Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Um Bom Inventor

Um Bom Inventor

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Um Bom Inventor

Quem é um bom inventor? Primeiramente devemos precisar o que significa inventar, que de acordo com o dicionário online de português é criar algo de novo, imaginar uma coisa que se dá como real, fingir, mentir… assim, inventar pode distanciar-se entre o bem e o mal, tal como a manhã está longe do anoitecer…

Tudo o que existe no mundo em que habitamos, tudo o que nos rodeia foi inventado por alguém, e eu pessoalmente já não saberia viver sem uma porção de invenções a que me habituei desde que me conheço… Vamos imaginar que é também uma das definições de inventar… vamos imaginar que acordávamos de manhã e não havia um candeeiro sobre a mesa de cabeceira… Imaginemos que vamos tomar o pequeno almoço mas não temos frigorifico onde guardar o leite, não há fogão ou micro-ondas para o aquecer… enfim… imaginemos que não temos internet, nem computador e nem mesmo telemóvel ou telefone… que não há automóveis e nem foram inventadas as bicicletas…

Que falta nos faria tudo isto! São portanto boas invenções… Agradecemos a Benjamin Franklin a luz elétrica e a lâmpada a Tomas Edison, devemos a bicicleta a Leonardo da Vinci, e o automóvel a Ferdinand Verbiest… Estes e outros homens foram bons inventores, e muitos hoje progridem inventando coisas que serão úteis para as pessoas do mundo de amanhã…

Apesar da importância de todas estas coisas na nossa vida, muitas pessoas viveram sem estas e outras coisas no passado… muitas pessoas vivem sem estas coisas hoje, casas sem eletricidade, existem pessoas que não tem carro, nem bicicleta e que por isso andam a pé.

Há porém coisas em as quais a vida neste mudo seria impossível, já imaginámos o que era viver sem água? Beberíamos outra coisa, mas e as plantas de que nos alimentamos, de que viveriam elas? Logo de que viveríamos nós? Já imaginámos o que seria viver sem oxigénio? Sem os milhares de elementos existentes na atmosfera, da terra, na água? Como poderíamos equacionar a hipótese de habitar num mundo assim? Apesar de os cientistas procurarem alternativas à terra, como a lua, Marte, ou outro planeta qualquer, e nossa terra, foi o único planeta pensado e criado com as condições exatas para que vivêssemos, e não para que apenas vivêssemos mas para que vivêssemos com saúde física e mental olhando as paisagens fantásticas criadas para que as contemplássemos!

Ao Deus criador de tudo, o verdadeiro bom inventor, um muito, muito obrigada.


Ana Sebastião

Título: Um Bom Inventor

Autor: Ana Sebastião (todos os textos)

Visitas: 0

602 

Comentários - Um Bom Inventor

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Um caminho para curar o transtorno alimentar

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Saúde
Um caminho para curar o transtorno alimentar\"Rua
De acordo com um relatório divulgado em novembro de 2014 pelo Comitê Permanente sobre o Status da Mulher, entre 600 mil a um milhão de canadenses cumprem os critérios diagnósticos para um transtorno alimentar em um dado momento. Problemas de saúde mental com ramificações físicas graves, anorexia e bulimia são difíceis de tratar.

Os programas públicos de internação frequentemente não admitem pacientes até que estejam em condição de risco de vida, e muitos respondem mal à abordagem em grupo. As clínicas privadas costumam ter listas de espera épicas e custos altos: um quarto custa de US$ 305 a US$ 360 por dia.


Corinne lutou juntamente com seus pais contra a bulimia e anorexia por mais de cinco anos. Duffy e Terry, pais de Corinne, encontraram uma clínica na Virgínia. Hoje, aos 24 anos, ela é saudável e está cursando mestrado em Colorado. Ela e seus pais acreditam que a abordagem holística, o foco individualizado e a estrutura imersiva de seu tratamento foram fundamentais para sua recuperação.

Eles sabem que tinham acesso a recursos exclusivos. "Tivemos sorte", diz Duffy. "Podíamos pagar por tudo." Mas muitos não podem.
A luta desta família levou-os a refletir sobre o problema nos Estados Unidos. Em 2013, eles fundaram a Water Stone Clinic, um centro privado de transtornos alimentares em Toronto. Eles fazem yoga, terapia de arte e participam na preparação de refeições, construindo habilidades na vida real com uma equipe de apoio empática. Os programas funcionam nos dias da semana das 8h às 14h, e até agora, não tem lista de espera. Porém essa abordagem é onerosa: aproximadamente US$ 650 por dia.

A família criou a Fundação Water Stone - uma instituição de caridade que fornece ajuda a pacientes que não podem pagar o tratamento. Os candidatos são avaliados por dois comitês que tomam uma decisão baseada na necessidade clínica e financeira. David Choo Chong foi o primeiro a se beneficiar da fundação. Ele havia tentado muitos programas, mas nenhum foi bem sucedido. A fundação pagou metade do tratamento. Dois anos depois, Choo Chong, feliz e estável diz "Water Stone me ajudou a encontrar quem eu sou".

Pesquisar mais textos:

Roberta Darc

Título:Um caminho para curar o transtorno alimentar

Autor:Roberta Darc(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios