Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Desporto > Yoga acrobático, já ouviu falar

Yoga acrobático, já ouviu falar

Categoria: Desporto
Comentários: 1
Yoga acrobático, já ouviu falar

Você já ouviu falar em acrobacia? Acho que quase ninguém, mas aqui neste texto direi o que aprendi lendo e pesquisando, procurará fazer com que você entenda o quanto este exercício é importante e o quanto você deve procurar fazer, pois ele é excelente para o seu corpo e mente.

Saiba, portanto que estes exercícios são ótimos também para as pessoas idosas e para quem tem medo de pular, saltar correr, e para quem tem dificuldade física, pois dizem os idosos que os músculos enferugarão ou mesmo porque a idade já não permite mais.

Saiba que a nossa mente é como um registro e ela registram o que você coloca na mente, e é por isso você não sabe saltar, correr e etc., mas digamos que você não sabe, ou não quer. É por isso que você deve dar o primeiro passo e tentar, para vencer essas dificuldades e medo. Ou seja, quando somos mais idosos temos medo de escorregar e cair, dificuldades de subir escada e com a acrobacia isso com certeza desaparecerão de sua vida, e esses obstáculos emocionais e traumas.

Nas aulas de acrobacia sempre são muito alegres com músicas e descontração e lá você não só aprende os movimentos como também é trabalhado a sua Reflexologia. Ou seja, trabalha movimentos associados à infância, ou seja, energia ancestral, como algo que ocorreu em sua infância (quando você era criança) um trauma de uma queda, isso ocorreu comigo própria, pois quando eu tinha 8 anos levei uma queda de bicicleta e nunca mais quis andar, e até hoje passo isso para meus filhos, não suporto velos andar de bicicleta. Trauma adquirido na infância. Isso é muito bom para ser feito nas aulas de acrobacia, você superar esse obstáculo emocional.

Muito de nós mesmo precisamos deste tratamento que a acrobacia faz, é um trabalho pessoal onde desenvolve o pessoal interior. As suas aulas não só tira os traumas como também se tornaram mais relaxantes, e há também técnicas de rejuvenescimento, é também tratado partem de seu corpo como orelhas, pés e mãos, enfim parte da yoga trabalha corpo e mente, os chineses são especialista até em curar com massagens nas mãos, pés e etc.

Finalmente podemos dizer este tipo de yoga é importante pro corpo e mente. Em suas aulas, você faz exercícios de alongamento para atingir suas energias, trazer a harmonia do corpo e da mente, visando acelerar o processo de cura. Veja o que as aulas de yoga acrobática podem faz por você e tenha mais segurança naquilo que você deseja fazer. Como você ver ela não só é para você aprender a ficar de cabeça para baixo, mas para saber trabalhar um todo de seu corpo.



Waldiney Melo

Título: Yoga acrobático, já ouviu falar

Autor: Waldiney (todos os textos)

Visitas: 0

687 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • Briana AlvesBriana

    10-10-2014 às 15:37:13

    Já conhecia o termo acrobacia, só desconhecia sua existência na yoga. Acredito que a acrobacia por si já faz um bem enorme à pessoa, sem atrelar a yoga. Ela liberta dos nossos medos e mexe o corpo completamente!

    ¬ Responder

Comentários - Yoga acrobático, já ouviu falar

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Pulp Fiction: 20 anos depois

Ler próximo texto...

Tema: Arte
Pulp Fiction: 20 anos depois\"Rua
Faz hoje 20 anos que estreou um dos mais importantes ícones cinematográficos americanos.

Pulp Fiction é um marco do cinema, que atirou para a ribalta Quentin Tarantino e as suas ideias controversas (ainda poucos tinham visto o brilhante “Cães Danados”).

Repleto de referências ao cinema dos anos 70 e com uma escolha de casting excepcional, Pulp Fiction conquistou o público com um discurso incisivo (os monólogos bíblicos de Samuel L. Jackson são um exemplo disso), uma violência propositadamente mordaz e uma não linearidade na sucessão dos acontecimentos, tudo isto, associado a um ritmo alucinante.

As três narrativas principais entrelaçadas de dois assassinos, um pugilista e um casal, valeram-lhe a nomeação para sete Óscares da Academia, acabando por vencer na categoria de Melhor Argumento Original, ganhando também o Globo de Ouro para Melhor Argumento e a Palma D'Ouro do Festival de Cannes para Melhor Filme.

O elenco era composto por nomes como John Travolta, Samuel L. Jackson, Bruce Willis, Uma Thurman e (porque há um português em cada canto do mundo) Maria de Medeiros.

Para muitos a sua banda sonora continua a constar na lista das melhores de sempre, e na memória cinéfila, ficam eternamente, os passos de dança de Uma Thurman e Travolta.

As personagens pareciam ser feitas à medida de cada actor.
Para John Travolta, até então conhecido pelos musicais “Grease” e “Febre de Sábado à Noite”, dar vida a Vincent Vega foi como um renascer na sua carreira.

Uma Thurman começou por recusar o papel de Mia Wallace, mas Tarantino soube ser persuasivo e leu-lhe o guião ao telefone até ela o aceitar.

Começava ali uma parceria profissional (como é habitual de Tarantino) que voltaria ao topo do sucesso com “Kill Bill”, quase 10 anos depois.

Com um humor negro afiadíssimo, Tarantino provou em 1994 que veio para revolucionar o cinema independente americano e nasceu aí uma inspirada carreira de sucesso, que ainda hoje é politicamente incorrecta, contradizendo-se da restante indústria.

Pulp Fiction é uma obra genial. Uma obra crua e simultaneamente refrescante, que sobreviveu ao tempo e se tornou um clássico.
Pulp Fiction foi uma lição de cinema!

Curiosidade Cinéfila:
pulp fiction ou revista pulp são nomes dados a revistas feitas com papel de baixa qualidade a partir do início de 1900. Essas revistas geralmente eram dedicadas às histórias de fantasia e ficção científica e o termo “pulp fiction” foi usado para descrever histórias de qualidade menor ou absurdas.

Pesquisar mais textos:

Carla Correia

Título:Pulp Fiction: 20 anos depois

Autor:Carla Correia(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios