Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Crise na igreja: contestação

Crise na igreja: contestação

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Visitas: 8
Comentários: 2
Crise na igreja: contestação

Os finais da Idade Média, foram tempos muito difíceis para a Igreja.
Este fato deve-se a conflitos com reis e imperadores, por razões exclusivamente políticas.
Por outro lado, o comportamento de muitos elementos do clero prejudicavam o seu prestígio.
Os papas preocupava-se mais em garantir os seus bens terrenos do que com a sua missão espiritual;

-alguns membros do clero levavam uma vida de corrupção e imoralidade;

-acumulavam dioceses que raramente visitavam mas que lhes garantiam elevados rendimentos;

-tinham mulher e filhos;

-possuíam extensas propriedades;

-não pagavam impostos mas exigiam-nos ao povo, o cmado dízimo;

-O clero regular, composto pelos frades mendicantes, era pouco admirado pelos fiéis devido à sua vida excessivamente material. Não se respeitavam as regras monásticas, poi o jejum era desprezado, nem o silêncio durante as refeições;

-os cânticos religiosos eram esquecidos.

Em face desta atuação do clero, o espírito crítico do Renascimento, criticou-o e levou-o a pôr em causa toda esta situação e a exigir o regresso à pureza do Cristianismo primitivo.
Estava ssim, aberto o caminho para a Reforma protestante.
O Papa Leão X, em 1517, mandou pregar as indulgências, isto é, a concessão do perdão dos pecados, mediante o pagamento de determinada quantia.

O monge alemão, Martinho Lutero, afixou então, na porta da catedral de Wittemberg, as suas noventa e cinco teses, contra as "indulgências", defendendo que só DEUS pode perdoar os pecados do homem.

Em face desti, Lutero foi excomungado e o monge, num gesto simbólico, queimou em público a bula com que o papa o excomungara.
Como teve a proteção dos príncipes alemães, não foi condenado à fogueira.
Estes defendiam Lutero, para que ele se tornasse chefe temporal da Igreja nos seus territórios e ainda dimunuir o poder do Papa e do imperador Carlos V.

Lutero foi então alvo de perseguições e protestos, pelos seguidores do Papa e imperador da Alemanha, o que levou à designação de "protestantes", a todas as novas igrejas cristâs, não católicas, qe, que se desligaram da obediência ao Papa de roma.
Na verdade, já os elementos do clero se divertiam a cantar e a beber, esquecendo as suas obrigações espirituais.

Tendo em conta o quadro de comportamento da Igreja e do Papa, na Idade Média, em nada difere do, atualidade.
Isto significa que a Igreja, sempre dominou, com seu poder, na Igreja, sociedade , riqueza e opulência.


Teresa Maria Batista Gil

Título: Crise na igreja: contestação

Autor: Teresa Maria Gil (todos os textos)

Visitas: 8

638 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • Briana AlvesBriana

    01-09-2014 às 14:45:28

    Não vejo outro fenômeno a perseguição das igrejas cristãs por mera intenção política, territorial e dinheiro. Isso vem acontecendo desde muito tempo e acontece até hoje.

    ¬ Responder
  • Teresa Maria Batista GilTeresa Maria Batista Gil

    18-09-2012 às 13:37:39

    A igreja sempre foi alvo de reformas que impunham determinados valores e regras à sociedade.Contudo esses ideais nem sempre foram aceites por religiosos, bispos e sacerdotes.Por isso as contestações a esses valores e princípios sempre fizeram parte da história dos povos, sejam católicos, protestantes ou islamitas.

    ¬ Responder

Comentários - Crise na igreja: contestação

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O que é uma Open House?

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Imóveis Venda
O que é uma Open House?\"Rua
Este é um tema que vem pôr muito a lindo o trabalho de alguns mediadores imobiliários e do seu trabalho.

Quando temos um imóvel para vender, muitos são os métodos a utilizar e os meios que nos levam até eles para termos o nosso objetivo cumprido – A venda da Casa.
Quando entregamos o nosso imóvel para que uma mediadora o comercialize, alguns aspetos têm de ser tidos em conta, como a legalidade da empresa e quem será a pessoa responsável pela divulgação da sua casa, mas a ansia de vermos o negócio concretizado é tanta, que muitas vezes nos escapa a forma como fazem a referida divulgação e publicidade do imóvel.

Entre anúncios na internet e as conhecidas folhas nas montras dos estabelecimentos autorizados, muitas mediadoras optam por fazer uma ação que está agora muito em voga que é uma Open House. Mas afinal, o que é isto de nome estrangeiro que tanto se vê pelas ruas e em folhetos de anúncio?

Ora bem, a designação em Português é muito simples – Casa Aberta. E na realidade, uma Open House é isso mesmo. Abrir uma Casa para que todos a possam ver. NO entanto, requerem-se alguns aspetos que as mediadoras normalmente preveem, mas que é fundamental que o proprietário do imóvel também tenha consciência e conhecimento.

Por norma as imobiliárias só fazem este tipo de intervenção e ação em imóveis que têm como exclusivo, isto é, quando é uma só determinada mediadora, a autorizada a poder comercializar o imóvel.

Em segundo lugar, este tipo de ação de destaque requer à mediadora custos com tempo, recursos humanos e financeiros.
A mediadora começa por marcar um dia próprio que por norma é datado para um feriado ou fim de semana. Faz então publicidade local através de folhetos e flyres anunciando a Open House, o dia e a hora, tal como o local. Muito provavelmente serão tiradas fotografias ao seu imóvel.

Através de redes sociais também poderão ser divulgadas as ações.
No dia da Open House, o local será indicado com publicidade da sua casa e da imobiliária e começarão a aparecer visitas ao imóvel.

Sugiro que não tenha mobiliário e muito menos valores em casa. O ideal será o imóvel estar desocupado de todos e quaisquer bens, por uma questão de segurança, mas também porque as áreas parecerão maiores e isso com toda a certeza ajuda à venda.

A imobiliária será responsável pela limpeza e trato do imóvel, pelo que se ocorrerem danos, serão eles os responsáveis.
Neste tipo de ações, é normal que a concorrência das imobiliárias apareça e faça parcerias que para si só trará vantagens.

Uma Open House pode não ser uma ação de destaque em Portugal, mas por exemplo nos Estados Unidos, é o normal e mais agradável. Os clientes não se sentem pressionados como numa visita normal e os negócios concretizam-se com muito mais rapidez e naturalidade.

Pesquisar mais textos:

Carla Horta

Título:O que é uma Open House?

Autor:Carla Horta(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios