Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Simplificando A Vírgula

Simplificando A Vírgula

Categoria: Outros
Simplificando A Vírgula

A vírgula indica uma pausa pequena, deixando a voz em suspenso à espera da continuação da frase. Por razões didáticas, vamos dividir o estudo da vírgula em duas partes: no interior de uma oração, separando seus membros, e no interior de um período composto, separando orações.

1 – A vírgula entre os termos de uma oração

- Para destacar um adjunto adverbial:
Ex: No final da aula, todos saíram rapidamente

- Para isolar o aposto:
Ex: João, o chefe da equipe, está muito animado

- Para separar um elemento intercalado:
Ex: Esse assunto, a meu ver, deve ser discutido mais tarde

- Para destacar os pleonasmos antecipados aos verbos:
Ex: Os meninos, eu os vi no quintal

- Para indicar a omissão de um ou mais termos da oração anteriormente expressos:
Ex: O vento está forte; o mar, agitado

- Para isolar o vocativo:
Ex: Professora, posso sair mais cedo?

- Para separar os elementos de uma enumeração:
Ex: O professor conversou com pais, alunos, professores, estagiários e funcionários da escola
OS.: Nesse caso, observe que não se usa a vírgula antes do último termo da enumeração quando ele é antecedido pela conjunção “e”.

- Para destacar o nome do lugar nas datas:
Ex: Salvador, 20 de julho de 2014

Lembrete: Nunca usamos a vírgula entre o sujeito e o predicado, entre o verbo e seus complementos, entre um nome e seus complementos, entre um nome e seu adjunto.
Ex: A festa durou muitas horas; Vou pegar minha bolsa; A poluição é prejudicial à saúde; Gosto muito dessas manhãs de primavera.

2 – A vírgula entre as orações:

- Para separar orações coordenadas assindéticas:
Ex: Vim, vi, venci

- Para separar orações coordenadas sindéticas (menos as que são iniciadas pela conjunção “e”):
Ex: Corri muito, mas não consegui pegar o ônibus
Lembrete: Orações coordenadas iniciadas por “e” separam-se por vírgulas em dois casos:
1) Quanto tem sujeitos diferentes:
Ex: Os alunos entraram, e a diretora começou a falar
2) Quando a conjunção “e” for usada repetidas vezes:
Ex: E todos cantaram, e dançaram, e brincaram bastante

- Para isolar orações intercaladas:
Ex: Não desanime, disse o chefe, pois a vitória está perto

- Para separar orações subordinadas adverbiais, principalmente quando elas vêm antes da principal:
Ex: Dado o sinal, começamos o jogo

- Para isolar as orações subordinadas adjetivas explicativas:
Ex: Ouro Preto, que é uma cidade antiga, tem um rico patrimônio artístico.


Rafaela Coronel

Título: Simplificando A Vírgula

Autor: Rafaela Coronel (todos os textos)

Visitas: 0

557 

Comentários - Simplificando A Vírgula

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como cuidar de Plantas de interior

Ler próximo texto...

Tema: Bricolage Jardim
Como cuidar de Plantas de interior\"Rua
Cada planta tem um comportamento diferente, vou colocar aqui alguns cuidados que servem para a maioria delas.

LUZ:

Os principais erros no cultivo de plantas de interior é a falta de luz.
Se elas estiverem em locais onde não há luz suficiente, isso pode ser corrigido com a instalação de luz artificial, existe no mercado lâmpada que imitam a luz natural.


TEMPERATURA:

Mudanças bruscas de temperatura retardam e até paralisa o crescimento da planta, bem como causa a queda de folhas.


UMIDADE:

A maioria das plantas necessita de uma umidade atmosférica adequada.
Normalmente notamos que a planta não está com a umidade correta quando acontece ficarem amarelas e a queda de folhas.


IRRIGAÇÃO:

Conselhos básicos:
Uma planta em fase de crescimento vai precisar de mais água que uma que está em fase de dormência, ou já atingiu o seu tamanho adulto.
Durante a floração a planta precisa de mais água que em sua fase de crescimento
Em ambientes internos mais quentes é evidente que a planta vai precisar de mais águas que em ambientes mais frios.
Para saber qual é o momento exato de molhar, enfie o dedo no substrato, se sentir ele seco, chegou a hora

FERTILIZANTE:

Para que a planta tenha um desenvolvimento harmonioso convém usar periodicamente de fertilizantes que podem ser líquido ou sólidos.
No mercado existe a venda fertilizante com fórmulas específicas para cada planta.
Após a utilização do fertilizante regue a planta.

LIMPEZA:

Faça regularmente a limpeza de folhas secas e caule, pois elas são bastante positivas não só esteticamente como para a saúde das plantas.
Se estiver acumulada muita poeira sobre as folhas, espane, e depois passe um pano húmido
Atenção: Existe algumas espécies, que tem as folhas aveludadas, tipo a Violeta Africana, Begônia Rex, etc. que não deve ser colocada água é só usar uma escovinha bem macia.

TROCA DE VASO:

De uma maneira geral após 1 ou 2 anos as plantas de interior devem ser colocadas em vasos de tamanho maior.
Isso deve ser feito porque as raízes passam a ocupar um grande espaço e também porque o substrato vai perdendo sua composição inicial.
A época mais adequada varia de planta para planta, algumas devem ser feitas na primavera e outras quando estão na fase de repouso.
Aproveite para obterem mudas, separando brotos e dividindo touceiras.

Pesquisar mais textos:

Miguel Pereira

Título:Como cuidar de Plantas de interior

Autor:Miguel Pereira(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Briana AlvesBriana

    13-10-2014 às 04:09:31

    Muito bom! É tão gratificante cuidar de plantas. A gente vê o quanto elas florescem quando são bem-cuidadas. Amei as dicas!

    ¬ Responder
  • Rua DireitaRua Direita

    18-04-2014 às 22:36:55

    Fantástico seu texto, a Rua Direita agradece!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios