Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Plantas - Versatilidade

Plantas - Versatilidade

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Comentários: 2
Plantas - Versatilidade

Por todo o mundo existem diversos tipos e formas de plantas. Mesmo em regiões gélidas, as plantas subsistem. Também nas regiões quentes e tropicais abundam as plantas. Elas nascem em qualquer lugar, muitas vezes sem serem necessárias para o espaço em que surgem.

Se o ambiente em que as plantas se encontram reunir ar, luz e água, mesmo que esta seja escassa, as plantas nascem. As plantas são responsáveis por uma grande parte das condições que temos disponíveis no nosso planeta. Elas servem como alimento, matéria-prima, habitat para outros seres vivos, entre muitas outras coisas. Se no nosso planeta elas não existissem, a vida na Terra seria outra completamente diferente.

Além de tudo isso, uma característica impera sobre todas as outras, que é a sua capacidade de produzir o oxigénio indispensável à vida de todos os seres vivos que precisam de respirá-lo.

Onde o clima é quente e húmido imperam grandes florestas tropicais verdejantes. Este tipo de florestas só é possível em climas com estas características.

Diversas variedades de plantas servem para a nossa alimentação e para a produção de vários condimentos que utilizamos na preparação das nossas refeições.

Por exemplo, o azeite provém das azeitonas que nascem nas oliveiras, que necessitam de ambientes quentes e são predominantes na zona sul da Europa, no Mediterrâneo.

O coco é utilizado na pastelaria, em pratos salgados confecionados por cozinheiros ‘gourmet’ e também é muito consumido na sua forma natural, em suco. Também o seu leite é muito benéfico para a saúde dos seres humanos e animais. O óleo 100% natural deste fruto tem imensas propriedades que contribuem para o nosso equilíbrio. O coco provém do coqueiro que cresce somente em locais onde há muito sol e calor. Muito dificilmente um coqueiro se desenvolverá num local onde não exista incidência de luz solar permanente durante o ano inteiro.

Os abetos que são muito reconhecidos por todo o mundo por ‘árvore de Natal’ são utilizados para ornamentos e matéria-prima para a indústria da madeira. Eles desenvolvem-se em diversas zonas, mas principalmente no norte do Mediterrâneo, em zonas montanhosas onde grandes nevões caem.

No Japão é muito famosa a época em que as cerejeiras florescem devido à beleza deste acontecimento natural. As flores da cerejeira têm tonalidades rosa e branco. Com o aparecimento destas flores é anunciada a chegada da primavera.


Ruben Duarte

Título: Plantas - Versatilidade

Autor: Ruben Duarte (todos os textos)

Visitas: 0

639 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • Luene ZarcoLuene

    31-08-2014 às 22:37:21

    Adoro as plantas e as suas versatilidades. São de vários tipos, tamanhos, cores, cheiros, elas realmente deixam o ambiente e a nossa vida mais sublime, cheia de beleza!

    ¬ Responder
  • Carina Anjo

    29-08-2012 às 14:14:47

    Fascinante!... Até as coisas mais simples são complexas na sua essência.

    ¬ Responder

Comentários - Plantas - Versatilidade

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Pulp Fiction: 20 anos depois

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Arte
Pulp Fiction: 20 anos depois\"Rua
Faz hoje 20 anos que estreou um dos mais importantes ícones cinematográficos americanos.

Pulp Fiction é um marco do cinema, que atirou para a ribalta Quentin Tarantino e as suas ideias controversas (ainda poucos tinham visto o brilhante “Cães Danados”).

Repleto de referências ao cinema dos anos 70 e com uma escolha de casting excepcional, Pulp Fiction conquistou o público com um discurso incisivo (os monólogos bíblicos de Samuel L. Jackson são um exemplo disso), uma violência propositadamente mordaz e uma não linearidade na sucessão dos acontecimentos, tudo isto, associado a um ritmo alucinante.

As três narrativas principais entrelaçadas de dois assassinos, um pugilista e um casal, valeram-lhe a nomeação para sete Óscares da Academia, acabando por vencer na categoria de Melhor Argumento Original, ganhando também o Globo de Ouro para Melhor Argumento e a Palma D'Ouro do Festival de Cannes para Melhor Filme.

O elenco era composto por nomes como John Travolta, Samuel L. Jackson, Bruce Willis, Uma Thurman e (porque há um português em cada canto do mundo) Maria de Medeiros.

Para muitos a sua banda sonora continua a constar na lista das melhores de sempre, e na memória cinéfila, ficam eternamente, os passos de dança de Uma Thurman e Travolta.

As personagens pareciam ser feitas à medida de cada actor.
Para John Travolta, até então conhecido pelos musicais “Grease” e “Febre de Sábado à Noite”, dar vida a Vincent Vega foi como um renascer na sua carreira.

Uma Thurman começou por recusar o papel de Mia Wallace, mas Tarantino soube ser persuasivo e leu-lhe o guião ao telefone até ela o aceitar.

Começava ali uma parceria profissional (como é habitual de Tarantino) que voltaria ao topo do sucesso com “Kill Bill”, quase 10 anos depois.

Com um humor negro afiadíssimo, Tarantino provou em 1994 que veio para revolucionar o cinema independente americano e nasceu aí uma inspirada carreira de sucesso, que ainda hoje é politicamente incorrecta, contradizendo-se da restante indústria.

Pulp Fiction é uma obra genial. Uma obra crua e simultaneamente refrescante, que sobreviveu ao tempo e se tornou um clássico.
Pulp Fiction foi uma lição de cinema!

Curiosidade Cinéfila:
pulp fiction ou revista pulp são nomes dados a revistas feitas com papel de baixa qualidade a partir do início de 1900. Essas revistas geralmente eram dedicadas às histórias de fantasia e ficção científica e o termo “pulp fiction” foi usado para descrever histórias de qualidade menor ou absurdas.

Pesquisar mais textos:

Carla Correia

Título:Pulp Fiction: 20 anos depois

Autor:Carla Correia(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios