Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Regras De Concordância Verbal: Sujeito Composto

Regras De Concordância Verbal: Sujeito Composto

Categoria: Outros
Visitas: 8
Regras De Concordância Verbal: Sujeito Composto

É bem importante conhecer o funcionamento da nossa língua. Não apenas para o fim de estudar na escola ou para concursos públicos, mas para vivenciarmos e fazermos dominadores de nossa própria linguagem. Então, conhecer as regras é fundamental!

Para isso, aqui abaixo você terá as regras de uso da concordância verbal dentro do sujeito composto. Espero que você aprenda e saiba daqui por diante como usá-la corretamente!

Regra geral: sujeito composto:
- O verbo vai para o plural:
1) João e Maria foram passear no bosque

Casos especiais:
a) Os núcleos do sujeito são constituídos de pessoas gramaticais diferentes – verbo ficará no plural seguindo-se a ordem de prioridade: 1ª, 2ª e 3ª pessoa:
- Eu (1ª pessoa) e ele (3ª pessoa) nos tornaremos (1ª pessoa plural) amigos;
O verbo ficou na 1ª pessoa porque esta tem prioridade sob a 3ª.
- Tu (2ª pessoa) e ele (3ª pessoa) vos tornareis (2ª pessoa do plural) amigos;
O verbo ficou na 2ª pessoa porque esta tem prioridade sob a 3ª.

b) Os núcleos do sujeito estão coordenados assindeticamente ou ligados por e – o verbo concordará com os dois núcleos:
- A jovem e sua amiga seguiram a pé.
c) Os núcleos do sujeito são sinônimos (ou quase) e estão no singular – o verbo poderá ficar no plural (concordância lógica) ou no singular (concordância atrativa):
- A angústia e ansiedade não o ajudavam a se concentrar;
- A angústia e ansiedade não o ajudava a se concentrar.

d) Quando há gradação entre os núcleos – o verbo pode concordar com todos os núcleos (lógica) ou apenas com o núcleo mais próximo:
- Uma palavra, um gesto, um olhar bastavam;
- Uma palavra, um gesto, um olhar bastava.
e) Quando os sujeitos forem resumidos por nada, tudo, ninguém... – o verbo concorda com o aposto resumidor:
- Os pedidos, as súplicas, o desespero, nada o comoveu.

f) Quando o sujeito for constituído pelas expressões um e outro, nem um nem outro – 0 verbo poderá ficar no singular ou no plural:
- Um e outro já veio;
- Um e outro já vieram.
g) Quando os núcleos do sujeito estiverem ligados por ou – o verbo irá para o singular quando a ideia for de exclusão e plural quando for de inclusão:
- Pedro ou Antônio ganhará o prêmio (exclusão);
- A poluição sonora ou a poluição do ar são nocivas ao homem (adição, inclusão).

h) Quando os sujeitos estiverem ligados pelas séries correlativas (tanto...como/ assim...como/ não só...mas também, etc) – o mais comum é o verbo ir para o plural, embora o singular seja aceitável se os núcleos estiverem no singular:
- Tanto Erundina quanto Collor perderam as eleições municipais em São Paulo;
- Tanto Erundina quanto Collor perdeu as eleições municipais em São Paulo.


Yuri Silva

Título: Regras De Concordância Verbal: Sujeito Composto

Autor: Yuri Silva (todos os textos)

Visitas: 8

397 

Comentários - Regras De Concordância Verbal: Sujeito Composto

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O meu instrumento musical avariou!

Ler próximo texto...

Tema: Instrumentos Musicais
O meu instrumento musical avariou!\"Rua
É inevitável que, mais cedo ou mais tarde, um instrumento musical precise de reparação.

Mesmo que conheçamos bem o nosso instrumento e o consigamos arranjar, na maioria das vezes é necessário um técnico para o fazer com a melhor das qualidades.

Eventualmente, nem será necessário existir um problema com o instrumento, poderá ser apenas uma questão de manutenção. 

No caso de uma guitarra, por exemplo, qualquer instrumentista é perfeitamente capaz de substituir uma corda partida e tirar da guitarra o mesmo som que ela tinha.

No entanto, existem reparações, seja uma amolgadela no tampo ou uma tarraxa arrancada, que convêm ser feitas por técnicos especializados.

Por norma, as próprias casas que vendem instrumentos musicais efectuam essas reparações ou são capazes de aconselhar técnicos para as fazer.

Mediante o instrumento musical em questão, a reparação ou manutenção poderá ser mais cara. É sempre mais fácil arranjar um técnico que repare um piano do que um que arranje oboés.

Apesar de ser normal cuidar do nosso instrumento musical regularmente, os percalços acontecem todos os dias. Para os contornar, há sempre alguém que nos poderá aconselhar melhor do que nós próprios.

Apesar de poder sair mais caro, temos também a certeza de que o nosso instrumento foi arranjado por especialistas no assunto.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:O meu instrumento musical avariou!

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • luiz fabiano 18-02-2012 às 15:48:28

    boa tarde amigos preciso de um cabo flex da lcd da camera g70 se aulguem tiver mande um email obrigado

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios