Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > O poder do amor!

O poder do amor!

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Visitas: 44
O poder do amor!

O que é o amor? Segundo o dicionário de língua portuguesa o amor é um sentimento de afeto profundo por alguém ou por alguma coisa. Também pode significar compaixão e misericórdia. Existem vários tipos de amor. Amor físico ou amor Eros, amor platónico ou puro (amor entre irmãos, pais, tios, avós), amor de Deus, amor à vida, etc.O amor tem diversos significados.

Para mim o amor é a coisa mais bela que existe. De facto, ninguém existe sem amor. Se repararmos bem em tudo o que se passa à nossa volta, podemos constatar que a maioria das pessoas o procura de diferentes maneiras. O bebé que chora porque a mãe de repente não está mais ali, o pai que tem uma lágrima teimosa devido à partida do seu filho, o casal que se separa com um nó na garganta devido a circunstâncias diversas, duas grandes amigas que choram de alegria por se reencontrarem após anos sem se verem. Em todos estes casos o amor está bem presente. Até mesmo quem dele se afasta, ou simplesmente finge não amar ninguém, na realidade foge apenas por medo. Um medo terrível de amar e perder um grande amor. É impossível negar. O amor faz parte das nossas vidas desde que nascemos.




É por isso que o procuro. É um sentimento tão profundo que pode contagiar-nos e, de certo modo, podemos também contagiar os outros à nossa volta. Por outro lado, quando usufruimos deste sentimento de uma forma plena, podemos magoar-nos. E esse sentimento belo que nos encanta e que nos pode deixar tão alegres, pode também transformar-se em algo muito doloroso e até insuportável demais. Pois, ao sofrer por amor é que nos damos conta que que o amor é um sentimento tão frágil quanto nós. E por essa razão devemos trata-lo como se de uma rosa se tratasse. E tal qual uma rosa, o amor também contém espinhos. E são esses últimos que nos magoam e igualmente nos alertam para não cometermos os mesmos erros mais de uma vez. Concluindo, sem amor posso até existir, mas não vivo plenamente. Pois, a vida só faz sentido com emoções. E o amor é uma delas.

Além disso também podemos falar no poder que o amor tem referente à nossa autoestima e realização pessoal. Podemos sentir amor por aquilo que fazemos. Pelo nosso trabalho, pelas nossas realizações. Por exemplo eu amo a arte de escrever. Aliás, tenho uma paixão incrivel desde pequena pela escrita. Esse é outro tipo de amor, muito mais elevado na minha opinião.

Eu escrevi este post por causa de uma ideia que o meu amigo Jorge Nuno escreveu no seu comentário ao texto: “Temos um lobo dentro de nós”. Disse que andava a ler um livro de nome: “ O poder do Amor” de Vera Faria Leal, e que esse livro é uma fonte de inspiração. Assim, peguei na ideia e escrevi sobre esse tema universal que nunca se esgota: O amor. Quanto ao livro, ainda não o li, mas quando tiver oportunidade vou ler com certeza!


Jovita Capitão

Título: O poder do amor!

Autor: Jovita Capitão (todos os textos)

Visitas: 44

668 

Comentários - O poder do amor!

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os primeiros brinquedos

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Brinquedos
Os primeiros brinquedos\"Rua
O brinquedo é mais do que um objecto para a criança se divertir e distrair, é também uma forma de conhecer o mundo que tem ao seu redor e para dar asas à sua imaginação. Desta forma, os brinquedos sempre estiveram presentes na sociedade.

Os primeiros brinquedos datam de 6500 anos atrás, no Japão, em que as crianças brincavam com bolas de fibra de bambu. Entretanto há 3000 anos surgiram os piões feitos de argila e decorados, na Babilónia.

No século XIII apareceram os soldadinhos de chumbo, porém só eram acessíveis às famílias nobres. Cinco séculos mais tarde, apareceram as caixas de música, criadas por relojoeiros suíços.

As bonecas são muito antigas, surgiram enquanto figuras adoradas como deusas, há 40 mil anos, mas a primeira fábrica abriu apenas em 1413 na Alemanha. Barbie, a boneca mais famosa do mundo, foi criada em 1959, mas ainda hoje é das mais apetecíveis pelas crianças.

O grande boom dos brinquedos aconteceu quando se descobriu o plástico para o fabrico. Mesmo assim, muitas famílias não podiam comprar brinquedos aos filhos, como tal, estes utilizavam diversos tipos de materiais e construíam os seus próprios brinquedos.

Actualmente, as crianças têm acesso a uma enorme variedade de brinquedos, desde bonecas, a carros telecomandados, a videojogos… Educativos ou apenas lúdicos, há de tudo e para todos os gostos e preços.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Os primeiros brinquedos

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • umdolitoys 23-01-2013 às 05:46:38

    Adorei a reportagem! e tenho algo para vocês verem!!

    Espero que gostem!!!

    ¬ Responder
  • sofia 22-07-2012 às 21:56:29

    Achei muito interecante e muito legal saber que ano foi fabricadoas bonecas

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios