Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Eventos > Woodstock – Uma memória Inesquecível

Woodstock – Uma memória Inesquecível

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Eventos
Visitas: 8
Comentários: 4
Woodstock – Uma memória Inesquecível

Quem nunca ouviu falar do festival de Woodstock? Além de mundialmente conhecido, qualquer um de nós se pode identificar com o acontecimento.

Não será obviamente pela associação que fazemos do rock muito alto acompanhado por drogas e bebidas. A intenção do festival era outro, e na realidade todos defendemos a ideia. Paz e Amor.

Pelas razões que todos conhecemos, o woodstock foi repleto de excessos cometidos por uma juventude ansiosa e faminta de liberdade, mas também de uma sociedade descontente que desejava manifestar-se de forma pacífica.

Os Estados Unidos da América estavam em guerra no Vietname há já 10 anos (começou em 1959, tendo os EUA intervindo somente em 1964- terminou em 1975), e a imposição militar, afetava muitas famílias, mas sobretudo jovens que encontravam na revolução das flores, um sentido direto para o que sentiam. O desejo absoluto de um mundo em paz e harmonia.

Em 1969 e com a transmissão televisiva das imagens cruéis da guerra e da violência com que eram retratadas notícias de guerra, a América protestavam em tom de manifestações pacifistas e o desespero pela paz invadia os Estados Unidos. Ora chegavam combatentes desmembrados e traumatizados, ora muitas famílias perderam por completo o rasto dos seus entre queridos e o mau estar da população teimava.

No espírito supremo de Paz no mundo, nasciam grupos pacifistas que se identificavam com músicas criadas e tocadas em forma de protesto contra a descriminação e guerra e gritavam palavras de ordem por um mundo melhor.

“Make Love not War”, era o mote, e o festival nascia da vontade de se deixarem exprimir.

Realizado entre 15 a 18 de agosto de 1969, o festival de woodstock reuniu cerca de meio milhão de espectadores num espaço rural cedido para o evento. Inicialmente prevista, as atuações para o centro de Nova York, o festival acabou por acontecer numa quinta rural a cerca de 1 hora do sítio previsto anteriormente.

Num fim de semana chuvoso, o movimento hippie acreditou e concretizou o maior festival de música de todos os tempos. Existem documentários e filmes que exploram a imagem daqueles dias.

Uma ideia original de Michael Lang, Joel Rosemman, Artie Kornfeild e John Roberts, que colmatou na manifestação mais pacifica de todos os tempos. Antecipadamente foram vendidos cerca de 190.000 bilhetes a 18 dólares cada um, mas durante o evento, foram reunidas 500.000 pessoas.

Com nomes sonantes como Janis Joplin, Santana, Sweetwater, Creedence Clearwater Revival, Joe Cocker, Neil Young, Jimy Hendrix, o espetáculo sofreu alguns problemas devido á chuva. Há quem indique que a banda Grateful Dead sofreu vários choques elétricos durante a atuação.

Algumas bandas conhecidas do grande público recusaram o convite, como os Beatles (John Lennon recusou participar por ter sido intercetada a atuação de Yoko Ono), Led Zeppelin que culpam o seu agente de ter considerado o festival um evento com demasiada lama.

Contam membros dos Led Zeppelin que se arrependem até aos dias de hoje.

Independentemente da cotação que queiramos dar ao movimento hippie e a tudo o que associemos ao Peace and Love, temos de dar a mão á palmatória. Foi um movimento pacifista, uma revolução numerosa, sem incidentes de violência (as duas mortes ocorridas foram devido a consumo excessivo de heroína), uma forma de chamar a atenção do mundo com arte de cantar e dançar e em especial, com muito, muito amor! Será que nos dias de hoje, uma manifestação assim ainda seria possível?


Carla Horta

Título: Woodstock – Uma memória Inesquecível

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 8

773 

Imagem por: SuZenDu

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 4 )    recentes

  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoBia

    24-07-2012 às 09:52:58

    Será que se falou mesmo do Woodstock? Daquele sentimento de entrega e de liberdade? Podem não defender, pode ser até para muitos “igual ao litro”, mas a verdade é que o espirito estava lá e o sentimento de liberdade, união, amor, igualdade de ser humano (e aqui não tem nada a haver com o capitalismo ou o comunismo ou qualquer outra politiquice) estiveram presentes. Muitos woodstock’s deveriam ser feitos com bandas a oferecer musica e não a vendê-la e muita gente em perfeita harmonia e união. Isto sim, seria viver um Woodstock para várias gerações.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoAlfredo

    23-07-2012 às 11:40:53

    O Woodstock foi de facto um marco na vida de muitos (mesmo para os que não participaram) e ainda hoje movem multidões, mas há que entender que a igualdade não pode ser tão linear assim. Há capitalismo, é certo e em excesso cria desigualdades, mas até que ponto o comunismo pode ser tido em conta. Desculpem-me se considero esta conversa politica, mas usar o capitalismo para culpar os males do mundo é completamente absurdo.
    Porque é que eu trabalhador, tenho de dividir com quem não faz nada e não passa de um parasita da sociedade? A igualdade de direitos deve ser considerada de uma forma diferente. Sem trabalho o pais não anda e isto inclui aqueles que fingem trabalhar.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoSol

    23-07-2012 às 11:40:23

    Não acho nada que seja utopia nem sonhos alimentados por uma onda Piece and Love. É a realidade. Viver num mundo sem fronteiras, numa liberdade absoluta de religião e opinião. O capitalismo destrói as pessoas e ambiciona-as da pior forma.
    O Woodstock foi organizado e conseguido com esforço de quem acreditava num verdadeiro sonho e também os julgavam utópicos.
    Viver num mundo materialista onde a vontade para a igualdade pouco conta e só os materiais fúteis são o que mais interessa torna este em que vivemos, um mundo estragado e indesejável para os de fora (se é que existem). Make Love Not War.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoRoberto

    19-07-2012 às 12:07:51

    Aposto e acredito que foi o maior evento de todos os tempos. Numa sociedade em que os festivais de verão são obrigatórios entre a juventude de hoje, há quem queira comparar estes novos eventos com aquele que foi o maior movimento de todos os tempos. Não se pagava entrada e a partilha era religiosa. A ideia dos festivais é a de criar e gerar dinheiro, enquanto que o Woodstock foi a vontade de manifestar em prol na igualdade, da escolha e principalmente da paz no mundo.
    O capitalismo rouba as ideias ao mais puro e transforma-o em máquinas de dinheiro absurdo. Já John Lennon dizia em “Imagen” que não dificil imaginar um mindo de igualdades. E não me considerem utópico, considerem um crente.

    ¬ Responder

Comentários - Woodstock – Uma memória Inesquecível

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Manutenção Automovel

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Automóveis
Manutenção Automovel\"Rua
Faça você mesmo a revisão do seu automóvel e poupe dinheiro em oficinas. Primeiro verifique com a ajuda de outra pessoa a iluminação exterior. Uma pessoa fica no interior do carro e liga as luzes, verifique á frente os mínimos, os médios, os máximos e os piscas. Depois atrás verifique os mínimos os stop a marcha atrás e o farol de nevoeiro.

A seguir verifique a iluminação do interior do veículo e do painel de instrumentos e a afinação do travão de mão.

Agora está na hora de verificar os filtros de ar, gasóleo e habitáculo. Dependendo da utilização eles podem fazer em média 40.00km, se estiverem sujos substitua-os por novos.

A seguir vem a mudança do óleo este em geral pode-se retirar pelo bujão de vazamento do cárter, convém substituir a anilha e o filtro de óleo. O óleo novo deve respeitar as especificações do fabricante, verificar no livro de manual de utilizador do veículo os litros de óleo do motor. Meter o óleo novo pelo bucal superior do motor com a ajuda de um funil, o nível do óleo não pode ultrapassar o máximo. Se não sabe a quantidade de óleo deite 4 litros e depois verifique o nível pela vareta de verificação de nível e vá deitando até chegar ao nível certo.

Agora é preciso verificar as pastilhas de travões, hoje em dia como quase todos os veículos têm jantes especiais consegue verificar sem desmontar as rodas. Substituir se necessário as pastilhas, ao desmontar repare como desmonta para depois voltar a montar tudo de novo. Por fim verifique a pressão dos pneus com um manómetro, a pressão indicada varia de carro pra carro se não sabe a pressão indicada ponha 2.2bar que é em média a pressão que todos utilizam.

Convém dizer que qualquer material que precise basta procurar numa loja de peças auto próxima de si ou então encomendar via net pois existem vários sites especializados em peças e materiais de manutenção auto. Vai ver que não custa nada se eu aprendi você também pode aprender e além disso fica a conhecer melhor o seu carro.

Com isto tudo pode poupar em média 200€ por cada revisão.
Obrigado e até a próxima.

Outros textos do autor:
Manutenção Automovel

Pesquisar mais textos:

Vendas Online

Título:Manutenção Automovel

Autor:Vendas Online(todos os textos)

Imagem por: SuZenDu

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    17-06-2014 às 04:55:10

    Há inúmeros benefícios para fazer a manutenção do automóvel, pois isso garante melhor preservação do veículo e se prolonga o uso por muitos e muitos anos.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios