Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Energias Renováveis > A Energia Hídrica

A Energia Hídrica

Visitas: 44
A Energia Hídrica

Quando a chuva cai em colinas e montanhas, formam-se rios que correm para o mar. A deslocação ou a queda da água produz actividade cinética, que pode ser utilizada como fonte de energia hídrica.

Embora nos últimos anos se venha constatando a diminuição da pluviosidade e alterações climatéricas em diversos pontos do globo, há para aí tanta gente a “meter água” que não será para as próximas décadas a preocupação com as correspondentes reservas…

Portanto, continuaremos a poder gozar de energia produzida a partir de uma fonte contínua, neste caso o movimento da água. Sim, porque «águas paradas não movem moinhos». Para além do mais, não polui o meio ambiente e tem um baixíssimo custo de produção.

Impõe-se, então, indagar por que razão se paga o abastecimento doméstico por um valor tão elevado… E de todas as energias renováveis, a hídrica ainda é a que oferece a melhor relação preço/energia.

A construção de centrais hidroeléctricas apresenta-se como uma inevitabilidade, exigindo porém a formação de grandes reservatórios de água, o que conduz a enormes transformações nos ecossistemas, podendo ainda, consoante a localização, levar à submersão de terrenos e à deslocação de populações, com todas as consequências daí decorrentes.

As mini-hídricas, cuja capacidade dá para alimentar uma localidade ou um complexo agrícola ou industrial, por exemplo, têm um impacto ambiental mínimo, pelo que quanto mais energia elas gerarem menos será produzida nas grandes centrais, reduzindo os efeitos ambientais nefastos.

Algumas empresas deste sector usam, na sua laboração, a energia das ondas e marés. Mas, tal como acontece com as pessoas, nem sempre a maré está de feição…

Curiosamente, as centrais hidroeléctricas podem situar-se no exterior ou em grutas. Teremos voltado ao tempo dos “Flinstones” e das cavernas?! Às vezes, sobretudo no Verão, é o que parece…



Rua Direita

Título: A Energia Hídrica

Autor: Rua Direita (todos os textos)

Visitas: 44

782 

Imagem por: Ontario Power Generation

Comentários - A Energia Hídrica

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como cuidar de Plantas de interior

Ler próximo texto...

Tema: Bricolage Jardim
Como cuidar de Plantas de interior\"Rua
Cada planta tem um comportamento diferente, vou colocar aqui alguns cuidados que servem para a maioria delas.

LUZ:

Os principais erros no cultivo de plantas de interior é a falta de luz.
Se elas estiverem em locais onde não há luz suficiente, isso pode ser corrigido com a instalação de luz artificial, existe no mercado lâmpada que imitam a luz natural.


TEMPERATURA:

Mudanças bruscas de temperatura retardam e até paralisa o crescimento da planta, bem como causa a queda de folhas.


UMIDADE:

A maioria das plantas necessita de uma umidade atmosférica adequada.
Normalmente notamos que a planta não está com a umidade correta quando acontece ficarem amarelas e a queda de folhas.


IRRIGAÇÃO:

Conselhos básicos:
Uma planta em fase de crescimento vai precisar de mais água que uma que está em fase de dormência, ou já atingiu o seu tamanho adulto.
Durante a floração a planta precisa de mais água que em sua fase de crescimento
Em ambientes internos mais quentes é evidente que a planta vai precisar de mais águas que em ambientes mais frios.
Para saber qual é o momento exato de molhar, enfie o dedo no substrato, se sentir ele seco, chegou a hora

FERTILIZANTE:

Para que a planta tenha um desenvolvimento harmonioso convém usar periodicamente de fertilizantes que podem ser líquido ou sólidos.
No mercado existe a venda fertilizante com fórmulas específicas para cada planta.
Após a utilização do fertilizante regue a planta.

LIMPEZA:

Faça regularmente a limpeza de folhas secas e caule, pois elas são bastante positivas não só esteticamente como para a saúde das plantas.
Se estiver acumulada muita poeira sobre as folhas, espane, e depois passe um pano húmido
Atenção: Existe algumas espécies, que tem as folhas aveludadas, tipo a Violeta Africana, Begônia Rex, etc. que não deve ser colocada água é só usar uma escovinha bem macia.

TROCA DE VASO:

De uma maneira geral após 1 ou 2 anos as plantas de interior devem ser colocadas em vasos de tamanho maior.
Isso deve ser feito porque as raízes passam a ocupar um grande espaço e também porque o substrato vai perdendo sua composição inicial.
A época mais adequada varia de planta para planta, algumas devem ser feitas na primavera e outras quando estão na fase de repouso.
Aproveite para obterem mudas, separando brotos e dividindo touceiras.

Pesquisar mais textos:

Miguel Pereira

Título:Como cuidar de Plantas de interior

Autor:Miguel Pereira(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Briana AlvesBriana

    13-10-2014 às 04:09:31

    Muito bom! É tão gratificante cuidar de plantas. A gente vê o quanto elas florescem quando são bem-cuidadas. Amei as dicas!

    ¬ Responder
  • Rua DireitaRua Direita

    18-04-2014 às 22:36:55

    Fantástico seu texto, a Rua Direita agradece!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios