Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Uso do Polígrafo

Uso do Polígrafo

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Uso do Polígrafo

O poligrafo foi criado por John Larson a mil novecentos e vinte e um, melhorado mais tarde por Leonard Keeler.

Este é um aparelho direcionado para detetar atividades fisiológicas no corpo humano devido a estímulos que não são controláveis pelo ser humano. Quando é transmitido ao cérebro o sinal de perigo, automaticamente o sistema nervoso leva o corpo a preparar-se para o tal sinal, sendo lidos estes sinais devido a mudança involuntária do corpo pelos acessórios do poligrafo. Sendo repetido para que não exista qualquer duvida existente. Normalmente um exame destes não é sentar numa cadeira e fazer perguntas para se chegar a uma conclusão, este é utilizado por pessoas especializadas na matéria devidamente treinadas chegando a durar entre uma a três horas, dividindo-se em quatro fases:

A primeira fase passa pela entrevista. O examinador explica ao examinado como o aparelho funciona, debate-se do que pretende, analisa-se e revê-se as perguntas que vão ser ditas.
A segunda fase é o material que é colocado ao examinado, por esta ordem de forma a não faltar qualquer instrumento. Primeiramente são colocados dois tubos de borracha com ar em torno do peito, para quando este expande o ar circular e deteta pelos sinais elétricos traduzindo a partir duma pena de tinta para a folha. Seguidamente é colocado um medidor de pressão sanguínea em torno do braço superior que leva a indicar quando existe mudança de pressão. Coloca-se placas de dedos unindo-se a ponta do dedo indicador para o caso de existência de algum suor ser traduzido para o aparelho.

Os sinais transmitidos ao aparelho aparecem sobre o ecrã do computador e finalmente para o sistema de gráficos com as penas a detetar os sinais vitais e nervosos. Durante o exame as perguntas são feitas umas três vezes com vinte segundos entre cada pergunta, para que o corpo reaja e uma leitura exata do estimulo do entrevistado.

A terceira fase é a análise dos gráficos do poligrafo.

A quarta fase e última é o resultado do exame do poligrafo designado como relatório final, sendo resolvido entre três decisões: -Não se deteta engano; - Engano detetado; - Inconclusivo. Cada uma destas decisões para cada resposta.

Na maioria das vezes conhecida pelos meios sociais como um entretém publico, no entanto foi especializado para empresas e instituições com o NSA, FBI, juízes, entre outras. Como o termo poligrafo indica “muitas escrituras” e nem sempre este meio está ao alcance de todas as carteiras.


Sandra Mendes

Título: Uso do Polígrafo

Autor: Sandra Mendes (todos os textos)

Visitas: 0

627 

Comentários - Uso do Polígrafo

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Informática
Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?\"Rua
Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Bom, Não é de hoje que tecnologia vem surpreendendo a todos nós com grandes revoluções e os custos que diminuem cada vez mais.
Hoje em dia é comum ver crianças com smarthphones com tecnologia que a 10 anos atrás nem o celular mais moderno e caro do mercado tinha.
Com isso surgiram sugiram vários profetas da tecnologia e visionários, tentando prever qual será o próximo passo.

E os filmes retratam bem esse tema e usam essa formula que atrai a curiosidade das pessoas.
Exemplos:

Minority report - A nova lei de 2002 (Imagem)

Transcendence de 2014

Em Transcendence um tema mais conspiratório, onde um ser humano transcende a uma consciência artificial e assim se torna imortal e com infinita capacidade de aprendizagem.
Vale a pena ver tanto um quanto o outro filme. Algumas tecnologias de Minority Report, como utilizar computadores com as mãos (caso do kinect do Xbox 360 e One) e carros dirigidos automaticamente, já parecem bem mais próximo do que as tecnologias vistas em Transcendence, pois o foco principal do mesmo ainda é um tema que a humanidade engatinha, que é o cérebro humano, a máquina mais complexa conhecida até o momento.

Eu particularmente, acredito que em alguns anos teremos realmente, carros pilotados automaticamente, devido ao investimento de gigantes como o Google e o Baidu nessa tecnologia.

Também acho que o inicio da colonização de Marte, vai trazer grandes conquistas para humanidade, porém grandes desafios, desafios esses que vão nos obrigar a evoluir rapidamente nossa tecnologia e nossa forma de encarar a exploração espacial, não como um gasto, mas sim como um investimento necessário a toda humanidade e a perpetuação da sua existência.

A única salvação verdadeira para humanidade e para o planeta terra, é que seja possível o ser humano habitar outros planetas, seja localizando planetas parecidos com a terra ou mudando planetas sem condições para a vida em planetas habitáveis e isso só será possível com gente morando nesses planetas, como será o caso do Marte. O ser humano com a sua engenhosidade, aprendeu a mudar o ambiente a sua volta e assim deixou de ser nômade e da mesma forma teremos que aprender a mudar os mundos, sistemas, galáxias e o universo a nossa volta.

Espero que tenham gostado do meu primeiro texto.
Obrigado à todos!
Até a Próxima!


Pesquisar mais textos:

Érico da Silva Kaercher

Título:Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Autor:Érico da Kaercher(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios