Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > Coração que Convulciona

Coração que Convulciona

Categoria: Literatura
Coração que Convulciona

A Depressão
A depressão que pressiona
O coração tanto à ponto de não deixar
Ao menos um suspiro de esperança,
Com um pouco de medo ou talvez
Tudo misturado fazendo que é amado
Confundir sentimentos e emoções
Que são feitos como fantoches de um fantasma
Emotivo,
Uma paixão que por dentro parecia construir
O mundo sem que se sobressaia um insignificante
Resquício de intolerância da alma com essa brincadeira
Que como lembrança deixa um presente.

Evidências
Evidência de uma paixão que
Não se dá para disfarçar,
Omitir a ocorrência de um fato
Que nada mais fora do ue a colisão
Dentre os nossos corações,
Ou dentre emoções e
Sentimentos que no horizonte dessa imensidão,
Que é o lar aprazível de emoções tão forte
Quanto a intolerância para com esse prazer
De ter em meus braços para que dentre as nuvens
Fizesse me sentir com o bafo do vento se bater em meu rosto
Diante de meus olhos que não mais para de brilhar
Ao ver que quem era o sol,
Era você
[...]
O amor da minha vida.

Julgamento
O julgamento a qual faz
Ao meu coração o incriminando
Pelo que sente sem saber o porquê,
De tanto amor que te invade,
De tanta paixão que te escraviza
Fazendo-a regar as rosas que a esse sentimento
Plantou com tanto gosto,
Com tano prazer vinha regando até
Antes que um dia se fosse para nunca mais voltar
Com o brilho dessas rosas,
Com o amanhecer do sol com a qual
Todas às manhãs nos acordava,
Mas que agora me causa tanta tristeza,
Tanta dor por saber que erra foi simplesmente a
Causa de seu abandono e de seu
Desleixo para com quem mais te ama.

Nessa Loucura
Nessa loucura da vida
Te concedo o meu amor mesmo que raramente
Nos vemos se nos deixarmos levar pela
Autonomia de pensamento de nossos corações
Que se completam e se consagram como um só fosse,
Na de nossas almas que mesmo de se conhecerem formalmente,
Já se atraíam apenas pelo lindo brilho no olhar
Se fazia transcender sua pureza dentre as entranhas peculiares de meu coração,
Que mais sofria sem a metade para que o amor
Não se desgastasse e se fosse diante o imenso além do horizonte,
Diante do imenso além de nossos corações que maior
Que o universo fosse e mais forte se tornava
Em relação as dores lúdicas de uma ilusão.

Para Esconder
Para esconder as lágrimas tento
Secar tão rapidamente quanto o seu bocejar
Com cheiro de rosas,
Tento disfarçar o salgado sabor
Dessas lágrimas de derrota na batalha travada
Entre o meu amor e o seu coração
Que se fecha,
Se tranca sem mais se dar a chance
De vivência de uma nova história com um enredo
Rico de amor e,
Tão quão pobre seja de ilusão tão quão
Capaz de deprimir o coração.

Esse Vazio
Esse vazio em minha alma
Tão desolador e triste quando não nos vemos
Me faz pensar em tantas loucuras que aqui não me cabe
O desprazer de compartilhar com quem me lê,

Mas somente quando nós estivermos juntos e
Sozinhos para uma vida inteira,
Com o ecô de minha voz nessa escuridão
Clamando pelo seu nome me faz tanto culpar-me
Por um dia ter tido o dom para poder impedir que um dia se fosse,
Impedir que esse vazio que me apavora agora
Me entristeça depois,
Mas agora vejo o quanto isso
Fora o melhor para que nós nos machucássemos tão feio
Quanto o desencarne de dois corações que mais se amam do que a si mesmo.

Talismã
Talismã é este teu coração
É este teu amor que faz de meu
Tão quão esperançoso,
Faz de minha alma atravessar
As trevas de uma imensidão
Mergulhada na escuridão,
Encharcando minha alma
Pelo sangue dos machucados,
Das grandes feridas que sangram sem parar
Que quanto mais feio seja mais dor sentirei por saber
Do que ao mesmo tempo em que tu eres meu machucado,
Tu eres a cura de si mesma que quando me salva,
Leva-me ao céu.


Kaique Barros

Título: Coração que Convulciona

Autor: Kaique Barros (todos os textos)

Visitas: 0

0 

Comentários - Coração que Convulciona

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como fazer disfarces de Carnaval

Ler próximo texto...

Tema: Vestuário
Como fazer disfarces de Carnaval\"Rua
O ano começa e depressa chega uma data muito ansiada principalmente pelos mais jovens: o desejado Carnaval!

Esta é uma data que os pequenos adoram e deliram com as fantasias. O problema maior é a despesa que os disfarces representam e no ano seguinte já não usarão o mesmo disfarce ou, no caso dos mais pequenos, já não lhes serve.
O melhor nesta data é mesmo reciclar e aprender a fazer disfarces caseiros utilizando truques mais económicos e materiais reciclados para preparar as fantasias dos pequenitos!

Uma sugestão para os meninos é o traje de pirata que pode facilmente ser criado a partir de peças que tenha em casa. Procure uma camisa de tamanho grande e, de preferência, de cor branca com folhos. Se não tiver uma camisa com estas características facilmente encontrará um modelo destes no guarda-vestidos de alguma familiar, talvez da avó.

Precisará de um colete preto. Na falta do colete pode utilizar um casaco preto que esteja curto, rasgue as mangas pelas costuras dos ombros. As calças devem ser velhas e pretas para poderem ser cortadas na zona das pernas para envelhecer a peça. Coloque um lenço preto ou vermelho na cabeça do menino e, de seguida, com um elástico preto e um pouco de velcro tape um dos olhos.

Para as meninas não faltam ideias originais para fazer disfarces bonitos e especiais para este dia. Uma ideia original é a fantasia de Flinstone. É muito fácil e prática de fazer e fica um disfarce muito bonito. Comece por arranjar um pedaço de tecido branco. Coloque o tecido em volta do corpo como uma toalha de banho e depois amarre num dos braços fazendo uma alça. Depois corte as pontas em ziguezague mantendo um lado mais comprido que o outro. Amarre o cabelo da menina todo no cimo da cabeça, como se estivesse a fazer um rabo-de-cavalo mas alteie-o mais. Com o auxílio de um pente frise o cabelo, pegando nas pontas e passando o pente em sentido contrário até que fique todo despenteado. Numa loja de disfarces compre um osso de plástico e prenda na fita da criança.

Pegue nos materiais, puxe pela imaginação e ponha mãos ao trabalho!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Como fazer disfarces de Carnaval

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    09-06-2014 às 04:01:21

    Não em carnaval, mas em bailes de fantasia, sempre usei o TNT. Eles são ótimos para trabalhar o corte, para costurar e deixa bem bonito!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios