Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > DVD Filmes > Ted

Ted

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: DVD Filmes
Comentários: 1
Ted

Ted é muito engraçado! Não tem motivo para que eu não amasse uma produção que nasceu do direitor MacFarlane, a mente por trás de várias produções de sucesso. Estrelando como produtor cômico revela que seu jeito de humor é bem agradável e combina bem com o cinema.

Muitissimo semelhante com Família Guy, o filme possui partes de extrema falta de bom senso, humor nada politicamente correto e uma porção de velhas lembranças ao movimento do pop. Sem restringir, o diretor fez um filme comico e adulto com muitas piadinhas proibidas para crianças. Se uma mãe acha que Ted é uma produção onde existe um núcleo familiar perfeito com um ursinho que decide começar a se expressar, não traga sua criança e mude sala para ver um filme mais leve. Se decidir permanecer na sala, fique sabendo que terá que responder váriad questões bem inconvenientes para se discutir com uma criança pequena.

Ted surge no ano de 1985, na época o protagonista do filme, uma criança tímida de aproximadamente 9 anos, ganha um bichinho de pelúcia no final de ano. Sendo que ele é um brinquedinho bem comum, do tipo que quando tem seu estômago pressionado diz amo –te. Num belo dia, o menino presenteado pede algo para seu ursinho ele tem um desejo que o mesmo seja humanizado, ou seja tenha vida e vire uma espécie de irmão para ele.




O pedido vira algo concreto e o ursinho vira uma estrela rapidamente, inclusive participando de programas de televisão.Porém, o ursinho termina caindo no ostracismo, as pessoas não se interessam mais por ele, e o ursinho termina ficando décadas ao lado do seu dono,inclusive fazendo os mesmos programas que ele. Eles estão o tempo todo deitados no sofá onde o protagonista mora com a noiva ,bebendo e usando drogas.

Apesar de ser um tanto forte,é um belo filme.Onde mostra que alguns adultos se recusam a ser adultos,mesmo depois de crescerem e até mesmo saírem das casas dos pais.Esse é o caso do protagonista.Que permanece focado durante boa parte do filme em continuar tendo um amiguinho de pelúcia mesmo com trinta e cinco anos.


Gabriela Torres

Título: Ted

Autor: Gabriela Torres (todos os textos)

Visitas: 0

603 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • Jovita CapitãoJovita Capitão

    21-09-2012 às 21:02:19

    Gostei do texto e também vi o filme. Este assunto chamou-me a atenção pelo facto de que eu quando era pequena também eu tinha um urso de pelúcia que curiosamente se chama Tedy, e até há uma história curiosa sobre ele. E eu digo: "chama-se" porque ainda o conservo. Tem um grande valor sentimental para mim. :)
    Parabéns pelo texto. Boa continuação!

    ¬ Responder

Comentários - Ted

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Informática
Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?\"Rua
Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Bom, Não é de hoje que tecnologia vem surpreendendo a todos nós com grandes revoluções e os custos que diminuem cada vez mais.
Hoje em dia é comum ver crianças com smarthphones com tecnologia que a 10 anos atrás nem o celular mais moderno e caro do mercado tinha.
Com isso surgiram sugiram vários profetas da tecnologia e visionários, tentando prever qual será o próximo passo.

E os filmes retratam bem esse tema e usam essa formula que atrai a curiosidade das pessoas.
Exemplos:

Minority report - A nova lei de 2002 (Imagem)

Transcendence de 2014

Em Transcendence um tema mais conspiratório, onde um ser humano transcende a uma consciência artificial e assim se torna imortal e com infinita capacidade de aprendizagem.
Vale a pena ver tanto um quanto o outro filme. Algumas tecnologias de Minority Report, como utilizar computadores com as mãos (caso do kinect do Xbox 360 e One) e carros dirigidos automaticamente, já parecem bem mais próximo do que as tecnologias vistas em Transcendence, pois o foco principal do mesmo ainda é um tema que a humanidade engatinha, que é o cérebro humano, a máquina mais complexa conhecida até o momento.

Eu particularmente, acredito que em alguns anos teremos realmente, carros pilotados automaticamente, devido ao investimento de gigantes como o Google e o Baidu nessa tecnologia.

Também acho que o inicio da colonização de Marte, vai trazer grandes conquistas para humanidade, porém grandes desafios, desafios esses que vão nos obrigar a evoluir rapidamente nossa tecnologia e nossa forma de encarar a exploração espacial, não como um gasto, mas sim como um investimento necessário a toda humanidade e a perpetuação da sua existência.

A única salvação verdadeira para humanidade e para o planeta terra, é que seja possível o ser humano habitar outros planetas, seja localizando planetas parecidos com a terra ou mudando planetas sem condições para a vida em planetas habitáveis e isso só será possível com gente morando nesses planetas, como será o caso do Marte. O ser humano com a sua engenhosidade, aprendeu a mudar o ambiente a sua volta e assim deixou de ser nômade e da mesma forma teremos que aprender a mudar os mundos, sistemas, galáxias e o universo a nossa volta.

Espero que tenham gostado do meu primeiro texto.
Obrigado à todos!
Até a Próxima!


Pesquisar mais textos:

Érico da Silva Kaercher

Título:Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Autor:Érico da Kaercher(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios