Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Os habitats mais áridos da Terra

Os habitats mais áridos da Terra

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Os habitats mais áridos da Terra

Os desertos não permitem que muitas espécies de anuimais ou vegetação, aí sobreviva. Deste modo, só alguns aí podem habitar, estando para isso adaptados.
Há zonas ,nos desertos, completamente áridas, sem água e com temperaturas elevadíssimas.

Com dias tórridos, noites geladas e pouvca água, é difícil sobreviver nos desertos mais quentes, embora alguns animais selvagens, façam dele as suas habitações.
É o caso, especial do camelo, que mastiga plantas espinhosas com os seus lábios grossos. Mas as suas bossas cheias de gordura, protegem-no do sol e servem de fonte de energia, durante a falta de alimentos.

Está pois adaptado ao clima, tal como a hiena malhada, que é um carnívero típico da Àfrica e que vive em semidesertos.

Esta, sobrevive apenas rebuscando tudo, incluindo carne de animais em decomposição, papas cozinhadas, dejetos de animais, ossos e vegetais.
Tem umas mandíbulas poderosas, que lhe permite digerir todas as partes do animal, exepto os ossos.

O Àdax é um animal mais adaptado aos desertos. Isto deve-se aos seus antílopes adaptados, aos cascos largos e lisos, que não se afundam na areia, á sua pelagem castanha, que se transforma em branca no verão, para refletir a luz do sol e mantê-los fescos.

Os Ádaxes andam pelo Sara, em busca de ervas e arbustos para comer, o que lhes dão, inclusive a água de que precisam.

A lebre da Califórnia tem enormes orelhas de pontas pretas, muito compridas, que perdem calor para manter o animal mais fresco.
Elas abrigam-se do excesivo sol, por baixo dos arbustos ou erva, à procura de comida.

Por outro lado, o rato canguru, nunca precisa de beber porque os seus rins extraem àgua, da comida, que consta de insetos, erva, folhas e sementes de Larrea tridentata.
além disso, estes ratos guardam as sementes húmidas para absorverem água, quando há mais calor.

Os maiores desertos do mundo, ficam na Áffrica, na Arábia, Na Patagónia, na América do Sul, na austrália, na Ásia Central, na India e no Turquemenistão.
O deserto do Sara é um dos maiores do mundo, tal como da Austrália e Patagónia.
Apesar de à primeira vista, os desertos parecerem só areia e terra desértica, na verdade, fervilham de vida e terreno ímpar. Contudo, as suas espécies, quer animais ou vegetais, estão completamente adaptadas às suas características peculiares.


Teresa Maria Batista Gil

Título: Os habitats mais áridos da Terra

Autor: Teresa Maria Gil (todos os textos)

Visitas: 0

629 

Comentários - Os habitats mais áridos da Terra

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como cuidar de Plantas de interior

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Bricolage Jardim
Como cuidar de Plantas de interior\"Rua
Cada planta tem um comportamento diferente, vou colocar aqui alguns cuidados que servem para a maioria delas.

LUZ:

Os principais erros no cultivo de plantas de interior é a falta de luz.
Se elas estiverem em locais onde não há luz suficiente, isso pode ser corrigido com a instalação de luz artificial, existe no mercado lâmpada que imitam a luz natural.


TEMPERATURA:

Mudanças bruscas de temperatura retardam e até paralisa o crescimento da planta, bem como causa a queda de folhas.


UMIDADE:

A maioria das plantas necessita de uma umidade atmosférica adequada.
Normalmente notamos que a planta não está com a umidade correta quando acontece ficarem amarelas e a queda de folhas.


IRRIGAÇÃO:

Conselhos básicos:
Uma planta em fase de crescimento vai precisar de mais água que uma que está em fase de dormência, ou já atingiu o seu tamanho adulto.
Durante a floração a planta precisa de mais água que em sua fase de crescimento
Em ambientes internos mais quentes é evidente que a planta vai precisar de mais águas que em ambientes mais frios.
Para saber qual é o momento exato de molhar, enfie o dedo no substrato, se sentir ele seco, chegou a hora

FERTILIZANTE:

Para que a planta tenha um desenvolvimento harmonioso convém usar periodicamente de fertilizantes que podem ser líquido ou sólidos.
No mercado existe a venda fertilizante com fórmulas específicas para cada planta.
Após a utilização do fertilizante regue a planta.

LIMPEZA:

Faça regularmente a limpeza de folhas secas e caule, pois elas são bastante positivas não só esteticamente como para a saúde das plantas.
Se estiver acumulada muita poeira sobre as folhas, espane, e depois passe um pano húmido
Atenção: Existe algumas espécies, que tem as folhas aveludadas, tipo a Violeta Africana, Begônia Rex, etc. que não deve ser colocada água é só usar uma escovinha bem macia.

TROCA DE VASO:

De uma maneira geral após 1 ou 2 anos as plantas de interior devem ser colocadas em vasos de tamanho maior.
Isso deve ser feito porque as raízes passam a ocupar um grande espaço e também porque o substrato vai perdendo sua composição inicial.
A época mais adequada varia de planta para planta, algumas devem ser feitas na primavera e outras quando estão na fase de repouso.
Aproveite para obterem mudas, separando brotos e dividindo touceiras.

Pesquisar mais textos:

Miguel Pereira

Título:Como cuidar de Plantas de interior

Autor:Miguel Pereira(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Briana AlvesBriana

    13-10-2014 às 04:09:31

    Muito bom! É tão gratificante cuidar de plantas. A gente vê o quanto elas florescem quando são bem-cuidadas. Amei as dicas!

    ¬ Responder
  • Rua DireitaRua Direita

    18-04-2014 às 22:36:55

    Fantástico seu texto, a Rua Direita agradece!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios