Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > Poesias de Uma noite

Poesias de Uma noite

Categoria: Literatura
Poesias de Uma noite

as de Hoje

Consciência

A consciência de quem trabalha

Sem atrapalhar,

Quem se conscientiza

Conscientizando ao seu próximo

O valor de uma incalculável vida

Que como um livro que começa a ser

Escrito à partir do primeiro momento

Em que faz do sol de sua alma

Ser o seu sorriso,

Que nada mais espanta a tamanha

E efêmera consciência de tanto amar

[...]

E tanto desprezar.

O Desprezo

O desprezo a que lhe concedo

Com tanta e tamanha raiva

Poderia ser o mesmo a que com

Tanto amor,

Fogo da paixão

Concedia ao seu coração

Que faz da ilusão,

Ser o principio da escuridão

Atropelando a depressão que prova

Do seu veneno degustando da maldição,

Que em seu coração

Se cedeu ao principio de uma aventureira,

Embora apaixonante fosse a paixão.

Condição

A condição que hoje tenho

Para comprar um pão que me tirasse

Essa fome é o mesmo com a qual,

Por força maior alimento

O meu vício que

Sucessivamente degustar de minhas forças,

Enfraquecendo e

Amolecendo o meu caráter

Que já não tenho escrevo essa carta

Que mais parece poesia ou vice versa

[...]

Queria me inserir ao mundo que estou

Para usufruir do melhor me guarda,

Embora ainda me sinta uma carta uma carta

Que depois de ameaçada é jogada fora .

Ameaçada

Ameaçada a minha alma

É diariamente por quem que não vê,

Não me sente e,

Muito menos me conhece

Para dizer algo sem

Me julgar fazendo o mal uso da palavra

Que soa pela boca,

Sem tomar consciência do que diz,

Ou que pensa ou sente,

Embora o pensar mal já seja pecado

[...]

Por que então pensamos?

O Choque

O choque que tomei ao

Sentir o tamanho do fervor

De seu amor queimando

Na profundeza de minha alma

Tão quão inconsciente quanto

Ao coração que nada pensa,

Que nada diz e

Que nada julgue,

Embora sinta a dor de tanto amar

Sem poder expressar fazendo o mundo

Se abrir aos olhos de minha alma,

Que nada vê como eu vejo,

Embora eu também não o enxergue

Tão corretamente como imagino ser a alma

De quem teima em sofrer devido ao tão eterno amor.

O julgamento

O julgamento embora seja

Tão pesada quanto a banal e

Intensa paixão,

Que nada mais me

Consome como a correspondência

De amor tão imensa e

Insolúvel quanto à paixão que

Em meu coração se agiganta,

Enquanto a intolerância consumada

Pela perdição

Dessa tão incógnita imensidão

Que nada subtrai para apenas somar.

A Intolerância

A intolerância em relação ao

Amor que tudo faz somar e acrescentar,

Sem ao menos subtrair ou tirar algo

Que ao coração não satisfaz

Como a perdição

Na escuridão não o satisfez

Perdendo-se na escuridão

Que nada apavora ao coração

Que continua a alimentar essa paixão

Que ao céu lhe proporciona a perdição

Sem a tolerância da maldição

Que nada se acrescenta por apenas

Fazer subtração e

A divisão.


Kaique Barros

Título: Poesias de Uma noite

Autor: Kaique Barros (todos os textos)

Visitas: 0

0 

Comentários - Poesias de Uma noite

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Ler próximo texto...

Tema: Informática
Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?\"Rua
Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Bom, Não é de hoje que tecnologia vem surpreendendo a todos nós com grandes revoluções e os custos que diminuem cada vez mais.
Hoje em dia é comum ver crianças com smarthphones com tecnologia que a 10 anos atrás nem o celular mais moderno e caro do mercado tinha.
Com isso surgiram sugiram vários profetas da tecnologia e visionários, tentando prever qual será o próximo passo.

E os filmes retratam bem esse tema e usam essa formula que atrai a curiosidade das pessoas.
Exemplos:

Minority report - A nova lei de 2002 (Imagem)

Transcendence de 2014

Em Transcendence um tema mais conspiratório, onde um ser humano transcende a uma consciência artificial e assim se torna imortal e com infinita capacidade de aprendizagem.
Vale a pena ver tanto um quanto o outro filme. Algumas tecnologias de Minority Report, como utilizar computadores com as mãos (caso do kinect do Xbox 360 e One) e carros dirigidos automaticamente, já parecem bem mais próximo do que as tecnologias vistas em Transcendence, pois o foco principal do mesmo ainda é um tema que a humanidade engatinha, que é o cérebro humano, a máquina mais complexa conhecida até o momento.

Eu particularmente, acredito que em alguns anos teremos realmente, carros pilotados automaticamente, devido ao investimento de gigantes como o Google e o Baidu nessa tecnologia.

Também acho que o inicio da colonização de Marte, vai trazer grandes conquistas para humanidade, porém grandes desafios, desafios esses que vão nos obrigar a evoluir rapidamente nossa tecnologia e nossa forma de encarar a exploração espacial, não como um gasto, mas sim como um investimento necessário a toda humanidade e a perpetuação da sua existência.

A única salvação verdadeira para humanidade e para o planeta terra, é que seja possível o ser humano habitar outros planetas, seja localizando planetas parecidos com a terra ou mudando planetas sem condições para a vida em planetas habitáveis e isso só será possível com gente morando nesses planetas, como será o caso do Marte. O ser humano com a sua engenhosidade, aprendeu a mudar o ambiente a sua volta e assim deixou de ser nômade e da mesma forma teremos que aprender a mudar os mundos, sistemas, galáxias e o universo a nossa volta.

Espero que tenham gostado do meu primeiro texto.
Obrigado à todos!
Até a Próxima!


Pesquisar mais textos:

Érico da Silva Kaercher

Título:Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Autor:Érico da Kaercher(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios