Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > O nevoeiro

O nevoeiro

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Literatura
O nevoeiro

Eu caminhava pelo nevoeiro só. Vi para além disso absoluta escuridão. Sentia o frio gélido que me devorava os ossos. Muito lentamente chegava a um destino que desconhecia, via nada mais que o plácido horizonte, a estrada interminável e assustadora, continuei ainda assim sem por onde ir. Tentava olhar para o outro lado para avistar uma possível paisagem, mas eu só via a absoluta escuridão. Só tinha o meu capucho vermelho para me proteger, não tinha mais nada. Fui caminhando com esperança ou falta dela, do que a estrada chegasse ao fim. Acabei por desistir. Estava da hora de mudar, olhei para as montanhas à minha direita, comecei a subir os seus penhascos ingremes.

Eu tinha acordado do meio da neve grossa, a montanha era impossível de ser escalada, tinha caído do chão com as costas e desmaiado, estava sozinho novamente. Cansado e esfomeado. Tentei fazer uma corrida mas só aguentei por cinco minutos e continuava sem avistar nada, a única luz que havia era aquela que provinha da lua. Eu olhava para ela, sonhava que outra pessoa que eu amasse também estivesse a olhar, mas isso é ridículo. Continuava distante de tudo, esta tinha sido a minha escolha não havia nada a fazer agora. Continuei por mais uns minutos, as forças iam-me.

Um monte de neve tinha-se apoderado de mim, ao acordar pude sentir os poucos raios de sol que ainda haviam, meu deus nunca antes tinha desejado tanto o sol, não era tão forte aqui, mas estava a gostar de senti-la, deu me forças, mas ainda assim, a escuridão tinha mudado para a iluminação, o branco pairava em redor de mim, levantei-me, não havia nada em que me pudesse assegurar, exceto as bordas da estrada que da qual estavam ali para evitar a queda dos automóveis daquela ravina. Demorando algum tempo fui para o outro lado e segurei-me ali. Assim foi tentei caminhar por mais umas horas, cada vez mais a minha fome me dominava, cada vez mais sentia a morrer. Que poderia eu fazer? Tinha decidido a completar a minha vida em afastamento dos outros, achei que seria melhor. Mas por vezes não se pensa bem dos casos.

Tive que parar, a fome apertava, tava do lado da estrada aonde vinha os carros, tive que repousar, não aguentava mais, o frio dominava o meu corpo. Estava a morrer, não restava mais nada. Faróis vinham em minha direção e vi o…

Fim.


Manuel Velez

Título: O nevoeiro

Autor: Manuel Velez (todos os textos)

Visitas: 0

611 

Comentários - O nevoeiro

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como fazer disfarces de Carnaval

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Vestuário
Como fazer disfarces de Carnaval\"Rua
O ano começa e depressa chega uma data muito ansiada principalmente pelos mais jovens: o desejado Carnaval!

Esta é uma data que os pequenos adoram e deliram com as fantasias. O problema maior é a despesa que os disfarces representam e no ano seguinte já não usarão o mesmo disfarce ou, no caso dos mais pequenos, já não lhes serve.
O melhor nesta data é mesmo reciclar e aprender a fazer disfarces caseiros utilizando truques mais económicos e materiais reciclados para preparar as fantasias dos pequenitos!

Uma sugestão para os meninos é o traje de pirata que pode facilmente ser criado a partir de peças que tenha em casa. Procure uma camisa de tamanho grande e, de preferência, de cor branca com folhos. Se não tiver uma camisa com estas características facilmente encontrará um modelo destes no guarda-vestidos de alguma familiar, talvez da avó.

Precisará de um colete preto. Na falta do colete pode utilizar um casaco preto que esteja curto, rasgue as mangas pelas costuras dos ombros. As calças devem ser velhas e pretas para poderem ser cortadas na zona das pernas para envelhecer a peça. Coloque um lenço preto ou vermelho na cabeça do menino e, de seguida, com um elástico preto e um pouco de velcro tape um dos olhos.

Para as meninas não faltam ideias originais para fazer disfarces bonitos e especiais para este dia. Uma ideia original é a fantasia de Flinstone. É muito fácil e prática de fazer e fica um disfarce muito bonito. Comece por arranjar um pedaço de tecido branco. Coloque o tecido em volta do corpo como uma toalha de banho e depois amarre num dos braços fazendo uma alça. Depois corte as pontas em ziguezague mantendo um lado mais comprido que o outro. Amarre o cabelo da menina todo no cimo da cabeça, como se estivesse a fazer um rabo-de-cavalo mas alteie-o mais. Com o auxílio de um pente frise o cabelo, pegando nas pontas e passando o pente em sentido contrário até que fique todo despenteado. Numa loja de disfarces compre um osso de plástico e prenda na fita da criança.

Pegue nos materiais, puxe pela imaginação e ponha mãos ao trabalho!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Como fazer disfarces de Carnaval

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    09-06-2014 às 04:01:21

    Não em carnaval, mas em bailes de fantasia, sempre usei o TNT. Eles são ótimos para trabalhar o corte, para costurar e deixa bem bonito!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios