Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > A leucemia em Criança

A leucemia em Criança

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Saúde
Visitas: 8
Comentários: 15
A leucemia em Criança

A leucemia em um adulto é triste e em uma criança corta o nosso coração, pois a leucemia é um termo que se refere a um grupo de doenças muito complexa e diferentes entre si, e que afeta os globos brancos. A leucemia é a doença maligna que é mais comum na infância, correspondendo aproximadamente a 30% dos casos de câncer em criança.

As leucemias são classificadas como agudas e crônicas, tomando-se como base o nível de maturação da população neoplásica. As agudas se caracterizam por um grave defeito de maturação, induzindo a um acúmulo de células imaturas que é os blastos; que há falha na produção dos glóbulos brancos diferenciados. As leucemias crônicas, é ao contrário, são definidas por hiperplasia de elementos maduros, que tendem a constituir distúrbios relativamente e indolentes nos seus estádios iniciais, porém, tardiamente pode transformar em uma leucemia agudas. 85% das leucemias em crianças são da uma forma linfoide aguda, e 10% mieloide aguda, e 5% Mieloide Crônica. As leucemias linfoides crônicas não se manifestam na faixa pediátrica. Incidem na população em uma freqüência de 125.000 indivíduos do grupo com faixa etária de 0 a 14 anos. O risco de uma criança desenvolver leucemia nos primeiros dez anos é de 12.880. A faixa etária de maior freqüência está entre 2 e 5 anos, sendo raras crianças apresentarem leucemias linfoides abaixo dos 2 anos e acima dos 10 anos.

Discute a sua etiologia, embora sejam enfatizados como possíveis causas e efeitos da irradiação, exposição a drogas quimioterápicas, fatores genéticos, fatores imunológicos e exposições a algumas viroses. Para melhor entende esta, doenças, são importante compreendamos a composição do sangue e da medula óssea. O sangue é composto por plasma e células suspensas no plasma. O plasma é formado por água na qual se dissolvem vários elementos químicos: como a proteínas ex: albumina, hormônios outro exemplo hormônio da tireoide, os minerais ex: ferro, vitaminas ex: ácido fólico e anticorpos, inclusive aqueles que desenvolvemos a partir da vacinação como, por exemplo, anticorpos ao vírus da poliomielite. As células presentes no sangue incluem glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e as plaquetas. Os glóbulos vermelhos estão repletos de hemoglobina, a proteína que capta oxigênio nos pulmões e os leva para os tecidos. As plaquetas são células pequenas que ajudam a conter o sangramento, acoplando-se à superfície dos vasos, quando lesados, faz com que se juntem, fechando o local do sangramento.

Os glóbulos brancos são também denominados fagócitos, ou seja, células “comedoras”, por “ingerirem” bactérias ou fungos e que ajudar a destruí-los, auxiliando na cura da infeção. Os eosinófilos e os basófilos são subtipos de glóbulos brancos que participam da resposta a processos alérgicos. Linfócitos: são tipos de glóbulos brancos presentes, em sua maioria nos gânglios linfáticos e em menor número no sangue periférico, que têm como principal função manter a imunidade. Existem três tipos de linfócitos: Linfócito B, Linfócito T e células Natural Killer. Todos estes tipos de células ajudam a combater infeções de todo o corpo. Eles se acumulam em certas áreas, como pescoço, axilas, peito, abdome e virilha.

Vasos linfáticos são vasos que conectam os gânglios. Eles contêm linfa, uma espécie de fluido que transporta os linfócitos, e funcionam como “vias expressas” para o trânsito dos linfócitos. A medula óssea é um tecido esponjoso, que ocupa a cavidade central do osso e onde ocorre o desenvolvimento de células sangüíneas que circulam no sangue. O processo é da formação das células sangüíneas, que é chamado de hematopoese. Um pequeno grupo de células, denominadas as células-tronco hematopoéticas, e que é responsável por produzir todas as células sangüíneas no interior da medula óssea. As células-tronco hematopoéticas, se desenvolvem em células sangüíneas específicas por um meio de um processo de diferenciação. Gânglios linfáticos: são nódulos ou órgãos do tamanho de um grão de feijão, encontrados em crianças e adolescentes saudáveis, existem células-tronco hematopoéticas suficientes para que haja uma produção contínua das células sangüíneas.

Quando as células estão completamente maduras com a capacidade de funcionamento, elas deixam a medula óssea e migram para o sangue, onde realizam suas funções. Os subtipos de Leucemia Linfoide aguda é a leucemia linfoide aguda, que pode se desenvolver a partir de linfócitos primitivos que estejam em vários estágios de desenvolvimento, sendo os principais subtipos descobertos por exames realizados nos linfoblastos leucêmicos, tais como: Imunofenótipos, imunofenotipagem Fenótipos que são as características físicas das células. Os subtipos principais são T e B, assim chamados porque suas células apresentam características semelhantes a dos linfócitos T ou B normais.

Uma vez que essas características são determinadas, o termo utilizado pode ser leucemia linfoblástica aguda tipo T ou leucemia linfoblástica aguda tipo B. A anormalidades Cromossômicas que é cito genética que é alteração nos cromossomos das células blásticas podem ser avaliados por exame como denominado cito genética. Uma alteração específica nos cromossomos, também auxilia na classificação da doença e no planejamento do tratamento. Dentre outras características importantes na orientação terapêutica está na idade do paciente, e o nível da contagem de glóbulos brancos do sangue e o envolvimento do sistema nervoso central.


Waldiney Melo

Título: A leucemia em Criança

Autor: Waldiney (todos os textos)

Visitas: 8

762 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 15 )    recentes

  • eliane

    06-07-2013 às 17:35:07

    eu e minha familia descobrimos que minha irma de 10 mese esta com leocemia todos estamos muito triste ..tem cura

    ¬ Responder
  • janete da conceicao rosa

    31-01-2013 às 20:27:16

    descobrimos que minha "metadinha" está com leucemia no sangue,ele tem 10 anos estou acabada,me ajudem.

    ¬ Responder
  • ana paula pereira da silvaana paula pereira da silva

    19-02-2012 às 15:58:06

    eu ana estou fazendo curso tec.de emfermagem e estou fazendo um trablhor e escolhir lecemia em criança pos gosto de criança e queria sabe e ajuda queria ajuda pra que meu trabalhor venha ajuda e tira duvida obrigado mim ajudem por favor.

    ¬ Responder
  • geovaci peres de castrogeovaci peres de castro

    10-09-2011 às 03:11:44

    meu filho Rafael Peres, ta acometido de leucemia linfoide aguda t, ja foi realizado 08 sessao de quimioterapia e a doença voltou, infelismente nao encontrou um doador compativel, e os medicos fala que é muito grave, esta fazendo oque pode, mas a minha esperança ta depositada no nosso senhor Jesus Cristo, pois to lendo a bíblia e a palavra de Deus nos da muito esperança de cura através da fé...vamos incentivar as pessoas a fazer o teste de compatibilidade de doador de medula ossea.

    ¬ Responder
  • Lais matias gouveiaLais matias gouveia

    18-02-2011 às 12:03:38

    Oi na terça,recebi a noticia q o meu pequeno pricipe(DAVY)
    esta com leocemia,estou desesperada.o medico ja nos comunicou qual o tipo de leocemia q ele tem,gostaria de saber quais as chances q ele tem para se cura o meu principe tem 4anos.obrigada

    ¬ Responder
  • fernandofernando

    25-12-2010 às 21:48:03

    a uma semana descobrimos que o meu sobrinho era portador de leucemia ele tem apenas 2 anos e 4 meses estamos desesperados pois conhecemos pouco sobre a doença e possuimos poucos recursos gostaria se possivel obter mais informaçoes precisas sobre a doença

    ¬ Responder
  • janainajanaina

    16-12-2010 às 00:25:51

    tenho uma priminha de 9 anos q estar com leucemia aguda.E gostaria de saber qual achance de cura para essa doença?e se é preciso um transpalnte de medula para se ter uma cura por completo ou se so a quimio resolve?

    ¬ Responder
  • isabella e nayara somos médicas

    10-06-2012 às 00:28:18

    voce tem que levar a sua priminha de 9 anos para o médico e o médico vai passar um remédio para voce talvez ele nem passe se ele não passar ela vai tenque levar uma injessão.

    ¬ Responder
  • Alexandra NunesBeatriz

    14-12-2010 às 18:55:12

    olá , tenho uma prima de 9 anos de idade , hoje descobrimos que ela está com leucemia , gostaria de saber se tem chançes de cura e como vai ser feito , estou muito triste , sou muito apegada a essa criança e sou capaz de tudo pra ver ela livre dessa doença.

    ¬ Responder
  • elizabetesantos de arrudaelizabetesantos de arruda

    22-11-2010 às 11:23:03

    tenho0 serteza de que Deus estar sempre no comando de tudo ate nas horas de aflisão que ele possa cofoltar da melhor forma possive a todos os portadores e famlhares que der força que eles possa olar com fé pos o pai selesteal amo e que dalas paz i vida ate mais

    ¬ Responder
  • Antonio IjanoDaliane

    13-03-2010 às 00:46:24

    Gostaria de saber sobre a leucemia do tipo t, sobre o tratamento e se existe cura para essa doença. Aguardo resposta. Obriga!

    ¬ Responder
  • Elsa FonsecaElsa Fonseca

    15-12-2009 às 13:00:28

    Tal como a Iamara,tenho uma criança filha de um amigo com leucemia do tipo t,informem-me sobre a doença,tratamento e ...cura.Tou numa aflição muito grande.Obrigada

    ¬ Responder
  • lamaralamara

    22-10-2009 às 00:53:14

    Ontem descobri na minha família que minha prima de 10 anos está com leucemia do tipo t, gostaria de receber informações sobre esse tipo de doença e como é o tratamento e a possibilidade de cura?

    ¬ Responder
  • noeli marconnoeli marcon

    22-09-2009 às 01:35:14

    quais sao as chanses de cura de uma criança de 4 anos . e quanto tempo de tratamento? sendo que a crinça esta bem debilitada. obrigada

    ¬ Responder
  • Sebastião Carlos Fonseca FariasSebastião Carlos Fonseca Farias

    16-09-2009 às 15:16:27

    O assusnto deve ser aprofundado, pois as pesquisas tem que ter especificação de como afeta todos os sistemas do organismo, para poder termos um quadro bem amplo de que na verdade é Leucemia.

    ¬ Responder

Comentários - A leucemia em Criança

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Dicas para decorar salas pequenas.

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Decoração
Dicas para decorar salas pequenas.\"Rua
A realidade das grandes cidades é que a maioria das pessoas mora em espaços pequenos. É fato também que todos desejam ter um ambiente acolhedor e aconchegante para receber amigos. Em contrapartida, na medida em que os espaços encolhem, a quantidade de aparelhos eletrônicos que utilizamos aumenta cada vez mais. Há ainda quem use a sala como home-office.

Nesta busca de inspiração para organizar e incrementar sua sala, encontramos uma série de sites especializados e blogs com muitas, muitas ideias. O conceito de D.I.Y. (do it yourself) que significa "faça você mesmo” nunca esteve tão na moda. É uma alternativa para reduzir gastos com mão de obra e nada melhor do que criar um espaço com um toque todo seu. Inspirações e ideias não faltam. Hoje, de certa forma todos nos sentimos meio decoradores.

Mas planejar a decoração de uma sala pequena exige alguns cuidados para que o ambiente não fique entulhado de móveis, disfuncional ou até mesmo desagradável.

Confira algumas dicas para decorar sua sala com estilo e valorizando seu espaço:
Os espelhos, além da autocontemplação, causam efeitos interessantes. Aplicados, por exemplo, em uma parede inteira pode duplicar a amplitude do ambiente. Pode ser usado também em móveis, tetos, em diversos formatos e valorizar a luminosidade da decoração.

As cores tem poder de causar sensações. Em ambientes com pouco espaço, elas podem colaborar para que a sensação de amplitude possa tanto aumentar quanto diminuir. Para pintar as paredes de sua sala aposte em cores claras. O teto com uma cor mais clara que a das paredes, por exemplo, pode simular uma elevação do teto, já em uma cor mais escura, promoverá uma sensação de rebaixamento do teto.

A escolha e posição dos móveis são um aspecto muito importante. Opte por poucos móveis, nunca de tamanhos exagerados e posicione-os de forma que valorize o espaço. Móveis que misturam poucos materiais, baixos e com linhas retas proporcionam leveza ao ambiente.

Uma solução muito interessante para espaços pequenos é a utilização de prateleiras. Caixas para produtos horto frutícolas reformadas podem se tornar lindas prateleiras. Mas cuidado com a profundidade, para não atrapalhar na disposição de outros móveis e objetos.

Móveis multifuncionais ou móveis inteligentes são excelentes alternativas para uma sala pequena. Um bom exemplo são pufes, que podem ser usados como mesas de centro ou ficarem alojados debaixo de aparadores e quando recebemos visitas podem se transformar em assentos extras. Mesas dobráveis também são uma ótima opção.

Escolher o mesmo piso ou revestimento pode dar a impressão de área maior, de continuidade. Mudanças drásticas de um ambiente para outro pode causar a sensação de divisão e consequentemente fazer parecer menor.

Algumas outras dicas: um sofá retrátil ou reclinável garante muito mais conforto e ocupa o espaço de um sofá simples. Suporte ou painéis móveis para TV possibilitam que ela seja movida na direção desejável. Caso o ambiente tenha escadas, escolher um modelo de escadas vazadas evita divisões e pode se tornar uma peça de destaque na sala. E para as cortinas, escolha tecidos leves, lisas e sem estampas.

De qualquer forma, ouse, não tenha medo de arriscar, crie, não copie, só assim será seu!

Luciana Santos.

Outros textos do autor:
Dicas para decorar salas pequenas.

Pesquisar mais textos:

Luciana Maria dos Santos

Título:Dicas para decorar salas pequenas.

Autor:Luciana Maria Santos(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Carlos Rubens Neto 16-06-2016 às 16:20:24

    Excelente matéria! Parabéns Luciana ;)

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios