Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > O Tempo e Eu

O Tempo e Eu

Categoria: Literatura
Visitas: 2
Comentários: 2
O Tempo e Eu

Eu estava ali sentado numa cadeira velha no terraço daquele prédio, era aonde eu sempre ia depois de almoçar.

Era proibido subir naquela parte, mas eu fazia meus malabarismos e sempre chegava lá sem ser visto. Era uma hora e meia de almoço, eu gastava não mais que vinte minutos para engolir a comida. Tudo para sobrar mais tempo pra ficar ali, sem fazer nada, apenas olhando de cima a vida naquela imensa cidade passar. A sensação era que eu estivesse imune ao tempo, enquanto assistia tudo ser devorado por ele. E como passava rápido, quase tão rápido quanto meu horário de almoço.

Terminada a melhor hora do meu dia, eu descia para novamente cumprir minha obrigação de funcionário de um escritório de contabilidade no quinto andar. Um trabalho aparentemente bom para todos os funcionários de lá, pelo menos é o que eles demonstravam, só não era bom pra mim, que me conformava, porque aquilo era apenas mais um item na extensa lista de coisas que eu tinha que fazer por obrigação naquela minha desbotada vida.

Você deve estar se perguntando: O que um jovem de trinta e cinco anos está fazendo num emprego tão infeliz?

Como? Você não sabia que eu tinha trinta e cinco anos? Hein? Não foi você que perguntou?

Ah, deve ter sido meu inconsciente. É que estou tão acostumado a ser questionado sobre aquilo que não quero dividir com ninguém, que já fico na defensiva. Mas vou te situar melhor na minha realidade.

Meu nome é Louco, na verdade é meu apelido. Lou de Louis e Co de Conan. Louis Conan, daí Louco, o resto é coincidência.

Desde pequeno sempre fui diferente, tinha dificuldades nas coisas que todos tiravam de letra, inclusive viver socialmente. O meu time (tempo) era outro, gostava das pessoas, de fazer o que elas faziam, de me relacionar... Mas no meu tempo, não no tempo natural dos encontros e das relações. O que eu gostava a qualquer tempo era de ficar só. Isso sim, qualquer hora era hora.

Mas eu tinha uma vida social, era obrigado a ter, pela sociedade, pela família... E as pessoas acabavam nem percebendo que eu não estava inteiro ali, compravam facilmente a imagem que eu passava.

Na época de ir para a faculdade foi talvez o momento mais difícil. A ideia de escolher uma profissão pro resto da vida, me deixava desesperado, pra ser sincero tudo que deve ser pra sempre me causa desconforto. Não que as coisas não devam ser pra sempre, se for tudo bem, mas minhas decisões focam o agora. Eu não fazia ideia do que fazer nem pro agora nem pro futuro. Olhava de cima a baixo a lista dos cursos disponíveis, e nada me interessava.

Minha mãe e meu pai não entendiam que não era porque eu não queria, eles achavam que era birra, desobediência, preguiça, talvez até por comodidade eles pensassem assim, porque é certo que: É melhor ter um filho desobediente ou preguiçoso, que doente mental ou comportamental ou simplesmente estranho.

E vamos combinar que esta coisa de doença mental, quando leve, possível de vivencia em comunidade, é muito relativa. E cada um vê como lhe convém, num rico é uma personalidade exótica, num pobre é doidera, para os pais é desobediência, pros amigos jeito diferente de ser, pros inimigos, chatice... E assim por diante. Nem os próprios médicos falam a mesma língua, e como diz o ditado “de louco todo mundo tem um pouco”.

O fato é que eu me sentia desamparado, sozinho, sem rumo, e isto me fazia distanciar cada vez mais das pessoas. Mas a idade estava chegando tinha que dá um rumo na vida. E com algumas indicações consegui este trabalho, onde estou até hoje.

Hoje eu divido minha vida entre ele e a pintura, ah sim me esqueci de dizer, a única coisa que posso falar que sonho em trabalhar é pintando.

Descobri este talento ainda na infância, mas nunca passou pela minha cabeça que esta poderia ser minha profissão. Poucas pessoas sabiam deste meu talento e pra ser sincero nem eu sabia, gostava de pintar e pronto.

Só agora, aos 35 anos, sem uma faculdade, sem casa própria, sem um monte de coisa que torna um homem dono do próprio nariz me atentei para isto. E tenho medo de arriscar, apesar de meu trabalho não ser o do sonho, mas é ele que me possibilita a pagar as contas.
Até acho que tenho talento, mas talentos precisam ser trabalhados, desenvolvidos, apurados e até mesmo testados e isto seria facilmente feito aos dezesseis anos, mas agora preciso trabalhar e pintar nas horinhas vagas.

Daqui olhando os detalhes da vida, lá em baixo vejo tudo passando rápido, e não consigo identificar nada, é mais ou menos como na minha vida, ontem eu era adolescente, hoje sou um homem já adulto, mas tudo passou tão rápido que parece que não deu tempo de efetivar esta maturação.

Aqui do meu lado tem um jardim, umas plantinhas em vasos, que tira um pouco a aridez deste lugar, deixando-o mais gracioso. Assim é a pintura na minha vida, traz algum colorido para esta minha infértil vida. Por isto eu desejo tanto este momento todos os dias. Aqui não só olho o tempo passar, mas me inspiro e me fortaleço. É o meu momento comigo mesmo.

Não posso me culpar completamente por não ter uma vida da forma que desejo, pintei com as ferramentas que me deram, e vamos combinar que esta historia de que nossa vida é uma tela em branco, para construirmos o que quisermos é a maior bobagem que já ouvi. Nossa vida é uma tela predefinida cheia de marcas, já com cores, às vezes até deformada e mais não temos base corretiva para uniformizá-la. Na verdade temos que criar em cima de um desenho já começado, e sem material suficiente. Então criatividade é a palavra e aceitação também, porque nem tudo depende do autor.

Assim eu levo a minha vidinha, talvez o colorido, a vibração, a plenitude esteja apenas em meus sonhos, e esta é a forma que encontrei de me manter vivo e em pé. A cada dia esta tela fica mais marcada e usada e consequentemente mais difícil de construir um desenho como nos meus sonhos. Mas como meus sonhos fazem parte da minha vida, meu desenho até que terá bastante vida e bastante cor. Porque sonhar é o que sei fazer de melhor.


Meirilene Reis

Título: O Tempo e Eu

Autor: Meirilene Reis (todos os textos)

Visitas: 2

2 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • Adriana SantosAdriana Santos

    22-01-2016 às 11:30:08

    Adorei!

    ¬ Responder
  • Meirilene ReisMeirilene Reis

    25-01-2016 às 10:19:55

    Obrigada. Que bom que gostou.

    ¬ Responder

Comentários - O Tempo e Eu

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Saiba como consertar seu fone de ouvido

Ler próximo texto...

Tema: Electrodomésticos
Saiba como consertar seu fone de ouvido\"Rua
É quase certo que, se não forem todas as pessoas, boa parte delas já tiveram problemas com os fones de ouvido e trocaram-nos, pelo menos uma vez na vida. Há casos que são necessárias várias trocas. Por ser um dispositivo sensível e pequeno, um manuseio incorreto ou peças de má qualidade, interfere na vida útil dos fones de ouvido. Seja um chiado, mau contato no cabo ou um lado que parou de funcionar, quase sempre ocorre.
Isso acaba gerando um gasto, às vezes não planejado. O custo é bem pequeno, porém, se for somado todos os fones já adquiridos, pode ser um valor razoável. A manutenção não é tão cara, mas exige um pouco de dedicação. Se você já não aguenta mais comprar essas pequenas peças que estragam o tempo todo, aprenda como arrumar o seu e livre-se desse problema.

Materiais necessários
Esse artigo irá tratar de três tipos possíveis de manutenção: troca do pino, conserto de mau contato e o reparo dos cabos conectados aos fones. Segue a lista de equipamentos necessários:
- Alicate de bico ou corte com área específica para cortar;
- Estilete;
- Lixa;
- Ferro de solda;
- Estanho para solda;
- Conector P2 estéreo e Fita isolante.




Conector do fone de ouvido: Troca
1 - Com o alicate, corte o cabo onde está o conector;
Nessa etapa, não corte muito próximo ao conector porque o mau contato pode estar na parte flexível do cabo. Também não corte tão longe para não diminuir muito o tamanho.
2 - Com bastante cuidado, utilize o estilete para desencapar o cabo;
Se você aplicar muita força nesse passo, pode danificar os fios ou até se machucar.
3 - Dois fios, correspondente aos fones, estarão visíveis. Peque-os e, com cuidado, tire a capa deles com o estilete;
Existem alguns modelos de fones que não tem capa protetora, apresentando três ou quatro fios. Caso seja o seu caso, veja o passo a seguir.
4 - Utilize a lixa para remover a proteção dos cabos encapados;
5 - Ligue o ferro de solda à tomada;
6 - Passe os fios pela capa do novo conector;
7 - Caso seu fone possua dois fios-terra, torça os dois juntos;
8 - Com o estanho e o ferro de solda, grude os cabos no conector;
Antes de realizar esse paço, verifique a ordem correta dos conectores (fone direito e esquerdo). Se você não tiver certeza, veja no outro conector a ordem correta para soldar os fios.
9 - O fio-terra deve ser soldado no buraco central do conector;
10 - Coloque a capa do conector nele e teste seu fone!

Problema de mau contato: Conserto
Agora, você aprenderá a consertar um cabo com mau contato. É recomendado trocar o cabo todo, pois não se sabe onde exatamente está o mau contato e se é somente naquele ponto.
1 - Com o alicate, corte o cabo próximo ao fone;
2 - Com bastante cuidado, utilize o estilete para desencapar o cabo que resta no fone;
3 - Dois fios, correspondente aos fones, estarão visíveis. Peque-os e, com cuidado, tire a capa deles com o estilete;
4 - Utilize a lixa para remover a proteção dos cabos encapados;
5 - Ligue o ferro de solda à tomada;
6 - Utilizando o estanho, solde os fios do cabo novo no que está com o fone;
7 - Com a fita isolante, encape os remendos realizados;
8 - Utiliza a fita isolante para encapar a parte remendada e teste seu fone!

Defeitos nos contatos dos alto-falantes: Arrumando
Agora, você verá como é simples realizar a manutenção nos fones. Confira os passos a seguir.
1 - Ligue o ferro de solda à tomada;
2 - Abra o fone de ouvido;
Nesse item, verifique se o fone não possui parafusos para evitar danos a ele ao abri-lo. Lembre-se de como você abriu para poder fechar depois.
3 - Apenas com o ferro de solda, aqueça onde os cabos estão conectados para derreter a solda e retirar os fios;
4 - Corte a parte dos fios que estão com mau contato;
5 - Com o estanho e o ferro de solta, grude os fios do cabo nos fones;
6 - Monte o fone de volta e teste-o!

No corpo da matéria, há um vídeo feito pela equipe do Baixaki que pode auxiliar você. Gostou das dicas? Comente!

Pesquisar mais textos:

Lucas Souza

Título:Saiba como consertar seu fone de ouvido

Autor:Lucas Souza(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    16-04-2014 às 18:40:31

    Muito valiosa todas as dicas, gostei muito e detalhou muito bem. Obrigada! Parabéns pelo texto!

    A equipa da Rua Direita

    ¬ Responder
  • Vitoria Ribeiro 12-09-2013 às 08:40:23

    Esta com dificuldade em consertar seu fone de ouvido, mesmo com as explicações acima? Consertamos para você! Temos loja física no Centro do Rio de Janeiro, recebemos e enviamos para todo o BRASIL - - 21-25071518 Vitoria Ribeiro

    ¬ Responder
  • João 08-09-2013 às 02:07:31

    Tenho um Headfone Beats Solo HD vermelho e o arco quebrou bem no lado direito no suporte dobrável do fone, Alguem sabe aonde compro esse arco? Moro em Curitiba.

    ¬ Responder
  • mariel 27-01-2016 às 20:30:21

    Conseguiu, João? Estou com o mesmo problema.

    ¬ Responder
  • André 21-07-2013 às 20:00:44

    Comprei um daqueles fones com entrada para cartao de memoria. dos modelos que encaixam na orelha, porem um dos lados foi quebrado. saberiam irformar se existe peca de reposicao, preciso apenas do encaixe da orelha, paguei R$50,00 e vou perder todoo fone por uma unica peça quebrada. MRH-8806Q NIA

    ¬ Responder
  • joaoa 19-06-2013 às 13:31:56

    tenho um skullcandy navigator, e o lado esquerdo do arco quebrou , a 'caixa' esta solta, tem como consertar??

    ¬ Responder
  • sidney 02-04-2013 às 09:18:23

    Qual o endereço da loja? Tenho um fone Philips HLS 8800 e o cabo arrebento e quero consrtalo.

    ¬ Responder
  • Vc é Plagiador 18-02-2013 às 15:19:44

    Engraçado, tu pega a matéria do Baixaki e cola aqui no site.

    ¬ Responder
  • Daniel 27-02-2013 às 12:00:11

    Copiou na cara dura!

    ¬ Responder
  • Marcelo 26-01-2013 às 08:27:20

    VC ESTA COM DIFICULDADE EM CONSERTAR SEU FONE OUVIDO, MESMO COM AS EXPLICAÇÕES ACIMA? CONSERTAMOS PARA VC! TEMOS LOJA FÍSICA NO CENTRO DO RIO DE JANEIRO, RECEBEMOS E ENVIAMOS PARA TODO O BRASIL -2125071518 . BEATS BY, SONY, PHILLIPS, COBY ENTRE OUTROS

    ¬ Responder
  • Renildo 19-08-2014 às 20:58:42

    VOCE TEM COMO CONSERTAR UM ARCO DO BEATES ORIGINAL?..ELE QUEBROU BEM NO CENTRO..SE TEM COMO CONSERTAR, ME MANDE ENDEREÇO OU EMAIL PRA CONTATO...POR FAVOR..MORO EM BRASILIA..SE TIVER ASSISTENCIA TECNICA POR AQUI PRECISO TELEFONE OU ENDEREÇO..

    ¬ Responder
  • Amparo 07-09-2014 às 14:09:59

    Renildo, Vc conseguiu trocar o arco do beats? estou com o mesmo problema. Tb moro em BSB. Peço me orientar.
    Amparo

    ¬ Responder
  • Daiany Nascimento 17-09-2012 às 12:37:14

    Gostei do texto. Sou fã dos artigos publicados pelos autores do ruadireta.com devido à variedade de temas que posso encontrar, além de que a maioria deles são muito ricos em conteúdo, como este! Parabéns autor pela sua dedicação, saiba que as dicas que encontrei aqui poderão me ajudar muito, pois precisava mesmo saber como consertar meu Fone De Ouvido. Espero por novidades, pois sempre estou à procura de novos conhecimentos. Muito obrigada e Boa escrita!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios