Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > O alfabeto fenício

O alfabeto fenício

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Literatura
Visitas: 28
Comentários: 2
O alfabeto fenício

Na Pré- História os homens comunicavam entre si através de sons e sinais de fogo. Os fenícios foram os grandes inventores do alfabeto que originou a escrita.

A escrita alfabética esteve na origem dos alfabetos de todo o mundo, tal como o latino, o árabe e o hebraico. Este substituiu a escrita cuneiforme e hieroglífica, que se impôs pela sua simplicidade.

Começou por ser uma escrita fonética, composta por vinte e duas consoantes, correspondendo a cada uma delas um som. Esta, na verdade, trazia grandes vantagens face á escrita hieroglífica, que contava mais de 750 sinais.

Os fenícios eram originários dos semitas, que se fixaram na costa do Líbano, por volta do terceiro milénio a.C. Fixaram-se junto ao Mediterrâneo, o que fazia com ficassem com condições favoráveis ao aparecimento de cidades importantes, ligadas ao comércio marítimo, como por exemplo Sídon, Biblos e, em especial Tiro.

Dedicava-se especialmente ao comércio e à navegação e mantinham trocas intensas entre os povos vizinhos, desde o Egito à Mesopotâmia. Deste modo, começaram a exportar os seus produtos e a manter contatos comerciais com outros povos.

Assim, começaram a exportar os excedentes em vinho, azeite, madeira e produtos fabricados nas oficinas artesanais. Estas iam em barcos até aos outros povos, completamente cheios de tecidos tingidos de púrpura , vidros, peças de metal e marfim.

A fim de desenvolver as suas relações comerciais, fundaram colónias por todo o Mediterrânio, estabelecendo-se na sicília, em Malta, no Norte de àfrica e na península Ibérica. Foi deste modo que dominaram o comércio no Mediterrâneo até à chegada dos gregos e dos romanos.

Com efeito, Cartago era a colónia fenícia mais florecente, no século VI a.C, e a maior potência do Mediterrâneo, controlando o norte de àfrica e exercendo influ~encia no sul e leste da Península Ibérica.

No século II a.C acabou por sucumbir à conquista romana. O alfabeto fenício permitiu-lhes a possibilidade de realizar negócios e contratos de forma funcional e simples de usar e de aprender.

Além disso aboliram os pictogramas e ideogramas e inventaram mais sinais fonéticos, com os quais podiam construir um número infindável de palavras. Os gregos também tomaram conhecimento deste albabeto, introduziram-lhe vogais e divulgaram-no por toda a bacia Mediterrânea, transmitindo-a aos romanos.

Após isto, a escrita estendeu-se a todos os povos europeus.


Teresa Maria Batista Gil

Título: O alfabeto fenício

Autor: Teresa Maria Gil (todos os textos)

Visitas: 28

795 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • Teresa Maria Batista GilTeresa Maria Batista Gil

    17-09-2012 às 15:45:12

    Nem sempre o homem escreveu com as letras do alfabeto.Contudo, ele comunicava entre si e com os os outros grupos.No início começou a comunicar com sinais de fogo e sons. Só depois dos fenícios ele aprendeu a escrever com as vogais que fazem parte do alfabeto.Os fenícios deixaram este legado tão importante para o desenvolvimento da comunicação que passa a ser escrita.

    ¬ Responder
  • Julio Ganem

    24-01-2015 às 13:50:28

    Gracias Teresa Maria Gil, por tu investigación, estoy investigando mis orígenes y recopilando historias de mis antepasados principalmente Libaneses, que es la raíz paterna, y he descubierto muchas historias e incluso algunas están escritas en el Mahabharatha dentro de las mil y una noches con la Historia del Mercader Ganem Ben-Ayub y curiosamente unos familiares se apellidan Ayub, otros Yunes, Kouri que en Mexico les dicen Kuri, Chedraui, Manzur, Saad, Nacif, Grayeb, la mayoría de ellos no los conozco en persona para saber de sus historia, GRACIAS.

    ¬ Responder

Comentários - O alfabeto fenício

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O que é uma Open House?

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Imóveis Venda
O que é uma Open House?\"Rua
Este é um tema que vem pôr muito a lindo o trabalho de alguns mediadores imobiliários e do seu trabalho.

Quando temos um imóvel para vender, muitos são os métodos a utilizar e os meios que nos levam até eles para termos o nosso objetivo cumprido – A venda da Casa.
Quando entregamos o nosso imóvel para que uma mediadora o comercialize, alguns aspetos têm de ser tidos em conta, como a legalidade da empresa e quem será a pessoa responsável pela divulgação da sua casa, mas a ansia de vermos o negócio concretizado é tanta, que muitas vezes nos escapa a forma como fazem a referida divulgação e publicidade do imóvel.

Entre anúncios na internet e as conhecidas folhas nas montras dos estabelecimentos autorizados, muitas mediadoras optam por fazer uma ação que está agora muito em voga que é uma Open House. Mas afinal, o que é isto de nome estrangeiro que tanto se vê pelas ruas e em folhetos de anúncio?

Ora bem, a designação em Português é muito simples – Casa Aberta. E na realidade, uma Open House é isso mesmo. Abrir uma Casa para que todos a possam ver. NO entanto, requerem-se alguns aspetos que as mediadoras normalmente preveem, mas que é fundamental que o proprietário do imóvel também tenha consciência e conhecimento.

Por norma as imobiliárias só fazem este tipo de intervenção e ação em imóveis que têm como exclusivo, isto é, quando é uma só determinada mediadora, a autorizada a poder comercializar o imóvel.

Em segundo lugar, este tipo de ação de destaque requer à mediadora custos com tempo, recursos humanos e financeiros.
A mediadora começa por marcar um dia próprio que por norma é datado para um feriado ou fim de semana. Faz então publicidade local através de folhetos e flyres anunciando a Open House, o dia e a hora, tal como o local. Muito provavelmente serão tiradas fotografias ao seu imóvel.

Através de redes sociais também poderão ser divulgadas as ações.
No dia da Open House, o local será indicado com publicidade da sua casa e da imobiliária e começarão a aparecer visitas ao imóvel.

Sugiro que não tenha mobiliário e muito menos valores em casa. O ideal será o imóvel estar desocupado de todos e quaisquer bens, por uma questão de segurança, mas também porque as áreas parecerão maiores e isso com toda a certeza ajuda à venda.

A imobiliária será responsável pela limpeza e trato do imóvel, pelo que se ocorrerem danos, serão eles os responsáveis.
Neste tipo de ações, é normal que a concorrência das imobiliárias apareça e faça parcerias que para si só trará vantagens.

Uma Open House pode não ser uma ação de destaque em Portugal, mas por exemplo nos Estados Unidos, é o normal e mais agradável. Os clientes não se sentem pressionados como numa visita normal e os negócios concretizam-se com muito mais rapidez e naturalidade.

Pesquisar mais textos:

Carla Horta

Título:O que é uma Open House?

Autor:Carla Horta(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios