Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Biografia de Alberto Caeiro

Biografia de Alberto Caeiro

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Visitas: 22
Comentários: 3
Biografia de Alberto Caeiro

Alberto Caeiro da Silva foi inventado por Fernando Pessoa, querendo indicar que se trata duma personagem ficcional, dos heterónimos deste poeta português, como também é o caso de Ricardo Reis e Álvaro de Campos.

Esta personagem ganhou vida com Fernando Pessoa, porém elaborou uma biografia para Caeiro, encachando-se perfeitamente no seu poema. Este nasce em Lisboa em mil novecentos e oitenta e nove, considerado como o “Mestre Ingénuo” devido a ter poucas instruções escolares (primária), falecendo a mil e novecentos e quinze, da doença tuberculose.

Alberto Caeiro era uma personagem que viveu toda a sua vida no campo, não tendo qualquer profissão, descrevia-se sendo um homem louro, de olhos azuis, frágil e de porte médio, anti metafísico, ligado á natureza, inocente, realista, alegre e sincero, sendo órfão de pais viveu certa parte da sua vida em casa duma Tia.

Proclamava a recusar o pensamento metafisico, era anti religioso, o sentimento social e individual, o misticismo e a filosofia devido ao facto de ter que pensar, afirmando que impedia a visão, fazendo existir a dor, o desespero, tornando a vida num clima mais hostil e incerto, no entanto não conseguia evitar o pensamento. Caeiro limitava-se simplesmente a modo de vida natural, observando a realidade com grande simplicidade. Para este, tudo o que estava ao seu redor, era para ser admirado e aproveitado, como todo o momento da sua vida, o envelhecer não lhe causava angústia, o pensamento não lhe obstruía a visão, observar o ser com o estar no momento, sentia-se completo.

A sua poesia era criada no presente, baseando-se exclusivamente na harmonia com a natureza, instantaneamente fluía a inspiração e ação de escrever, recusando o pensamento e sentimentos, traduzindo o real objetivo para o papel, com vocabulário simples e corrente, com frases curtas e versos livres, comparações simples, poucas metáforas, substantivos concretos limitando-se a reticências e frases interrogativas.

Esta personagem interligava-se ao Pessoa Ortónimo, com o facto de eliminar o pensamento e sentimentos, o ato de pensar. No entanto, também se interligava com os outros heterónimos, como Álvaro de Campos e Ricardo Reis, com a transmissão da sinceridade plena e o regresso às origens.


Sandra Mendes

Título: Biografia de Alberto Caeiro

Autor: Sandra Mendes (todos os textos)

Visitas: 22

773 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 3 )    recentes

  • Yuri SilvaYuri

    18-08-2014 às 01:53:50

    Muito boa a biografia de Alberto Campos. Bem, Fernando Pessoa é o cara, né?? srrsr

    ¬ Responder
  • Jovita CapitãoJovita Capitão

    17-09-2012 às 17:46:34

    Fernando pessoa tinha uma grande imaginação! Foi um poeta notável!

    ¬ Responder
  • Sofia NunesSofia Nunes

    17-09-2012 às 16:51:56

    Alberto Caeiro foi considerado pelo próprio Fernando Pessoa como o mestre entre os seus heterónimos, talvez por ser o mais genuíno- como refere, um homem do campo com pouca educação formal- que escrevia sobre a natureza e a qualidade da vida como algo passageiro com palavras simples, mas brilhantes. Representa aquilo que de mais inato existe em todos os seres humanos, que depois de corrompidos pelas cidades e pelo consumismo perdem a sua essência original.

    ¬ Responder

Comentários - Biografia de Alberto Caeiro

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios