Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Os Três Tipos De Sociedades Mais Comuns

Os Três Tipos De Sociedades Mais Comuns

Categoria: Outros
Visitas: 2
Comentários: 1
Os Três Tipos De Sociedades Mais Comuns

A sociedade é composta de pessoas dos mais diferentes tipos de pensamentos, ideais, valores e estilos. Sendo assim, essas pessoas, seja de qual lugar, ambiente, país seja, são regidas por um destes três tipos de sociedade, a saber: capitalista, socialista e comunista. Conheça mais a respeito de cada um deles e se mantenha informado de sua diferenciação. É muito importante entender sobre seus aspectos, seus valores e formas de governo também.

Três tipos de sociedades mais comuns:

1) Capitalismo
A relação é de apropriação do capital e dos lucros, estabelecendo uma relação de posse. Se compararmos o capitalismo com o sistema cooperativo, este possui a relação de cooperação entre as pessoas envolvidas, enquanto naquele existe a relação de apropriação entre as pessoas (trabalho) e o capital (terras e fábricas). Resumindo: o capitalismo separa os meios de produção (capital) do trabalho.

2) Socialismo
É preciso, antes de qualquer discussão, verificar duas distinções de socialismo: o científico e o utópico. Você sabe a diferença entre os dois? O socialismo utópico é aquele que muitos pensadores imaginam como uma sociedade justa, sem problemas sociais, com as pessoas vivendo nas mesmas condições, sendo respeitadas igualmente, enfim tudo perfeito. Alguns até imaginam que isto aconteça em alguns locais, porém na prática não fazem nada de concreto para mudar a situação atual e só ficam na imaginação.

Já o socialismo científico é aquele iniciado por Marx e Engels, que é realista, ou seja, passível de colocar em prática. Tem como principais ideais: a convicção de que é possível mudar; a teoria do trabalho, que diz que o trabalho produz tudo; e a igualdade de todos, que é o principal objetivo do socialismo.

3) Comunismo
É preciso tomar cuidado para não confundir socialismo com comunismo, pois o comunismo seria a verdadeira teoria revolucionária de Marx, enquanto o socialismo seria uma corrente reformista. O comunismo surgiu na Revolução Russa e se espalhou por todo o mundo. A ideia deste sistema é de não haver mais exploradores e explorados, ou seja, não existiriam mais classes sociais e a figura do Estado iria desaparecer.

Espero que tenham aprendido a diferença entre o capitalismo, o socialismo e o comunismo. Dá para perceber visivelmente suas reais diferenças! Até mais!


Kizua Urias

Título: Os Três Tipos De Sociedades Mais Comuns

Autor: Kizua Urias (todos os textos)

Visitas: 2

428 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoRuça

    27-09-2014 às 23:07:30

    Fantástico , bem escrito, e muito bom este artigo sobre os três tipos de sociedades mais comuns

    ¬ Responder

Comentários - Os Três Tipos De Sociedades Mais Comuns

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Superstições Náuticas

Ler próximo texto...

Tema: Barcos
Superstições Náuticas\"Rua
Todos temos as nossas manias e superstições. Não que se trate de comportamentos compulsivos, mas a realidade é que mesmo para quem diz que não liga nenhuma a estas coisas, as superstições acompanham-nos.

Passar por baixo de uma escada, deixar a tesoura, uma porta de um armário ou uma gaveta aberta ou até deixar os sapatos em posição oposta ao correcto, são das superstições mais comuns. As Sextas-feiras 13 também criam alguma confusão a muita gente, mas muitos são os que já festejam e brincam com a data.

Somos assim mesmo, supersticiosos, uns mais do que outros, mas é uma essência que carregamos, mesmo que de forma inconsciente.

Existem no entanto profissões que carregam mitos mais assustadores do que outros, e por exemplos muitos actores não entram em palco sem mandar um “miminho” uns aos outros.

Caso de superstição de marinheiro é dos mais sérios e se julga que se trata só de casos vistos em filmes de piratas, desengane-se. Os marinheiros dos dias de hoje carregam superstições tão carregadas de emoção quanto os de outros tempos.

Umas mais caricatas do que outras, as superstições contam histórias e truques. Por exemplo, contra tempestades, muitos marinheiros colam uma moeda no mastro dos navios.

Tal como fazem os actores, desejar boa sorte a um marinheiro antes de embarcar, também não é boa ideia. Os miminhos dados antes de entrar em palco também servem para o efeito.

Dar um novo nome a um barco é uma péssima ideia para um marinheiro. Dizem que muitos há que não navegam em barcos rebaptizados.

Lembra-se que os piratas de outros tempos utilizavam brincos? Pois isto faz parte de uma superstição. Dizem que os brincos evitam que se afoguem.

Entrar com um pé direito na embarcação é sinal de bons ventos. Tal como acontece com muitos de nós, os marinheiros também não gostam de entrar de pé esquerdo.

Já desde remotos tempos se dia que assobiar traz tempestades. Ora aqui está um mote dos marinheiros, pelo que se assobiar numa embarcação, arrisca-se a ter chatices com o marinheiro.

Verdades ou mentiras, as superstições existem e se manter os seus próprios mitos acalma um marinheiro, então que assim seja. Venham as superstições náuticas que cá estamos para as ouvir.

Já agora uma curiosidade ainda maior. Dizem que se tocar a gola de um marinheiro passará a ter sorte. Será verdade ou foi um marinheiro que inventou?

Pesquisar mais textos:

Carla Horta

Título:Superstições Náuticas

Autor:Carla Horta(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    17-06-2014 às 06:39:27

    Não acredito em superstições de forma alguma.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios