Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Problemas da Crise Económica mundial

Problemas da Crise Económica mundial

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Problemas da Crise Económica mundial

O mundo está sem sombra de dúvida a atravessar grandes mudanças a todos os níveis.

Mas será que poderemos mesmo chamar-lhe de crise? Não será esta uma palavra comum, falada por todos, em qualquer lugar e a qualquer hora. Por hábito, rotina, ou diria mesmo agressão. No entanto constata-se que os hábitos de consumo e estilo de vida não são alterados. Pelo contrário, assistimos hoje, a um consumo cada vez mais exagerado, a comportamentos exuberantes e necessidades de mostrar aquilo que se tem.

Na realidade, o contexto sócio económico em que vivemos deveria ser diferente mas não é. Verifica-se que todos fazem as mesmas coisas e, ainda não estamos receptivos ás mudança.

O que afeta neste momento a sociedade em geral, é uma grande instabilidade profissional, intranquilidade, desconforto psicológico e agressão camuflada. E em vez de aproximação e união temos o reverso. Isto porque nunca assistimos a tantos problemas sociais como agora. Mas o ser humano não mudou em nada o seu conforto e egoísmo em relação aos que nada têm. Deste modo, não é justo toda a gente falar na palavra, quando existe crise só para alguns e ninguém faz nada para a alterar. Nem no aspeto emocional que ela envolve, nem no material. Devíamos chamar-lhe outra coisa, pois contrariamente ao que se diz, cada vez há mais ricos.

Considera-se haver uma estagnação e uma não receptividade ás mudanças.

Que fazer então face a esta atitude de revolta e desejo de vingança a que assistimos? Estes sentimentos negativos são cada vez mais frequentes e, em vez de se procurarem apoios, amizade, partilha, minorizam-se aqueles que poderiam até prestar ajuda.

Cada vez se torna mais frequente atitudes de sarcasmo, ódio e menosprezo por tudo e todos.
Como consequência temos uma sociedade insatisfeita e revoltosa que nada ajuda para superar os problemas que realmente existem e sempre existiram.

Seria melhor, ao invés de se virarem as costas, se procurassem encontrar as saídas possíveis para ela e canalizar as energias para soluções e não para a vitimização e fúria.

Deste modo torna-se mais difícil enfrentá-la e superar.

Ou, em vez de lhe chamar-mos crise a todo o momento, devíamos apelidá-la de mudança. Os sentimentos que ela provocou levaram involuntariamente ao aumento de gastos em vícios como o álcool, tabaco, viagens e outros. Logo, em vez da poupança que se deveria esperar numa crise, o resultado foi o gasto exagerado, o medo e o redobrar do egoísmo.


Teresa Maria Batista Gil

Título: Problemas da Crise Económica mundial

Autor: Teresa Maria Gil (todos os textos)

Visitas: 0

761 

Imagem por: stuartpilbrow

Comentários - Problemas da Crise Económica mundial

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Imagem por: stuartpilbrow

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios