Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura
  1. Escrito por: Adriana Santos
    Categoria: Literatura

    Aprender é uma das melhores coisas da vida e que nos motiva a sempre buscar, buscar. Que essa chama do aprender sempre permaneça em nosso coração, em nosso interior. Que nesta vida tão breve e temporária possamos ser estimulados a nunca deixar de aprender. Tudo se aprende, não esqueça! Que todas estas frases e citações sobre o aprender possa tocá-lo e estimulá-lo a fazer disso um estilo de vida para sempre! Boa leitura! "Aprenda com os erros dos outros. Você nunca pode viver tempo suficiente para cometer todos os erros" - Groucho Marx "Aprender a ignorar as coisas é um dos grandes caminhos para a paz interior" - Robert...
    ler mais...
  2. Escrito por: Adriana Santos
    Categoria: Literatura

    "As pessoas são como janelas de vidro colorido. Elas soltam faíscas e brilham quando o sol está presente, mas quando a escuridão se instala, a sua verdadeira beleza é revelada somente se houver uma luz de dentro" - Elisabeth Kübler-Ross "Não deixe que o barulho da opinião dos outros cale a sua própria voz interior" - Steve Jobs "Em uma tentativa inútil para apagar o nosso passado, vamos privando a comunidade do nosso dom de cura. Se escondermos as nossas feridas por medo e vergonha, nossa escuridão interior não pode nem ser iluminada nem se tornar uma luz para os outros" - Brennan Manning "Eu nunca fiz nada, mas...
    ler mais...
  3. Escrito por: Adriana Santos
    Categoria: Literatura

    O Renascimento foi um importante movimento de renovação científica e cultural ocorrido na Europa durante os séculos XV e XVI. Com ele, iniciou-se a Era Moderna. A base do Renascimento encontra-se no crescimento gradativo da burguesia comercial e das atividades econômicas entre as cidades europeias, o que acabou estimulando a vida urbana. O aperfeiçoamento da imprensa facilitou a difusão de novas ideias, contribuindo para o enriquecimento do ambiente cultural. As expedições oceânicas, por sua vez, alargaram a visão do homem europeu, pondo-o em contato com povos de culturas diferentes. O desenvolvimento da matemática e...
    ler mais...
  4. Escrito por: Adriana Santos
    Categoria: Literatura

    A prosa literária brasileira começa de fato no Romantismo, com os folhetins, que são histórias publicadas em capítulos nos jornais. Quando uma dessas histórias fazia sucesso, era lançada em forma de livro. Assim nasceram quase todos os romances importantes do século XIX no Brasil. Tendências Do Romance Romântico De acordo com o tema principal que desenvolvem, os romances românticos podem ser classificados em: - Romance urbano: desenvolve temas ligados à vida na cidade; - Romance sertanejo ou regionalista: aborda temas e situações que se passam longe dos centros urbanos. Focaliza a gente do interior, com seus costumes e...
    ler mais...
  5. Escrito por: Adriana Santos
    Categoria: Literatura

    O Romantismo pode ser considerado o período do verdadeiro nascimento da vida literária brasileira. Nesses anos criaram-se o romance e o teatro nacionais, a poesia enriqueceu-se a formou-se um razoável público leitor, que passou a estimular cada vez mais a produção literária. Grandes nomes da literatura brasileira foram surgindo desde então o surgimento do Romantismo e isso foi graças à ele. Temos muitos nomes importantes e até hoje, eles são ensinados nas escolas, universidades e trouxeram um excelente legado para o país. O romance tem sido um dos temas mais populares e bem aceitos pela sociedade brasileira. É um dos...
    ler mais...
  6. Escrito por: Adriana Santos
    Categoria: Literatura

    Em termos didáticos, o Barroco português vai de 1580 a 1756. O ano de 1580 é significativo em dois aspectos: assinala a morte de Camões, o maior nome do Classicismo português, e marca o fim da autonomia política de Portugal, pois, com a morte de D. Sebastião, em 1578, o rei Filipe II, da Espanha, ganha o direito de subir ao trono português. Portugal passa a fazer parte do reino espanhol. Com a transferência do centro político para Madrid, Portugal perde também seu foco cultural. Em todo o século XVII, a influência espanhola será marcante na cultura portuguesa. Em 1640, Portugal consegue libertar-se do domínio espanhol,...
    ler mais...
  7. Escrito por: Rua Direita
    Categoria: Literatura

    Os poemas têm a arte de expressar de forma autêntica nossos sentimentos e emoções. Em especial, sobre o amor – a perfeição em que Deus, o Criador, é e que dá a todos. Assim, o amor é algo belo, forte, seguro, vivido nos corações e uma das melhores demonstrações de nossos sentimentos a alguém é através dos poemas. Alguns mais singelos, outros mais rebuscados, porém todos transmitem um toque bem especial. O poema também gera emoção a quem lê. Não importa a idade, nem quais circunstâncias, a gente é tocada pelas palavras. Também é possível identificar um jeito ritmado no poema, cheia de combinações e isso a...
    ler mais...
  8. Escrito por: Rua Direita
    Categoria: Literatura

    Aqui está mais um poema. Escrevi novamente algumas coisas a respeito dele, mas logo abaixo estará prontinho para você ler e comentar. Fique à vontade! "Este poema é um dos poemas que mais gosto. Não apenas pelas palavras em si, mas pela pessoa que me inspirou. Também pelo momento que estava vivendo e o que essa pessoa representa para mim. Mesmo sabendo que nunca poderei encontrá-lo e nem sequer viver um grande romance com ele. Na verdade, ele nem sabe que eu o escrevi pensando nele. Apesar de que o leu para dar a sua opinião a respeito, mas achei importante não dizê-lo que era um poema sobre "ele" e para “ele”. Ele...
    ler mais...
  9. Escrito por: Rua Direita
    Categoria: Literatura

    Um pequeno poema que escrevi e que sempre ficará na minha memória. Leia e reflita. No início, escrevi algumas palavras, mas lá embaixo está o poema. "Adoro expressar meus sentimentos através da poesia. É nela que está contida nossos anseios, frustrações, alegrias, verdades, sofrimentos, angústias, medos, desejos, ansiedades, harmonia, coragem, enfim, na poesia as palavras vem do coração, da nossa alma e do mais profundo de nosso ser. É muito bom poetizar, é fantástico expressar nas palavras aquilo que mexe em nós e através dela podemos dar brilho e trazer grandes lições para a vida. Já participei de vários...
    ler mais...
  10. Escrito por: Rua Direita
    Categoria: Literatura

    Leonardo da Vinci sempre manteve o seu lado privado muito recatado. Pouco se sabe, muito se especula. O segredo e o mistério confundem-se quando tentamos passar a cortina obscura do lado reconhecido mundialmente para o lado pessoal, íntimo, privado. É sabido o seu repúdio pelas relações físicas, carnais, sexuais. Da Vinci proclamou o ato de procriação e qualquer coisa que tenha qualquer relação com ele como algo tão nojento ou repugnante que os seres humanos em breve morreriam se não houvesse rostos bonitos e disposições sensuais. Freud tentou interpretar esta atitude face ao lado mais básico da condição humana como...
    ler mais...
  11. Escrito por: Rua Direita
    Categoria: Literatura

    O som das máquinas acompanhava o longo respirar de Ana. As figuras da noite eram projectadas nos lençóis, no corpo adormecido. Sentiu-se a acordar para a realidade. Para a vida que ficara suspensa pelo sono de umas horas, mas que prometiam mudar todo o rumo da sua vida… Os seus olhos entreabriram-se, os seus lábios sentiam o ar desinfectado do quarto do hospital, enquanto os seus dedos se agarraram ao lençol. Na sua mente passavam fracções de segundos do acidente que tivera: o telemóvel que tocou, o telefonema de Paulo, o sorriso que esboçou com o convite deste, as luzes na sua direcção, o embate do carro no seu corpo...
    ler mais...
  12. Escrito por: Rua Direita
    Categoria: Literatura

    Tiago segurava o copo de uísque na mão direita. Um copo já quase vazio, mas com duas pedras de gelo mal derretidas. Pousou o copo na mesa depois do último gole. Dobrou as pernas, fartas da mesma posição. Revolveu as mãos entre os papéis baralhados e o teclado do computador. Pegou no copo e olhou para ele. Para as pedras de gelo a derreter lentamente. Pegou nelas e colocou-as na palma da sua mão. Viu-as escorregar no rasto frio de água. Mordeu os lábios e olhou fixamente para o computador, enquanto, na sua palma, as pedras se desfaziam. Apertou a sua mão, dobrou os dedos contra as pedras de gelo e atirou-as escritório fora....
    ler mais...
  13. Escrito por: Rua Direita
    Categoria: Literatura

    O cheiro a bafio percorre os corredores envelhecidos pelo tempo. Nas paredes a tinta desaparecia lentamente, o pó acumulava-se nas pequenas molduras de fotografias ainda a preto e branco. Rostos endurecidos pelo tempo, personalidades duras. O vento assaltava por debaixo da porta, rápido e gélido, tornava o corredor ainda mais frio, transformava-o num passado frio e distante. A janela da sala batia vezes sem conta. O ar cortante assaltava mais uma vez a casa, mas desta vez congelava as lágrimas de Ângela. As rugas da sua face, profundas e experientes, traçavam o rumo das lágrimas gélidas e salgadas. A sua mão tremia sob o seu...
    ler mais...
  14. Escrito por: Rua Direita
    Categoria: Literatura

    Ingrata fora a ultima palavra que ouvira da boca dos seus pais na altura em que foi expulsa de casa. O pai olhava-a com vergonha e repulsa e a mãe com desespero. Estava a ser escorraçada com um cão vadio. Sempre fora a menina que incondicionalmente respeitara e seguia ordens dos seus pais. Nunca se revoltou. Comia e calava. Os pais talharam-na para ser o que ela não queria ser. Era proibida de sair, de beber, de fazer algo contra os bons e velhos costumes. Uma minissaia significava que era uma rameira, um copo de champanhe, uma embriagada que se se agarra-se a esses pecados iria envergonhar o bom nome da família. Tinha de ser uma...
    ler mais...
  15. Escrito por: Rua Direita
    Categoria: Literatura

    “Não desejar nada não é viver” Este era o lema de Paula. Não há vida se não queremos e tiramos partido do que ambicionamos. Paula sempre lutou para conseguir aquilo que mais queria: o amor. Fora sempre uma luta desigual. Cada vez mais o desejo de um homem ao seu lado era cada vez mais forte. Sempre dissera que o amor apenas se encontrava no homem que conhecia há anos: João. Trabalhavam juntos no hospital da luz. Paula era enfermeira tal como João. Almoçavam juntos, trabalhavam juntos iam para casa juntos… uma proximidade que os afastava cada vez mais mas que cada vez mais , Paula queria João para si. Já tinham...
    ler mais...
  16. Escrito por: Rua Direita
    Categoria: Literatura

    A narrativa fechada, pois apresenta um desenlace irreversível, faz referência a um rei jovem, destemido, ousado e sonhador que deixara a sua rainha e seu filho, ainda bebé e frágil, sozinhos. Numa das batalhas, tragicamente, o rei perdera a vida. Ao receber esta notícia a rainha chorou a morte do seu rei, o protetor do seu filho. Consequentemente, o principezinho, herdeiro natural do trono, estava desprotegido perante possíveis ataques inimigos. Destes possíveis ataques, o mais temido era o do seu tio, irmão bastardo do rei que faleceu, que vivia num castelo sobre os montes com um bando de soldados. O príncipe era amamentado por uma...
    ler mais...