Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Relacionamentos > Namoro À Distância: Você Acredita Que Dá Certo?

Namoro À Distância: Você Acredita Que Dá Certo?

Categoria: Relacionamentos
Namoro À Distância: Você Acredita Que Dá Certo?

"Se Quilômetros de distância do céu para a terra não impedem Deus de morar no nosso coração como a distância pode impedir as pessoas de se amarem?" (Natanael Genoel)

Namoro à distância ainda é visto pelas pessoas como um bicho de sete cabeças por conta das saudades extremas que provoca, fora os ciúmes que tendem a surgir. Tudo isso acontece querendo ou não, mas se o casal se ama de verdade e estão prontos para valorizar esse relacionamento e por conta disso lutam para fazer o romance viver eternamente. E claro, o mais importante de tudo é dar certo. E quando dá certo? Quando o namoro não se baseia no sentimento e sim na Fidelidade a Deus!

Se você está num namoro à distância e não sabe o que fazer ou como reagir a determinadas situações para viver esse amor e manter a chama do sentimento aceso independente da distância que separa o seu físico do seu amor, leia as dicas que vou lhe oferecer abaixo:

OBS.: A distância pode até separar o físico, mas jamais o coração.

MESMO NO VIRTUAL, BUSQUE INOVAÇÃO
Estabeleça algumas estratégias para manter a comunhão física como uma ligação inesperada ou marcada pelo celular ou pelo Skype, por exemplo. Isso ajuda a aliança permanecer firmada todos os dias além de formar laços no coração do casal. E não se esqueça de aproveitar o máximo de oportunidades possíveis para cuidar da vida espiritual renovando assim o relacionamento e deixando um ao outro com a fé mais edificante. Surpreenda seu amor gravando um vídeo, tirando uma foto ou escrevendo algo especial. Quando estiver em um local interessante envie para o seu amor algumas fotos do ambiente ou vídeo revelando o que faria com ele se tivesse ali. Use a sua criatividade! Inove!

É IMPOSSÍVEL EXISTIR AMOR SEM CONFIANÇA!
Aos olhos do homem não é fácil viver um relacionamento à distância porque o mundo está acostumando a não confiar em ninguém. Com isso, devemos formar uma fonte de confiança dentro de nós. Para aqueles que são ciumentos por natureza isso é uma praticamente uma missão insustentável. Essa é infelizmente a razão que impede muitos relacionamentos de darem certo. Dominar o que seu amor faz no dia a dia e ficar criando na mente mil situações, caso ele demore na hora da ligação, por exemplo não é interessante, pois só gerará problemas na relação e conflitos para o amor.

Busque manter a comunhão com frequência de maneira positiva, mas sem colocar pressão e cobrando muito. Outra dica é quando se encontrarem procurar valorizar cada minuto buscando lugares certos para aproveitarem as chances de se ver.

SEJA POSITIVA!
Afaste de vocês tudo o que contraria de maneira negativa o namoro à distância. Busque focar sempre o lado bom da distância. Se dedique ao seu trabalho sempre se empenhando para ter o melhor futuramente assim como nos estudos. Ao conversarem levem consigo o companheirismo, segurança e sempre busquem perdoar uns aos outros.

APROVEITE OS MOMENTOS DE DIVERSÃO
Não despreze momentos de viajar, sair com os amigos e familiares. É essencial dizer a ele como foi ótimo cada momento, mencionando como foi as experiências e como seria se ele tivesse com você. Diga que seria melhor ainda se ele estivesse. Mande fotos dos lugares que você frequentou além de gravar vídeos tudo pelo bem do relacionamento. Use a tecnologia em seu favor e faça a diferença no seu relacionamento.

ELIMINE TODOS OS CIÚMES
Os ciúmes exagerados e desnecessários desgastam demais o relacionamento. Seu amor também tem vida social e você tem que oferecer o devido respeito quanto a isso. O verdadeiro amor dá liberdade e não prisão. Você pode observar os passos dele, mas sem mostrar insegurança. Faça isso com cautela e sem murmúrio. Busque ser sábia como Deus ensinou.

PREPARE LUGARES PARA VISITAR
Faça muitas visitas e quanto mais melhor! Nunca se esquecendo de que um dia vocês estarão frente a frente todos os dias e que a distância é só uma questão de tempo que vocês vão vencer cuidando um do outro. Ambos têm que lutar de maneira adequada. O contato físico tem que acontecer para o avivamento da relação.

NÃO ACEITE BRIGAS DESNECESSÁRIAS
Os momentos que estiverem juntos é valioso, portanto não desperdice tempo com brigas desnecessárias. Valorizem o tempo de união para namorarem e se edificarem bastante. Se existir briga que seja por um motivo sério, mas sempre buscando melhorar e resolver o problema. Perdoe sempre!

Mesmo longe não há nada que possa impedir o namoro de durar para a eternidade. Tudo isso só vai depender de sua fé e de sua atitude!


Natanael Genoel

Título: Namoro À Distância: Você Acredita Que Dá Certo?

Autor: Natanael Genoel (todos os textos)

Visitas: 0

487 

Comentários - Namoro À Distância: Você Acredita Que Dá Certo?

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os descendentes de Eça

Ler próximo texto...

Tema: Literatura
Os descendentes de Eça\"Rua
Recentemente, por via da comunicação social, soubemos da entrega do prémio Leya, a um trineto de Eça de Queirós. Julgo que bastou essa noticia, para que todos ficássemos curiosos sobre os seus descendentes…esse mistério, como o Mistério da Estrada de Sintra, começou a adensar-se entre quem se interessa por estas coisas da literatura e da genealogia…então aqui deixo algumas notas que poderão ser importantes para quiçá, um dia, um qualquer jornalista, ou editor, se lembre, de conseguir reunir todos os seus descendentes vivos e se tire uma fotografia de família.

José Maria Eça de Queirós, escritor pródigo da nossa nação, contraiu matrimónio em 1886, com Emília de Castro Pamplona Resende, condessa de Resende, deixando à data de sua morte, em Paris, quatro filhos como seus descendentes e herdeiros diretos; foram eles António Eça de Queirós, Maria Eça de Queirós, Alberto Eça de Queirós e José Maria Eça de Queirós; portanto três meninos e uma menina.
Através do site Geneall.net, foi possível perceber as linhas genealógicas que se seguiram aos seus filhos. No entanto, nem todos os nomes dos seus bisnetos e trinetos estão aí presentes, com certeza por motivos de ordem pessoal, de resguardo da privacidade, motivos que não podemos questionar. Porém, é possível, pelo menos determinar a existência desses membros da família queirosiana.

De antemão sabemos que não houve descendência por parte de dois dos seus filhos, António Eça de Queirós e de Alberto Eça de Queirós.
Maria Eça de Queirós teve dois filhos, uma menina e um menino, porém a menina morreu muito nova, ficando apenas o menino, de seu nome Manuel Pedro Benedito de Castro, que mais tarde casou com Maria da Graça Salema de Castro, a mulher que se tornou a primeira diretora da Fundação Eça de Queirós, na casa de Tormes, pertença da família da esposa de Eça de Queirós. Como Manuel Pedro Benedito de Castro não teve filhos, sabemos que por este ramo, terminou a descendência do escritor.

Convém, entretanto, acrescentar aqui uma curiosidade. Depois do regresso a Portugal da viúva de Eça, ela e os filhos, foram residir para a casa da Granja, pertencente à família de Sophia de Mello Breyner. Inicialmente como esta casa costumava ser arrendada pela família de Sophia, Emília de Castro, arrendou-a, vindo a compra-la uns anos depois. Portanto, é aqui nesta casa que ela cria os seus filhos, e é onde, José Maria Eça de Queirós, um dos seus filhos, permanece após a sua morte, tendo criado aqui os seus filhos e netos, e tendo aqui também falecido.

Podemos então seguramente afirmar que a sua grande linha de descendência parte do seu filho, com o mesmo nome, José Maria Eça de Queirós, que teve também ele, atente-se à curiosidade, quatro filhos, neste caso, ao inverso, um menino, e três meninas, respetivamente de seus nomes, Manuel Eça de Queirós, Maria das Dores Eça de Queirós, Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós e Emília Maria de Castro Eça de Queirós. Esta ultima, Emília, teve ao que consta nove filhos, sendo que um deles, Afonso Maria Eça de Queirós Cabral, é quem atualmente preside à Fundação acima citada, depois da morte da primeira presidente, referida atrás, Maria da Graça Salema de Castro.

Manuel Eça de Queirós por sua vez teve seis filhos, Maria das Dores Eça de Queirós teve três filhos, e Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós, dois filhos. Somados, contabilizamos vinte, os bisnetos do famoso escritor. Seria interessante avançar um pouco mais nos ramos genealógicos e aflorar quem são ou pelo menos, quantos são os trinetos e tetranetos de Eça, por conseguinte fica aqui o desafio, pois é certo que porventura alguns destes descendentes não se conhecem, e nunca terão trocado qualquer impressão sobre o seu ascendente, para uns, bisavô, para outros trisavô, e ainda para outros, tetravô.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Os descendentes de Eça

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios