Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Internet > Anuncie a sua página na Net

Anuncie a sua página na Net

Categoria: Internet
Visitas: 2
Comentários: 6
Anuncie a sua página na Net

Nos tempos que correm, a internet faz parte do nosso dia-a-dia. Estamos viciados e isso é uma realidade. Bom ou mau, uma grande parte da nossa vida é controlada pela internet. Movimentos e controlo bancário, acesso à nossa situação fiscal, compras e até novas amizades são feitas on-line.

Se a nossa vida passa pelo espaço cibernético, o nosso trabalho também. A nossa actividade profissional é em grande parte influenciada pelos recursos que a internet nos dá, tal como bases de dados e controlo de actividade profissional em geral. No entanto, existem profissões em que a sua execução não tem necessariamente de passar pela utilização da internet, mas mesmo nesses casos, esta é inevitável e inultrapassável.

Todas e quaisquer empresas têm um site, mesmo que seja mínimo ou mesmo micro. Um site é sempre uma montra da empresa para o mundo, e tal como num espaço físico, o espaço virtual é avaliado. Já lhe aconteceu olhar para a montra de uma loja e achar que está demasiado cheia, demasiado escura ou demasiado feia? Pois a montra virtual, querendo dizer, um site, é exactamente o mesmo. Um site tem de ser informativo, limpo, claro e funcional.

No entanto, estar presente na internet através de um site pode não ser suficiente. Empresa que se preze tem de se fazer notar na internet. Mas com um espaço infinito, como fazer notar a nossa página na internet?

Os meios são os mais variados, dentro do mesmo espaço virtual. Em primeiro lugar, manter um site conforme foi descrito anteriormente é o ideal. Não se esqueça que existem diferenças entre sites e portais, embora na altura de se fazer destacar a importância seja a mesma.

Anunciar na internet é quase uma arte – Precisa de ser estudada, enamorada e executada. Só assim o final será o melhor. Como é natural, publicidade custa dinheiro, e assim são várias as formas de anunciar.

Motores de busca como o Google, podem oferecer este serviço. O Google tem ao serviço das empresas um produto tipo leilão. Ou seja, paga por determinada palavra que determina a sua empresa. Assim, cada vez que colocarem a palavra escolhida na pesquisa, a sua página aparecerá em primeiro lugar.

Pagar a portais bastante visitados para anunciar o seu site também é uma opção, mas um pouco mais caros. Banners a piscar e bastante coloridos são uma boa ideia para chamar a atenção do consumidor.

Anunciar também pode ser gratuito, quer seja em relação a ofertas de emprego, quer seja em relação a produtos. Desta forma, acaba por também anunciar a sua empresa.

Sites com bastantes visitas e buscas aparecerão em primeiro lugar quando pesquisar. Tem dúvidas? Proponho-lhe um desafio. Coloque um anúncio na ruadireita.com depois de efectuar o seu registo. Vai ver as visitas que consegue ao seu site e o destaque que a sua empresa tem on-line.


Carla Horta

Título: Anuncie a sua página na Net

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 2

617 

Imagem por: websuccessdiva

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 6 )    recentes

  • Luene ZarcoLuene

    18-10-2014 às 22:13:51

    Não há como se esconder das mudanças que estão a correr diariamente. Para estar visível às pessoas com qualquer tipo de trabalho, é necessário ter uma página na NET. Sem dúvida, é sua melhor propaganda.

    ¬ Responder
  • SophiaSophia

    08-05-2014 às 17:27:46

    O marketing é uma das áreas fundamentais numa empresa. O site ou a página na web é essencial para o seu crescimento independente dos serviços e produtos.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoTony

    23-07-2012 às 12:04:13

    Fazer um site gratuito é bem mais fácil do que julguei. Depois de ler este texto fui explorar como se fazia e foi super fácil. Aconselho a todos. Vão só aqui algumas dicas. Espreitem com olhos de ver os sites. Vejam as características de cada um. Acreditem que só quando fazemos um site nosso é que notamos em características que sempre ali estiveram, mas que nunca lhes tínhamos dado atenção. Já o divulguei e fiz publicidade do próprio site e não é que está a dar resultados!!! Claro que é aos poucos, até porque o meu negócio é pequeno mesmo.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoRogério

    23-07-2012 às 12:03:43

    Independentemente das opiniões, a divulgação na internet é fundamental. Nos dias que correm todos os negócios tem de ser visíveis através de um clique. Isso cria visibilidade e dá a conhecer quem somos. Para além disso, quando uma empresa está on-line, na eventualidade de serem pouco profissionais, alguém vai manifestar-se da mesma forma. Assim, conhecemos a empresa pelo seu site e pelas informações que os outros nos possam dar.
    No entanto, e como diz o autor do texto, o site é a montra do negócio. Nem muito cheia, nem muito escura, nem muito vazia… Um site tem de ser estudado e namorado. Seja ele para divulgar um grande ou um pequeno negócio. Ao fazer publicidade do próprio site, o nosso negócio é divulgado para milhões de forma rápida e os resultados são fantasticos.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoHumberto

    19-07-2012 às 12:26:13

    Sr. Gabriel,
    Discordo completamente com o que diz. Acho até que a agressividade com que trata o caso é de certa forma ofensiva. Então um micro-site, mesmo que feito em casa (como diz) não pode ter qualidade? Tem de se pagar a um web designer para se ter um produto de qualidade?
    Se eu passar tempo em casa com a disponibilidade correta e de forma afincada a trabalhar num site gratuito para divulgar a minha empresa, faz de mim uma pessoa pouco profissional? Não julgo. Um micro-site, como o nome indica, é um site pequeno onde pouca informação é divulgada, mas será com toda a certeza a mais importante. De qualidade de negócio e o nível profissional dos colaboradores da empresa é que se fazem transações, vendas e se gera dinheiro (que no fundo é a subsistência das empresas, certo).
    Não será preferível desempenhar-se na pratica um bom serviço e ter um site pequeno, a embrulhar-se o cliente no vislumbre de um mega site (quase portal) enquanto que o serviço na realidade fica a desejar?

    Quanto á divulgação do site em anuncios ou até em portais, só quem é louco é que publicita aquilo que é ruim.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoGabriel

    12-07-2012 às 11:20:32

    Concordo plenamente quando aqui se diz que é fundamental anunciar na internet. No entanto, nem sempre se faz da melhor forma. Quantas pessoas julgam que fazer um sitezinho gratuito é a melhor forma de divulgar o seu negócio? Será que ainda não repararam que o site é o espelho do negócio? Isto nos dias de hoje demonstra falta de brio profissional. É necessário encher o olho ao cliente e mostrar-lhe que nos apresentamos de forma profissional e que a imagem cuidada demonstra equilíbrio e estabilidade.
    A moda de fazer sites em casa para “inglês ver” é para “encher chouriços”. Não basta dizer aos clientes o que têm para oferecer. Têm de se apresentar da melhor forma, indicarem os aspetos mais positivos, decorar a sua profissão e o seu negócio de forma límpida.
    Apresentar e divulgar um mau site na net pode ser a ruina do negócio

    ¬ Responder

Comentários - Anuncie a sua página na Net

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Habitação – Evolução qualidade/Preço

Ler próximo texto...

Tema: Alojamento
Habitação – Evolução qualidade/Preço\"Rua
Hoje vivemos dias muito complicados do ponto de vista económico, uma vez que a nossa sociedade moderna consumista tem acarretado para as famílias a triste ideia de que temos que possuir tudo o que existe para ser possuído.

Relativamente ao assunto especifico da habitação, com o passar dos tempos, as pessoas têm adquirido as suas casas em função do que há no mercado, e este mercado tem evoluído de uma forma perigosa em termos de custos; o que quero dizer com isto, é que há vinte anos atrás, encontrávamos apartamentos no mercado, e tenho por base um apartamento T3 que tinha 3 quartos conforme a tipologia descrita, naquele tempo uma cada de banho, uma sala de estar/jantar conjunta e talvez uma varanda, hoje o mesmo apartamento terá os três quartos, a sala, duas casas de banho das quais uma poderá estar num dos quartos a que passou a chamar-se suite, este apartamento hoje, tem forçosamente que ter pré instalação para aquecimento central, lareira com recuperador de calor, e muito provavelmente aspiração central, ou pelo menos a pré instalação… Assim, quem compra um apartamento hoje, apesar das dimensões de cada divisão estarem diminuídas, o preço foi muito incrementado pelos extras, e depois há ainda que adquirir uma caldeira para fazer funcionar a tal pré-instalação de aquecimento central, os radiadores porque sem eles o dito não funciona, naturalmente o trabalho do técnico… há ainda que adquirir em muitos casos o aspirador propriamente dito para fazer funcionar a aspiração central, e algumas coisas mais, acessórios dos quais, antes não tínhamos necessidade.

Não quero dizer com isto, que estes equipamentos não são úteis, são, mas e aquelas pessoas que compraram os seus apartamentos há uns tempos, cujos espaços não dispunham destas “modernices” como viveram? Como vivem hoje? Provavelmente aqueles que tiveram disponibilidade económica para isso, colocaram nas suas habitações, aquilo que julgaram necessário, não colocaram aquilo que não lhes é útil de todo, por outro lado aqueles que não tiveram disponibilidade económica vivem sem os equipamentos em questão, ou colocam um equipamento à dimensão das suas possibilidades. O real problema é que os referidos equipamentos valorizaram muito mais as habitações em termos de preço de compra do que o valor real dos mesmos, e as pessoas, estão apagar vinte ou trinta anos, para não dizer mais, um bom valor acima do que pagariam sem estas coisas, além disso comprariam aquilo que quisessem e pudessem.

Para além do exposto, a qualidade de construção e acabamentos não melhorou, antes pelo contrário. Hoje o valor das casas está a decair rapidamente, e as pessoas em geral vivem em casas cujos valores atuais de mercado são muito inferiores ao que estarão a pagar durante muito tempo…

Naturalmente o mercado poderá mudar, mas não é esse o caminho que parece seguir.

Pesquisar mais textos:

Ana Sebastião

Título:Habitação – Evolução qualidade/Preço

Autor:Ana Sebastião(todos os textos)

Imagem por: websuccessdiva

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    21-04-2014 às 17:09:01

    A compra seja de apartamento ou casa estão mais caras e nem sempre oferecem serviços como mostram na divulgação. Não é bom financiar, pois custará o dobro. Realmente, o melhor a fazer é buscar preços que têm condições de pagar ou aderir a um consórcio.

    ¬ Responder
  • Sofia Nunes 13-09-2012 às 17:07:44

    Na minha opinião e de acordo com o que tenho observado, a relação qualidade/preço das habitações está a melhorar. E isso não é necessariamente bom, uma vez que é resultado da crise económica. Como refere, o valor das casas está a descer, pelo que se pode comprar uma vivenda pelo preço que há uns anos era de um apartamento. O problema é que, apesar de as casas estarem mais baratas, os compradores não têm dinheiro.

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios