Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Simplificando A Vírgula

Simplificando A Vírgula

Categoria: Outros
Simplificando A Vírgula

A vírgula indica uma pausa pequena, deixando a voz em suspenso à espera da continuação da frase. Por razões didáticas, vamos dividir o estudo da vírgula em duas partes: no interior de uma oração, separando seus membros, e no interior de um período composto, separando orações.

1 – A vírgula entre os termos de uma oração

- Para destacar um adjunto adverbial:
Ex: No final da aula, todos saíram rapidamente

- Para isolar o aposto:
Ex: João, o chefe da equipe, está muito animado

- Para separar um elemento intercalado:
Ex: Esse assunto, a meu ver, deve ser discutido mais tarde

- Para destacar os pleonasmos antecipados aos verbos:
Ex: Os meninos, eu os vi no quintal

- Para indicar a omissão de um ou mais termos da oração anteriormente expressos:
Ex: O vento está forte; o mar, agitado

- Para isolar o vocativo:
Ex: Professora, posso sair mais cedo?

- Para separar os elementos de uma enumeração:
Ex: O professor conversou com pais, alunos, professores, estagiários e funcionários da escola
OS.: Nesse caso, observe que não se usa a vírgula antes do último termo da enumeração quando ele é antecedido pela conjunção “e”.

- Para destacar o nome do lugar nas datas:
Ex: Salvador, 20 de julho de 2014

Lembrete: Nunca usamos a vírgula entre o sujeito e o predicado, entre o verbo e seus complementos, entre um nome e seus complementos, entre um nome e seu adjunto.
Ex: A festa durou muitas horas; Vou pegar minha bolsa; A poluição é prejudicial à saúde; Gosto muito dessas manhãs de primavera.

2 – A vírgula entre as orações:

- Para separar orações coordenadas assindéticas:
Ex: Vim, vi, venci

- Para separar orações coordenadas sindéticas (menos as que são iniciadas pela conjunção “e”):
Ex: Corri muito, mas não consegui pegar o ônibus
Lembrete: Orações coordenadas iniciadas por “e” separam-se por vírgulas em dois casos:
1) Quanto tem sujeitos diferentes:
Ex: Os alunos entraram, e a diretora começou a falar
2) Quando a conjunção “e” for usada repetidas vezes:
Ex: E todos cantaram, e dançaram, e brincaram bastante

- Para isolar orações intercaladas:
Ex: Não desanime, disse o chefe, pois a vitória está perto

- Para separar orações subordinadas adverbiais, principalmente quando elas vêm antes da principal:
Ex: Dado o sinal, começamos o jogo

- Para isolar as orações subordinadas adjetivas explicativas:
Ex: Ouro Preto, que é uma cidade antiga, tem um rico patrimônio artístico.


Rafaela Coronel

Título: Simplificando A Vírgula

Autor: Rafaela Coronel (todos os textos)

Visitas: 0

557 

Comentários - Simplificando A Vírgula

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O meu instrumento musical avariou!

Ler próximo texto...

Tema: Instrumentos Musicais
O meu instrumento musical avariou!\"Rua
É inevitável que, mais cedo ou mais tarde, um instrumento musical precise de reparação.

Mesmo que conheçamos bem o nosso instrumento e o consigamos arranjar, na maioria das vezes é necessário um técnico para o fazer com a melhor das qualidades.

Eventualmente, nem será necessário existir um problema com o instrumento, poderá ser apenas uma questão de manutenção. 

No caso de uma guitarra, por exemplo, qualquer instrumentista é perfeitamente capaz de substituir uma corda partida e tirar da guitarra o mesmo som que ela tinha.

No entanto, existem reparações, seja uma amolgadela no tampo ou uma tarraxa arrancada, que convêm ser feitas por técnicos especializados.

Por norma, as próprias casas que vendem instrumentos musicais efectuam essas reparações ou são capazes de aconselhar técnicos para as fazer.

Mediante o instrumento musical em questão, a reparação ou manutenção poderá ser mais cara. É sempre mais fácil arranjar um técnico que repare um piano do que um que arranje oboés.

Apesar de ser normal cuidar do nosso instrumento musical regularmente, os percalços acontecem todos os dias. Para os contornar, há sempre alguém que nos poderá aconselhar melhor do que nós próprios.

Apesar de poder sair mais caro, temos também a certeza de que o nosso instrumento foi arranjado por especialistas no assunto.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:O meu instrumento musical avariou!

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • luiz fabiano 18-02-2012 às 15:48:28

    boa tarde amigos preciso de um cabo flex da lcd da camera g70 se aulguem tiver mande um email obrigado

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios