  • Iana Gonçalves silva de souzaIana Gonçalves silva de souza

    13-10-2009 às 21:01:36

    Oi, gostaria de saber se vcs já usaram a caboxi associado ao tens, por que as pacientes costumam relatar dor, no tratamento de gordura localizada.

    ¬ Responder
  • ElizabethElizabeth

    09-10-2009 às 01:01:24

    Eu tenho olheiras muito escuras e fundas, será que a carboxiterapia, melhoraria esse meu problema? Eu fico com a aparência muito cansada e fico muito encomodada com isso. Se alguém, já fez e sentiu resultado... por favor deixe o comentário. Obrigada!

    ¬ Responder

Comentários - Alivie a dor através da Carboxiterapia

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como economizar energia em condomínios, empresas e edificações comerciais

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Energias Renováveis
Como economizar energia em condomínios, empresas e edificações comerciais\"Rua
Economizar energia elétrica é importante para nós e para o planeta, já que esse recurso é produzido, em sua grande maioria, através de processos caros e extremamente prejudiciais ao meio ambiente.

O consumo racional e eficiente de energia elétrica depende de mudanças de hábito por parte dos consumidores (residenciais, comerciais e industriais), principalmente no que diz respeito a ações cotidianas.

Nesse texto selecionamos algumas dicas e informações de grande utilidade pra ajudá-los a programar o uso racional da energia elétrica em condomínios, empresas e em edificações comerciais.

Tome nota:

•Faça manutenção planejada e constante nas instalações elétricas, e não sobrecarregue os circuitos além do que foi especificado em projeto, ou pelo eletricista. A falta de manutenção e a sobrecarga dos circuitos podem causar curtos, aquecer a fiação e permitir que quantidade significativa de energia elétrica se perca pela rede, e ainda danifique a própria fiação.

•Troque todas as lâmpadas incandescentes por fluorescentes (tubulares ou compactas), e, se possível, invista na iluminação de LED. As lâmpadas de LED consomem cerca de 80% menos de energia elétrica, quando comparadas às incandescentes e duram oito vezes mais.

•Se o ambiente é muito grande, muito largo, ou muito extenso, divida a iluminação em vários circuitos. Essa medida permite o desligamento parcial de lâmpadas em desuso ou desnecessárias.

•Em áreas de pouca circulação e de permanência transitória como corredores, sanitários, garagens, áreas de serviço e copas, é recomendável a instalação de sensores de presença, mecanismos que acionam a iluminação somente quando houver circulação de pessoas.

•Em áreas cuja iluminação natural consegue ser aproveitada, podem ser também instalados sensores de fotocélulas, dispositivos que detectam automaticamente a necessidade de acionamento da iluminação artificial quando a iluminação natural é insuficiente (á noite e em dias nublados, por exemplo).

•Mantenha as luminárias sempre limpas para que a potência das lâmpadas seja 100% aproveitada.

•Pinte as paredes internas e os tetos dos ambientes com cores claras, pois essas refletem e espalham a luz para todo o ambiente.

•Troque equipamentos elétricos velhos, motores defasados, aparelhos de ar condicionados antigos, luminárias muito gastas, por modelos mais novos, que já são projetados para consumirem menos energia elétrica, e contam com selos de garantia que os qualificam com relação à eficiência.

•Faça manutenção e limpeza constantes nos aparelhos de ar condicionado. Filtros sujos exigem maior esforço dos aparelhos (maior gasto energético) no processo de refrigeração e ainda causam grande risco à saúde.

•Não deixe caixas condensadoras e resfriadoras do sistema de ar condicionados instaladas em locais onde recebam incidência solar constante. Quando recebem sol durante muito tempo esses equipamentos chegam a consumir o dobro da energia prevista, já que a utilizam primeiramente para promover o seu próprio resfriamento e só depois a refrigeração dos ambientes.

Aproveitem nossas dicas e se precisarem de mais informações, entrem em contato com um profissional capacitado.

Pesquisar mais textos:

Danília Oliveira Gonçalves

Título:Como economizar energia em condomínios, empresas e edificações comerciais

Autor:Danília Oliveira Gonçalves(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios