Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > A história do tempo

A história do tempo

Categoria: Outros
Visitas: 22
Comentários: 3
A história do tempo

No mundo moderno, em que já parece tudo ser tão habitual, por vezes paramos para pensar na evolução de determinadas invenções e tecnologias. A contagem do tempo é uma delas. Hoje é fácil olhar o relógio e o calendário e se situar no espaço e no tempo. Porém, é importante lembrar que nem todas as culturas vivem no mesmo calendário ou tempo. Existem os fusos horários que são necessários devido aos movimentos de rotação da Terra e nos dão diferença de horários e até mesmo de dias para os que habitam o lado oposto do planeta.

A contagem do tempo e a conceituação de horas e dias são bastante remotas. Desde a antiguidade temos exemplos de civilizações que se dedicaram a contagem do tempo. Civilizações como egípcios, romanos, gregos, hebreus, maias, persas, entre outros se destacaram pela criação de calendários diversificados. O calendário chinês teve seu início no século XIII antes de Cristo, através da observação das fases da lua e da posição do sol. A base dos diferentes calendários criados ao longo da história é astronômica, pois todos usam como referência o firmamento. A variação desses calendários se dá pela exatidão na contagem de tempo. Diante desta característica, os calendários se classificam em quatro tipos distintos. O calendário sideral se baseia no retorno periódico de uma estrela ou constelação a um determinado ponto observado no firmamento. O primeiro a ser criado nesse estilo que se tem referência, é o calendário assírio.

Outro tipo de calendário é o lunar. Esse se baseia no movimento da lua ao redor da Terra e no intervalo entre as conjunções do sol e da lua. O único calendário neste estilo atualmente é o muçulmano. O calendário solar, baseado no movimento de rotação da Terra, foi criado pelos egípcios. E, por fim, outro tipo de calendário é o lunissolar que une as idéias do calendário lunar com as propostas do calendário solar. Nesse calendário o início do dia se dá com o pôr-do-sol. Nesse tipo, a meia noite é o começo de um novo dia.  Vivemos este tipo de contagem em nossos calendários e relógios.

Há diferenças, como vistas anteriormente, de contagem de tempo em diferentes povos de diferentes crenças. Diante dessa realidade, a demarcação do ano zero também é igualmente variada. O que nos deparamos hoje é que os calendários usam como referência algum acontecimento marcante em sua religião para demarcar o ano de referência, ou seja, de início da contagem. Nos calendários de origem cristã, denominados gregorianos, o ano zero foi demarcado a partir da data de nascimento de Jesus Cristo  Esse calendário, utilizado até hoje, só foi instiuído no período do Renascimento. Esse calendário determina uma seqüência de três anos com 365 dias e um ano de 366 dias, chamado ano bissexto.

O calendário muçulmano tem seu ano zero demarcado para nós no ano 622 depois de Cristo, quando o profeta Maomé foi perseguido e fugiu de Meca. Já o calendário judaico determina o ano zero na data da criação do mundo no ano de 3.761 antes de Cristo.


Rosana Fernandes

Título: A história do tempo

Autor: Rosana Fernandes (todos os textos)

Visitas: 22

776 

Imagem por: Robbert van der Steeg

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 3 )    recentes

  • Briana AlvesBriana

    17-08-2014 às 22:42:29

    Interessante essa questão da história do tempo, pois ele se diferencia de um local para outro. Por isso, mesmo que o tempo continue a passar(e nunca para), devemos nos concentrar no hoje. O que podemos fazer com ele e se estamos a utilizar com bom senso.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de Climatizaçãomichel

    13-09-2010 às 07:51:50

    o calendário também não é um exemplo de calendário lunar ?

    ¬ Responder
  • Kellyyy**Kellyyy**

    19-04-2010 às 20:39:24

    Achei muito legal este texto!
    O melhor de todos que vi sobre o tempo.
    Parabéns

    ¬ Responder

Comentários - A história do tempo

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Dicas para decorar salas pequenas.

Ler próximo texto...

Tema: Decoração
Dicas para decorar salas pequenas.\"Rua
A realidade das grandes cidades é que a maioria das pessoas mora em espaços pequenos. É fato também que todos desejam ter um ambiente acolhedor e aconchegante para receber amigos. Em contrapartida, na medida em que os espaços encolhem, a quantidade de aparelhos eletrônicos que utilizamos aumenta cada vez mais. Há ainda quem use a sala como home-office.

Nesta busca de inspiração para organizar e incrementar sua sala, encontramos uma série de sites especializados e blogs com muitas, muitas ideias. O conceito de D.I.Y. (do it yourself) que significa "faça você mesmo” nunca esteve tão na moda. É uma alternativa para reduzir gastos com mão de obra e nada melhor do que criar um espaço com um toque todo seu. Inspirações e ideias não faltam. Hoje, de certa forma todos nos sentimos meio decoradores.

Mas planejar a decoração de uma sala pequena exige alguns cuidados para que o ambiente não fique entulhado de móveis, disfuncional ou até mesmo desagradável.

Confira algumas dicas para decorar sua sala com estilo e valorizando seu espaço:
Os espelhos, além da autocontemplação, causam efeitos interessantes. Aplicados, por exemplo, em uma parede inteira pode duplicar a amplitude do ambiente. Pode ser usado também em móveis, tetos, em diversos formatos e valorizar a luminosidade da decoração.

As cores tem poder de causar sensações. Em ambientes com pouco espaço, elas podem colaborar para que a sensação de amplitude possa tanto aumentar quanto diminuir. Para pintar as paredes de sua sala aposte em cores claras. O teto com uma cor mais clara que a das paredes, por exemplo, pode simular uma elevação do teto, já em uma cor mais escura, promoverá uma sensação de rebaixamento do teto.

A escolha e posição dos móveis são um aspecto muito importante. Opte por poucos móveis, nunca de tamanhos exagerados e posicione-os de forma que valorize o espaço. Móveis que misturam poucos materiais, baixos e com linhas retas proporcionam leveza ao ambiente.

Uma solução muito interessante para espaços pequenos é a utilização de prateleiras. Caixas para produtos horto frutícolas reformadas podem se tornar lindas prateleiras. Mas cuidado com a profundidade, para não atrapalhar na disposição de outros móveis e objetos.

Móveis multifuncionais ou móveis inteligentes são excelentes alternativas para uma sala pequena. Um bom exemplo são pufes, que podem ser usados como mesas de centro ou ficarem alojados debaixo de aparadores e quando recebemos visitas podem se transformar em assentos extras. Mesas dobráveis também são uma ótima opção.

Escolher o mesmo piso ou revestimento pode dar a impressão de área maior, de continuidade. Mudanças drásticas de um ambiente para outro pode causar a sensação de divisão e consequentemente fazer parecer menor.

Algumas outras dicas: um sofá retrátil ou reclinável garante muito mais conforto e ocupa o espaço de um sofá simples. Suporte ou painéis móveis para TV possibilitam que ela seja movida na direção desejável. Caso o ambiente tenha escadas, escolher um modelo de escadas vazadas evita divisões e pode se tornar uma peça de destaque na sala. E para as cortinas, escolha tecidos leves, lisas e sem estampas.

De qualquer forma, ouse, não tenha medo de arriscar, crie, não copie, só assim será seu!

Luciana Santos.

Outros textos do autor:
Dicas para decorar salas pequenas.

Pesquisar mais textos:

Luciana Maria dos Santos

Título:Dicas para decorar salas pequenas.

Autor:Luciana Maria Santos(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Carlos Rubens Neto 16-06-2016 às 16:20:24

    Excelente matéria! Parabéns Luciana ;)

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios