Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Empresariais > Como Criar Uma ONG

Como Criar Uma ONG

Categoria: Empresariais
Como Criar Uma ONG

Devido à demora ou esquecimento do Governo para com os problemas da sociedade, muitas pessoas estão se reunindo para formar e criar as chamadas Organizações Não Governamentais (ONG).

Mas, o que são esses Órgãos? São organizações feitas por pessoas do povo, sem fins lucrativos e que estão reunidas por algum propósito social, podendo ser específico ou não.

Uma ONG dever ser bem organizada. Muitas delas não conseguem desenvolver-se devido a sua má organização e administração. Por seu objetivo filantrópico suas propostas devem ser direcionadas para ajudar alguém, e sem fins lucrativos, pois, não deve acumular ganhos em dinheiro que não sejam para suprir suas necessidades ou projetos.

Quando se fala em filantrópico ou em sem fins lucrativos muitos desistem da ideia de criar uma ONG, mas, não sabem que isso não impede dela receber para se manter.

Seus fundadores devem criar propostas de projetos sobre o objetivo da ONG, e tão logo deve convocar e convidar pessoas para compor a diretoria, bem como os componentes da assembléia geral.

Assuntos básicos devem ser discutidos como nome da ONG, objetivos, Sigla, local das reuniões, Estatuto, divisão de poderes, o que fazer em caso de dissolução e se necessário o seu tempo de duração.

Tudo deve ser registrado em ata por secretário e assinada por presidente que componha a mesa da Gestão. Vale lembrar que criar uma ONG requer cuidados como registro em cartório com abertura de firma, pois, trata-se de ma pessoa jurídica e com plenos poderes em sua administração, bem como criação e dissolução.

Tudo que for arrecadado deve ser depositado em uma conta no nome da instituição, por ser filantrópico não existe obrigação de seus afiliados depositarem nenhum valor.
Antes de sair abrindo qualquer ONG por ai, vale lembrar que abrir uma ONG é o mesmo que abrir uma empresa, com as mesmas responsabilidades, porém, trata-se de uma empresa que não é sua, portanto, responsabilidade redobrada.

Os gestores da ONG responderão por tudo que se relacionar com a mesma, daí achar que vai ganhar alguma coisa com isso, vai sonhando! Existe algo chamado de responsabilidade fiscal, que apesar de se tratar de um instituto não governamental todos os impostos devem estar em dia e tudo deve estar registrado em livro e em cartório para posteriores verificações.

Se seu intuito é ajudar as pessoas com certeza não irá arrepender-se. Muitas Organizações Não Governamentais tem feito a diferença na luta contra as drogas, contra o abuso de crianças e adolescentes e no cuidado da família brasileira onde é o berço da sociedade e que precisa de todos que queiram ajudar, pois, toda ajuda é bem vinda.


Gleison Nunes Uchoa

Título: Como Criar Uma ONG

Autor: Gleison Nunes Uchoa (todos os textos)

Visitas: 0

326 

Comentários - Como Criar Uma ONG

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios