Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Cultura Hippie

Cultura Hippie

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Visitas: 2
Cultura Hippie

Os hippies foram o movimento da contracultura dos anos 60, nos Estados Unidos da América. Adotavam um modo de vida comunitário nos campos livres fora da cidade e de tudo o que ela representava. Negavam o nacionalismo e a Guerra do Vietname.

Praticavam o budismo ou o hinduísmo, e/ou as religiões das culturas nativas norte-americanas. Estavam em desacordo com valores tradicionais da classe média americana.

A nível físico, os hippies tendiam a usar cabelo e barba comprida, um estilo considerado pouco elegante. Consumiam drogas: haxixe, marijuana, maconha, entre tantas outras, mas achavam o cigarro prejudicial à saúde, o que é um pouco contraditório. Não tinham preferências religiosas ou religião definida, mas gostavam, como já disse, do budismo, por exemplo. O vestuário escolhido passava calças boca de sino, camisas tingidas, roupas de inspiração indiana. Na música predominava o rock psicadélico, o reggae, o transe. Eram defensores do amor livre e incondicional, incluindo a troca de parceiros. Na política, mostravam pouco interesse desde que não houvesse guerras. Eram adeptos do pacifismo e, não gostavam da guerra do Vietname e, por isso, participaram em algumas manifestações anti-guerra dos anos 60.




O símbolo da paz foi desenvolvido na Inglaterra, como logótipo, para uma campanha contra o desarmamento nuclear, e foi adotado pelos hippies americanos que eram contra a guerra nos anos 60. Em 1967, os hippies convocaram uma reunião, mostrando a sua força, que teve a presença de cerca de 20 mil jovens cantando e dançando, cobertos de flores, de colares e pulseiras. Invadiram a cidade de Sao Francisco em junho, para o chamado verão do Amor. Da noite para o dia, a cidade ganhou fama, nacional e internacional, de capital mundial dos hippies, o que acabou atraindo turistas de vários lugares.

Hoje em dia a cultura Hippie passou a ser moda e não uma maneira de ver e viver a vida. Os seus costumes não interessam, mas a sua roupa é moda hoje em dia. Não há religião, embora gostem das religiões asiáticas, praticam o yoga ou tai-chi. A troca de parceiros foi algo que ficou para trás. Não querem saber o que se passa na política nacional. Enfim, sejam felizes.


Daniela Vicente

Título: Cultura Hippie

Autor: Daniela Vicente (todos os textos)

Visitas: 2

707 

Comentários - Cultura Hippie

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Secretária em vidro

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Mobiliário
Secretária em vidro\"Rua
A maior parte das casas tem um escritório para fazer os trabalhos relativos Á profissão ou outros. È uma divisão extremamente necessária para as pessoas se recolherem a trabalhar. Por isso o escritório deve ser um local com conforto e agradável. O ambiente torna-se extremamente importante para o recolhimento necessário e a concentração que certos trabalhos exigem. Se não se tiver no local de trabalho tem de construir-se em casa.

Em todas as profissões é útil ter uma secretária para colocar um computador portátil. Livros e outros acessórios. É uma peça de mobiliário que não se dispensa de forma nenhuma. Desde sempre que foi indispensável na escola, no escritório, na empresa. A sua funcionalidade é como a do computador que praticamente não se dispensa. Para onde se vá leva-se o computador portátil a servir de complemento.

No que diz respeito à secretária ela exige um bom material e design bonito. E de facto há secretárias muito belas desde o seu modelo ao material e design. Por exemplo uma secretária em vidro fica muito bem num escritório amplo de uma vivenda ou numa empresa particular bem decorada. Pode colocar-se também num pequeno escritório de um apartamento ou numa sala especial e decorada a gosto. Há quem prefira ter uma secretária num espaço pequeno especificamente para trabalho. Deste modo concentra-se mais nele e não pensa no que tem para fazer em casa. Ou seja, dá mais prioridade ao que eventualmente tenha que fazer numa secretária. Para além de ajudar a decorar e embelezar o espaço onde se coloca dá um certo ar de charme e gramou num ambiente. Se este for decorado com objectos bonitos de decoração e uma estante para livros dá um ar mais intelectual ao ambiente. Deste modo mais propício para o recolhimento.

Não é por acaso que muita gente prefere o seu escritório para passar as horas que dispõe no seu quotidiano ou fins – de - semana. É um local propício a pensar mais nos projectos, no trabalho e nos encargos da vida. Deste modo cada divisão da casa tem uma funcionalidade diferente e um ar distinto dos restantes.

Não quer dizer que uma secretária em vidro não fique adaptada noutro local que não seja para o trabalho de estudantes ou outros, ela pode ainda adaptar-se para embelezar ou harmonizar espaços que estejam por preencher numa casa maior ou outro local. Sem dúvida que a secretária em vidro não vai deixar mal nenhum espaço onde se coloque.

Pesquisar mais textos:

Teresa Maria Batista Gil

Título:Secretária em vidro

Autor:Teresa Maria Gil(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    20-04-2014 às 15:52:38

    Fantástico texto! A Rua Direita agradece!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios