Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > Tunturi - António Vieira

Tunturi - António Vieira

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Literatura
Visitas: 101
Tunturi - António Vieira

Ler um livro que leva ao leitor uma perspectiva de vida completamente diferente pode ser uma experiência de êxtase ou frustração. António Bracinha Vieira promove uma cápsula de êxtase com o seu livro Tunturi.

António Bracinha Vieira nasceu em 1941 em Lisboa, vindo a se formar em Medicina com especialização em Psiquiatria pela Faculdade de Medicina pela Universidade de Lisboa. Chegou a lecionar etologia animal/humana e paleontologia na Universidade Nova de Lisboa, sendo o fundador da Sociedade Portuguesa de Etologia. Tem profundo interesse na filosofia, ciência e etologia da Medicina, e seu romance Tunturi carrega mescla muito bem estes temas à trama presente no livro.

Tunturi acompanha a história da selvagem que dá nome ao livro, uma mulher que pertence à tribo dos Sámi na Finlândia, por volta de 1990. Seu nome referencia as montanhas sagradas, demonstrando toda a sensação de limite que o autor propõe, tanto do ambiente como o da própria personagem.

Tunturi não é um livro de ação, mas de sentimentos e sentidos. O que vale aqui é a experiência de ver o mundo aos olhos de uma moça solta das amarras que seguram e sustentam a sociedade moderna. O contato com a natureza é único e sagrado, provocando sensações tanto na personagem título como no leitor. Não há imposição moral além das crenças herdadas da tribo, que aliás, são completamente diferentes das crenças religiosas que cercam e direcionam as pessoas. Esta sensação de estranheza proporciona uma experiência muito interessante.

Entretanto um livro não pode sobreviver de sensações. O caminho temporal de Tunturi relatado no livro é apenas parte da jornada da jovem; é como se o autor desse a oportunidade do leitor ser, mesmo que por alguns instantes, Tunturi. De fato, ser Tunturi é celebrar a rotina sagrada do contato com a natureza e seus enigmas, sofrer a exposição do ser, a agressão e a paixão da vida em contato com as outras pessoas.

Os estudos etológicos, e a relação entre humanidade e natureza são usados como plano de fundo, assim como a cultura de Tunturi. António Vieira cumpre o papel de induzir o leitor a abandonar seu próprio mundo e caminhar sobre os pés de uma estranha.


Wallace Randal

Título: Tunturi - António Vieira

Autor: Wallace Randal (todos os textos)

Visitas: 101

608 

Comentários - Tunturi - António Vieira

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Jardinagem Fonte de Vida

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Bricolage Jardim
Jardinagem Fonte de Vida\"Rua
A jardinagem é conhecida há anos como uma forma de emprego que possibilita a muitos uma renda familiar mensal. A jardinagem também pode ser artística onde a arte do profissional é aplicada. A jardinagem pode ser de inúmeras formas conhecida e exercida, trazendo benefícios imensuráveis a aqueles que dela são adeptos.

Muito mais que fonte de renda ou arte a jardinagem é uma fonte de inúmeros beneficio a vida do ser humano, fonte de alegria, relaxamento e distração. E por ser uma atividade tão simples não é difícil de ser realizada. A jardinagem é por si só fonte de vida, fonte de aprendizado e principalmente fonte de intimidade do ser humano.

Ser adepto da jardinagem não é somente revirar terra, ser adepto da jardinagem é decisão de vida que transforma seu dia-a-dia mudando a rotina de dias estressantes e cansativos.

Ao olhar de muitos a tarefa possa parecer penosa, cansativa e até chata, mais somente estando envolvido na jardinagem para perceber que muito mais ter um corpo cansado após a tarefa, você na verdade descansa seu corpo sua mente e seu espírito da agitação do dia-a-dia.

Alguns minutos dedicados à jardinagem são o suficiente para inibir grande carga emocional e física do nosso dia-a-dia, e proporcionando uma energia a mais para os próximos dias.

A jardinagem pode ser realizada de varias formas simples que vão trazer todos estes benefícios a sua vida e não são necessários grandes investimentos ou mudança radical da sua rotina de vida ou qualquer outra mudança que você possa imaginar. Na verdade as maiores mudanças são comportamentais e só depende de você.

Para detalhar um pouco o que você poderá fazer com alguns minutos dedicados à jardinagem você irá perceber que não há nenhuma dificuldade em realizar esta tarefa.

Com um mínimo de espaço você pode cultivar plantas simples, em vasos pequenos que não irão ocupar espaço e serão na verdade uma linda forma de ornamentar sua casa.

Você poderá cultivar uma espécie de planta conhecida como:
- Rosa de pedra

É uma suculenta, planta que armazena água nas folhas e caules, que tem o formato parecido com o de uma rosa. É muito usada para fazer arranjos em vasos com outras suculentas e cactos. Deve ser regada apenas uma vez por semana, pois a umidade pode apodrecer suas raízes. Não tolera muito sol.

E você vai perceber que se dedicar alguns minutos a jardinagem é muito bom para você, os resultados não tem como ser calculados, somente há possibilidade de experimentar o quanto bom é o resultado final.

Então não espere muito é dedique-se um tempo a descobrir o quanto é bom a jardinagem para sua vida.

Pesquisar mais textos:

Rodrigo Junio Ferreira

Título:Jardinagem Fonte de Vida

Autor:Rodrigo Junio Ferreira(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Briana AlvesBriana

    13-10-2014 às 04:43:33

    É tão gratificante nós mesmos realizarmos a jardinagem. Essa atividade relaxa, gera prazer e o resultado nos deixa muito felizes. Vale a pena!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios